quarta-feira, 30 de junho de 2010

Imagens do dia de Corpus Christi 1



Duas belas fotos remanescentes do dia de Corpus Christi que gostaria de compartilhar. Ambas foram feitas junto ao tapete por onde o Bispo passou na Avenida Cândido de Abreu, em direção ao Centro Cívico. Na primeira, o senhor usando seu guarda-chuva (item de primeira necessidade em Curitiba) como bengala, lê as informações da entidade responsável pela decoração naquele trecho. Na outra foto, a moça está dando o acabamento final em cerragem, junto à imagem de Cristo.

terça-feira, 29 de junho de 2010

O Gondoleiro do Nhundiaquara


OK, não é uma gôndola, mas tudo bem, não estamos em Veneza mesmo! O barqueiro que circula pela região dos restaurantes em Morretes, cobra uma pequena taxa pelo romântico (!) passeio pelo rio Nhundiaquara. Depois da quinta foto e tentou cobrar pelo direito de imagem, mas dei uma disfarçada e fui saindo.

No fundo da foto, podemos ver a ponte metálica e o Restaurante Ponte Velha, um dos mais tradicionais em Morretes para apreciar o Barreado, prato típico do litoral do Paraná (diz o meu filho que o barreado que preparo em casa é melhor, mas ele é suspeito).

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Brasil 3 x 0 Chile

Uma pena para os nossos irmãos sul-americanos, mas hoje o Brasil foi mais o Brasil que queremos ver em campo. OK! Kaká ainda não foi o Kaká que esperamos, o Robinho ainda não pedalou tudo o que tinha para pedalar, mas quando o trio funcionou (Kaká, Robinho e Luiz Fabiano), os gols sairam. Nossa defesa sempre muito competente e Julio César sempre uma garantia de que nosso gol está bem guardado.

Por hora, mais um bom motivo para comemorarmos e que venha a Holanda (vamos fazer suco deles)!

domingo, 27 de junho de 2010

Domingo de arte na XV


Aos domingos na XV, a multidão apressada dos dias úteis é substituída por pessoas passeando tranquilamente, por músicos e por artistas, como o desenhista sentado na frente do Palácio Avenida, fazendo um retrato, enquanto seu colega de banco lê um livro.

sábado, 26 de junho de 2010

Outro ponto de vista da Boca Maldita


Centro de todas as manifestações políticas, sociais e culturais de Curitiba, a Boca Maldita é passagem obrigatória para quem quer saber o que está acontecendo pela cidade. Entre nas rodas dos senhores de cabelos brancos e os bastidores da política Curitibana e Paranaense serão revelados.
A foto foi feita a partir da Rua Dr. Muricy, em direção à Boca Maldita. Ao fundo, o Bondinho e o Relógio da Praça Osório. Nesse dia, o telão da copa ainda não havia sido montado.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Brasil 0 x 0 Portugal


Alguns consideravam o grupo do Brasil na primeira fase como sendo o grupo da morte. Não sei se era, mas o jogo de hoje foi de matar! Duas seleções mais com o olho na tabela do que no jogo em sí. Uma não queria perder e a outra não queria atacar, enfim, um verdadeiro jogo de compadres. Pelo rádio ouvi um comentarista eleger o Lúcio como o jogador mais ofensivo e driblador do Brasil! Foi uma piada naturalmente, mas totalmente sem graça (não a piada, mas o fato)!

Mas tenhamos fé (como a torcedora da foto, com uma imagem de São Dunga na mão). Na próxima fase entramos no mata-mata e não restará alternativa para nossa seleção senão jogar bem (com Kaká, Robinho e Elano de volta ao time)!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Alice Ruiz


A poeta Curitiba Alice Ruiz começou a escrever desde muito nova, mas teve seu primeiro livro publicado apenas aos 34 anos. Foi casada com Paulo Leminski, tendo sido ele a primeira pessoa que descreveu suas poesias como sendo semelhantes a “haikais”. Com Leminski teve três filhos: Miguel, Áurea e Estrela (também poeta).

Alice Ruiz tem 19 livros publicados e já recebeu diversos prêmios, tais como o Jabuti de Poesia de 1989, pelo livro “Vice Versos” e o Jabuti de Poesia de 2009, pelo livro “Dois em Um”. Muitas de suas letras foram musicadas e gravadas por grandes nomes como Zélia Duncan e Arnaldo Antunes.

Muitas outras informações sobre essa poeta Curitibana você encontrará no site http://www.aliceruiz.mpbnet.com.br/

Na época de faculdade, ajudei a organizar uma mostra de artes plásticas. Dentre as artistas convidadas estava a pintora Leila Pugnaloni e na casa dela, recebi um belo trabalho (Rimagens) que ela fez em parceria com Alice Ruiz. Tratava-se de uma pasta com folhas avulsas e em cada uma delas, um belo desenho de Leila Pugnaloni associado a um Haikai de Alice Ruiz. Ainda hoje me lembro de vários deles e um que acho que combina com a foto do casal no MON é o seguinte:

de tanto não poder dizer
meus olhos deram de falar
só falta você ouvir

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Luzes do Brasil


O Banco Itaú, que patrocina a Seleção Brasileira há anos, desenvolveu uma ação em parceria com o designer Marcello Dantas, resultando num espetáculo de luzes que em Curitiba pode ser visto de diversos pontos da cidade. Trata-se de dezenas de refletores instalados na Praça das Nações no Alto da XV, que durante toda a noite iluminam os céus de Curitiba nas cores da bandeira do Brasil. Dependendo das condições atmosféricas, os potentes refletores podem alcançar até sete quilômetros de altura (em alguns momentos iluminando as nuvens). Outras seis capitais do Brasil também receberam a mesma ação.

O diretor-executivo de marketing do Itaú emitiu a seguinte declaração: “A atmosfera do Brasil muda durante a realização do mundial de futebol. A expectativa gerada pelo torneio, os sentimentos de união e esperança, a quebra na rotina, tudo isso transforma o comportamento do brasileiro. Existe um clima diferente e especial no ar, um clima de celebração. Com isso em mente, pensamos em criar uma ação que deixasse o período ainda mais especial. Escolhemos o céu como meio para espalhar esse sentimento de união e alegria por que é um elemento comum a todos os brasileiros e, assim, todos podem compartilhar a energia positiva”.

terça-feira, 22 de junho de 2010

A chegada do inverno


Estamos no segundo dia de inverno e as frentes frias serão uma constante nas nossas vidas daqui para frente. Curitiba, apesar de não ser a capital mais ao sul do Brasil, é a capital mais fria do Brasil. Trata-se de uma época bastante complicada para quem vive nas ruas e precisam buscar de todas as formas, se manterem aquecidos, mesmo que seja por uma brecha de sol, como mostrado na foto de hoje, tirada na esquina da Av. Souza Naves com a Padre Germano Mayer.
As campanhas para arrecadação de agasalhos pipocam em todos os lugares. Se por um lado não solucionam de fato o problema, por outro lado, amenizam muito o sofrimento das pessoas que recebem essas doações. Procure uma entidade de sua confiança e doe o que você não usa mais. O procedimento é simples: de frente para o seu guarda roupa, sem apego emocional, observe as suas roupas e separe aquelas que você não usou nos últimos 12 meses. Pronto, pode doar porque certamente você não usará mais essas roupas.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Fotos de formatura na escadaria da UFPR



Nada mais tradicional para qualquer graduando da UFPR, do que fazer a foto para o convite de formatura nas escadarias da UFPR da Praça Santos Andrade, tendo como fundo a bela fachada do prédio. Acredito até, que formandos de outras faculdades devem usar o mesmo cenário.

Além de palco para fotografias de formatura, as escadarias servem também para manifestações de modo geral, para shows em qualquer época do ano ou para simpesmente servir de assento para ver as crianças brincarem e para conversar com amigos.

domingo, 20 de junho de 2010

Brasil 3 x 1 Costa do Marfim





Ufa! Jogamos muito bem, escapamos quase ilesos da carnificina que a Costa do Marfim tentou perpetrar em campo (no caso deles, campo de batalha) e tivemos uma vitória do porte que o torcedor Brasileiro gosta: com belos gols, com raça e determinação. Pena o Kaká ter caído na armadilha e ter sido expulso. Pena o Elano ter recebido uma entrada desleal e acabado o jogo no vestiário (disseram que ele está bem). Triste mesmo, ver um time do qual se esperava um belo futebol (a Costa do Marfim) e o que se viu em campo, foi um time que achou que poderia ganhar pela intimidação física. E que venha Portugal! VAI BRASIL!!!

sábado, 19 de junho de 2010

Fotografando os fotógrafos


No dia de Corpus Christi, no meu caminho entre o Shopping Mueller, onde deixei o meu carro e a Catedral, de onde a procissão partiria, muitas cenas interessantes e algumas registradas por mim.
Esses três fotógrafos (ou talvez colegas estudantes de fotografia) estavam sentados no meio fio da Avenida Cândido de Abreu, ajustando suas máquinas e aguardando o momento da passagem da procissão. Uma das meninas percebeu a minha presença, o que valorizou ainda mais a imagem.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

SOS Terra

A cobra verde que foi posicionada entre as esteiras rolantes no Shopping Mueller, faz parte da exposição SOS Terra do artista plástico potiguar Thiago Cóstackz. Essa mostra é uma manifestação em prol do meio ambiente e nela, o artista reproduz no próprio corpo estampas de animais da amazônia, algumas ameaçadas de extinção.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Rua Comendador Araújo


Chefe político oriundo de Antonina, Antonio Alves de Araújo foi deputado provincial. Também ervateiro, possuia importante posição social e econômica em razão de seu comércio. Morava na rua que recebeu o seu nome e nela morreu. Sua casa, um sobrado de esquina com a Praça Osório, foi demolido na década de setenta para dar lugar à um edifício (retratado nesse blog nos posts sobre arquitetura modernista).

Enquanto residia no local, a rua chamava-se Rua da estrada do Mato Grosso ou simplesmente rua do Mato Grosso, que desafogava a rua da Entrada (hoje Emiliano Perneta).

Em novembro de 1887, inaugurou-se a linha de bondes puxados por burricos, que passaram a circular por Curitiba. Devido a esse fato, vários comerciantes e industriais, ao transferirem-se do litoral para Curitiba, escolheram a rua do Mato Grosso para fixar residência.
Em 30 de abril de 1888, um aristocrata da erva-mate deu o nome definitivo à rua: Antônio Alves de Araújo, Comendador da Ordem da Rosa, falecido logo após ter recebido esse título do imperio, que cairia logo depois. O ambiente residencial então existente, foi transformado ao longo do tempo numa região de comércio. A Casa Glaser, permanece ainda hoje, como a última testemunha de toda essa história.
Fonte: Livro "Ruas e histórias de Curitiba" de Valério Hoerner Júnior. Editora Artes e Textos. Curitiba, 2002

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Brasil 2 x 1 Coréia do Norte


Ontem o Brasil venceu a Coreia pelo placar de 2 x 1 (gols de Maicon e Elano), numa apresentação que para o nível de exigência do torcedor brasileiro, foi pálida, meio sem criatividade e com pouca movimentação. Terminar o primeiro tempo no OXO foi bastante frustrante. Em certos momentos o time brasileiro parecia um time de pebolim (ou totó, ou flaflu, dependendo da região do Brasil). Nos jornais, comentários de que essa é a cara do time do Dunga, ou seja, um time de muita marcação, sempre em busca do resultado, sem pensar no espetáculo.

O pós jogo foi um bom termômetro do sentimento geral com pouca comemoração e poucos fogos. Empolgação mesmo, somente na hora dos gols. O atacante Robinho (que até mandou bem no jogo) comemorou a vitória, dizendo que a ansiedade do primeiro jogo era grande. Disse ele que “Estrear com vitória era o que nós queríamos”, e mais, que “O povo pode esperar muita garra e vontade porque nós vamos representar muito bem o Brasil”.

Em se tratando de seleção brasileira, sempre foi e sempre será assim, independentemente do time e do treinador, o torcedor brasileiro irá reclamar, sofrer, torcer e se tudo der certo, comemorar mais um título. O peso das 5 estrelas é muito grande para ser diferente.

A foto do torcedor brasileiro foi feita no cruzamento da Rua Engenheiros Rebouças com a Rua Conselheiro Laurindo. Ao fundo e à direita, a fábrica de fósforos da Swedish Match.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Vai, Brasil!!!


Hoje o Brasil vai parar literalmente, para assistir ao jogo de estréia da nossa seleção na Copa da África do Sul às 15h30, horário de Brasília.

Na rua das Flores, mais especificamente na Boca Maldita, um enorme telão foi montado para que as pessoas possam acompanhar aos jogos. Tudo e todos estão vestindo as cores da bandeira brasileira. Creio que não há evento (político, social, esportivo) que tem o poder de mobilizar o povo brasileiro como a copa do mundo. De 4 em 4 anos, cada brasileiro se sente mais brasileiro do que nunca e cheio de orgulho da pátria. Pena esse sentimento não se estender ainda para todas as outras áreas.

Hoje o Brasil entra no estádio Ellis Park, em Johanesburgo contra a Coréia do Norte (de seu atômico e bizarro presidente) com a seguinte escalação: Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano e Kaká; Robinho e Luis Fabiano.

Vai, Brasil!!!! E bota a boca na vuvuzela!!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Festa Junina



A festa junina foi trazida para o Brasil pelos portugueses, que em princípio chamava-se Joanina por ser em homenagem à São João. Elementos comuns às festas juninas no Brasil foram agregados por diversas influências, tais como as quadrilhas (nome originário da dança de salão francesa “quadrille”), os fogos de artifício (china) e a dança com fitas (ibérica). Em cada região, esses elementos foram misturando-se com características regionais, resultando em pequenas diferenças. No sul, como o frio é mais intenso, bebidas e comidas que aquecem foram introduzidos, como o quentão, o pinhão cozido e o cachorro quente, além dos alimentos baseados em amendoim e milho, comuns a todas as regiões do Brasil.

Um ritmo típico para as festas juninas é o baião, por isso é muito comum o uso de sanfonas e triângulos por grupos musicais que animam as festas juninas. Não podem faltar também, as barracas enfeitadas por bandeirinhas, com brincadeiras e para venda de comida.

domingo, 13 de junho de 2010

Crianças nas ruas de Curitiba

Não é incomum vermos crianças nas ruas de Curitiba, como essas na esquina da Rua Souza Naves com a Av. Nossa Senhora da Luz, acompanhando seus pais que catam papel nas ruas para venda à alguma usina de reciclagem.

sábado, 12 de junho de 2010

O dia dos namorados


Hoje é dia dos namorados no Brasil, comemorado no dia 12 de junho por ser no dia imediatamente anterior ao dia de Santo Antonio (o santo casamenteiro). Uma das possiveis origens do dia dos namorados é o dia de São Valentin, um bispo católico de Roma que contrariando a proibição do imperador Carlos II ao casamento de jovens, realizava casamentos às escondidas, tendo ele mesmo se casado. Descoberto, foi preso e condenado a morte. Em protesto pela prisão do bispo, jovens passaram a manifestar-se em favor do amor e do casamento. A data de sua morte, 14 de fevereiro, passou a ser celebrado como o dia dos namorados.

A foto do casal foi feita por mim em uma das minhas visitas ao MON. Como já havia dito, no MON é muito comum encontrarmos casais entrelaçados.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

A leitora da Rua das Flores

Tarde de domingo na Rua das Flores, um certo frio, mas nem tanto a ponto de fazer com que as pessoas não saiam de casa. Quem sabe depois do almoço e de um doce da Confeitaria das Famílias, uma boa opção seja sentar-se sem pressa num banco cercado de flores, abrir um bom livro e curtir esse solitário e agradável momento.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Feira de inverno 2010



Desde o início de junho, está aberta a Feira de Inverno da Praça Osório, além de artesanato, guloseimas típicas do inverno podem ser encontradas, principalmente o pinhão cozido (ou não) e o quentão, ideal para aquecer um final de dia gelado de Curitiba. Outras barracas, principalmente ao redor do chafariz, vendem comidas típicas de vários paises.

Essa feira fica aberta diariamente das 10h00 às 22h00 e deve funcionar até, pelo menos, o final desse mês.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Domingo no Parque São Lourenço - Natureza




Visitar os parques de Curitiba faz parte do cotidiano dos curitibanos. Curitiba possui 26 parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada.

O Parque São Lourenço foi Inaugurado em 1972, com 204 mil m² de área. Sua criação ocorreu após uma enchente do rio Belém, em 1970, que provocou o rompimento da represa de São Lourenço, paralisando um curtume e a fabrica de cola, que funcionavam no local. O Parque surgiu com as abras de contenção de cheias e de recuperação da área.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Domingo no Parque São Lourenço - Crianças



Os grandes protagonistas do Parque São Lourenço são as crianças. A maioria das pessoas que frequentam esse parque, o fazem principalmente por seus filhos, que ocupam todos os espaços do parque, seja no parquinho, na pista de rolimã ou no imenso gramado desse parque que possui mais de 200 mil metros quadrados de área. Numa cidade altamente urbanizada como Curitiba, os parques da cidade representam para a grande maioria da população, as únicas alternativas para se ter um mínimo de contato com a natureza e espaço.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Domingo no Parque São Lourenço - Skates e Carrinhos de Rolimã




Ontem no final da tarde, fomos ao Parque São Lourenço. Difícil de estacionar, mas foi bastante agradável. Muitas crianças brincando em todos os pontos, principalmente no parquinho, muita gente caminhando, jogando bola e namorando.

A pista para skate e carrinhos de rolimã estava bem movimentada, com pessoas de todas as idades descendo à toda velocidade.

domingo, 6 de junho de 2010

O senhor de Chapéu Panamá

O chapéu Panamá é um chapéu que, apesar do nome, é fabricado no Equador (onde é chamado de El Fino), especialmente em Cuenca e Montecristi.

Possui cor clara e pode ter vários formatos. É fabricado com a palha da planta Carludovica palmata, encontrada no Equador e em países vizinhos, e tecida em trama fechada.

Recebeu este nome porque o presidente estadunidense Theodore Roosevelt usou-o durante uma visita ao canal do Panamá, em 1906. Em razão disso, chapéu tornou-se moda, principalmente para homens, até a Segunda Guerra Mundial.

Este senhor da foto, com seu chapéu Panamá na cabeça e um pacote de pipoca na mão, estava pacientemente esperando junto à Catedral, o início da procissão de Corpus Christi.

sábado, 5 de junho de 2010

Fé cega, faca amolada.


Agora não pergunto mais pra onde vai a estrada
Agora não espero mais aquela madrugada
Vai ser, vai ser, vai ter de ser, vai ser faca amolada
O brilho cego de paixão e fé, faca amolada.

Num texto extraído de “O fanatismo religioso entre outros - Breve Ensaio” do Professor Raymundo de Lima, Psicanalista, encontramos o que segue.

O indivíduo fanático ocupa o lugar de escravo diante do senhor absoluto, que, pode ser uma divindade, um líder mundano, uma causa suprema ou uma fé cega. O fanatismo é alimentado por um sistema de crenças absolutas e irracionais que visa servir a um ser poderoso empenhado na luta contra o Mal.
O fanático não fala, faz discursos; é portador de discursos prontos cujo efeito é a pregação de fundo religioso ou a inculcação política de idéias que poderá vir a se tornar ato agressivo ou violento, tomado sempre como revelação da "ira de Deus" ou "a inevitável marcha da história" ou, ainda, a suposta "superioridade de uns sobre os demais". Faz discursos e não fala, porque enquanto a fala é assumida pelo sujeito disposto ao exercício do diálogo, da dialética, do discernimento da verdade, os discursos - especialmente o discurso fanático - fazem sumir os sujeitos para que todos virem meros objetos de um desejo divinizado; servir ao desejo divino e à produção da repetição de algo já pronto, onde o retorno do recalcado do sujeito faz do Eu (ego) um porta-voz de um sistema de crenças moralistas carregado de ódio em relação ao suposto inimigo ou adversário que precisa ser destruído para reinar o Bem.

No Brasil, o fanatismo religioso nunca teve lugar de destaque na história. Existem pessoas que pela fé em sua religião, são capazes de doar seus bens, mas creio ser uma minoria. Há no Brasil, outros tipos de fanatismo, como pelo futebol, que já rendeu cenas tristes e violentas pelos estádios (como ocorreu em Curitiba no último jogo do Coxa pelo campeonato Brasileiro de 2009) ou político (menos comum). Mas felizmente não temos que conviver com o extremismo religioso, os homens bomba e o terrorismo em todas as suas formas. O Brasil e o povo Brasileiro são, via de regra, da paz.
A foto do post foi feita no interior da Catedral Basílica na Praça Tiradentes, durante a celebração do Corpus Christi.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Corpus Christi





Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.

É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de 'preceito', isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.

A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Igreja Católica sentiu necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

A passagem pelo tapete tem um significado especial. O ostensório, que armazena o corpo de Cristo na hóstia, é carregado pelo padre ou arcebispo, no caso de Curitiba, foi carregado pelo arcebispo dom Moacyr Vitti. Esse representante da igreja, é a única pessoa que passa por cima do tapete, como se fosse uma representação de que Jesus andaria por ali e seria recebido com um belo tapete na cidade. "É também uma evocação bíblica, que narra Jesus entrando em Jerusalém e o povo colocando ramos de oliveira para que ele passasse por cima", conta o padre Clodovis Boff, professor de Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Tapetes de Corpus Christi foram feitos em toda extensão das Avenidas Barão do Serro Azul e Cândido de Abreu desde a Catedral até a Praça Nossa Senhora de Salete no Centro Cívico, para a passagem da procissão. O tapete montado para a procissão, que aconteceu ontem à tarde, foi confeccionado com cinco toneladas de materiais e tem 1,5 quilômetros de extensão. Ao todo, 92 comunidades participaram da confecção.

A celebração em frente à Catedral Basílica teve início às 15 horas e foi comandada pelo padre Reginaldo Manzotti. Após a missa, que durou cerca de uma hora e meia, os fiéis seguiram em procissão rumo ao Centro Cívico pela Avenida Cândido de Abreu. No início da noite, por volta das 17h45, o cortejo chegou à Praça Nossa Senhora da Salete, nas imediações do Palácio Iguaçu. A celebração foi encerrada com uma bênção solene. Estima-se que 100 mil pessoas participaram da procissão em Curitiba,

Fontes: Gazeta do Povo e Wikipedia

quinta-feira, 3 de junho de 2010

O vendedor de pedras semi-preciosas

Este senhor vende pedras semi-preciosas em Morretes, próximo ao restaurante Nhundiaquara. Ele muito gentilmente permitiu que eu fizesse esse retrato junto à sua bicicleta, depois de eu ter explicado que tratava-se uma aula de fotografia. Ele apenas pediu que mais tarde eu desse uma olhada nos seus produtos.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Revitalização da Rua 24 horas


Quando a Rua 24 Horas foi inaugurada em Curitiba no dia 12 de setembro de 1991, foi uma grande novidade (nacional, ousaria dizer), pois se propunha a ser um espaço que funcionasse 24 horas por dia, oferecendo serviços, conveniências, praça de alimentação e lazer. Nessa época, mal se encontrava algum comércio aberto no sábado à tarde, que dirá 24 horas.

A Rua 24 Horas era administrada pela URBS, com projeto dos arquitetos Abraão Assad, Célia Bim e Simone Soares, tendo sua estrutura em tubos na forma de arcos, coberta por vidro, tendo em ambas as entradas, o famoso relógio, que representava a idéia do funcionamento “dia e noite” do local. Tratava-se de um ponto turístico obrigatório para quem visitava Curitiba.

Depois de anos de abandono e várias tentativas de restaurar o local, ontem a prefeitura de Curitiba anunciou que a Rua 24 Horas voltará a ser ponto de referência em Curitiba. A reforma vai começar nesta quarta-feira (2), num investimento de R$ 3,84 milhões feito pela Prefeitura de Curitiba.

Serão implantados um café, livraria, agência de correios, central de turismo e espaço cultural. O objetivo é transformar a Rua 24 Horas num amplo espaço de cultura, turismo e serviços para a população curitibana e visitantes da cidade.

A reforma manterá as características arquitetônicas do espaço. Uma das novidades é que a Rua será ponto de chegada e saída da Linha Turismo que registra, em média, 50 mil passagens por mês. O turista também encontrará ainda uma série de outros serviços, como informações sobre a cidade, e vendas de artesanato e produtos regionais. A 24 Horas terá também espaço para manifestações culturais, como exposições de arte e apresentações de grupos folclóricos.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Monsters Gym


Eventualmente indo para o trabalho pela Avenida Água Verde, observava pequenas placas de publicidade fixadas nos postes e semáforos de uma academia chamada Monsters Gym, que fica muito próxima do estádio do Atlético Paranaense (a Arena da Baixada) e que se auto-intitula “a academia mais polêmica de todos os tempos”. O que chama a atenção para essas placas é que as frases são tão absurdas, que tornam-se cômicas. Acho que os donos da academia são pessoas de muito bom humor, mas um tipo de humor que pode incomodar à quem se leva muito à sério, pois são politicamente incorretas. Seguem algumas da pérolas:

“A mais de 10 anos transformando ripas em homens.”

“Quer ficar grande, venha para MONSTERS GYM. Ah!!! Você só quer ficar bonitinho? Compre um pente.”

“Monster Gym modelagem física. “Quem gosta de beleza interior é decorador”.”

“Ser rato é uma doença. Monsters Gym é a cura desde 1990“.

“A receita é simpes: Fique forte e pegue mais mulheres. Monsters Gym.”

Essa última frase, aliás, deflagrou um protesto de um grupo de mulheres na frente da academia, alegando que a publicidade da academia denigre a imagem da mulher. Além do protesto, uma ação junto ao Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária (CONAR) foi protocolada, solicitando a retirada das placas.