terça-feira, 30 de abril de 2013

Primeira regata internacional de pedalinhos do Passeio Público







Curitiba, sempre na vanguarda, sai na frente no lançamento de uma modalidade esportiva que tem tudo para ser um sucesso nas próximas olimpíadas: a regata de pedalinhos!
As inscrições das trinta experientes duplas logo se esgotaram, sendo necessária a realização de seis baterias classificatórias, das quais os vencedores disputarão a grande final valendo o belíssimo e cobiçado Troféu Vitamina! Comentários que rolavam pelo evento, davam conta de que as negociacões para transmissão ao vivo da grande final na TV já deve estar em curso. Dizem até que o Galvão já teria comentado que se a Globo levar, ele faz questão de narrar o evento.
Na última foto, Dante Mendonça, grande escritor, colunista, artista plástico e um dos idealizadores não somente da regata, mas do movimento "Ocupe o Passeio Público"!

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Vinada Cultural - os comensais







Pode ser que tenha faltado algumas coisas na Vinada Cultural: mais espaço, mais chapeiros, mais caixas. Mas o que não faltou foi gente! Eram esperadas 3.000 pessoas, mas pelo menos 20.000 pessoas passaram pelo Passeio Público na tarde desse dia 27/04 e esses consumiram 9.000 cachorros-quentes! Considerando que de cada pessoas esperava-se o consumo de pelo menos um cachorro-quente, acho que podemos concluir que havia espaço nos estômagos para muito mais!!
Idéia brilhante que deve entrar para o calendário oficial da cidade de Curitiba! E viva a Vina (uma ou duas, como quiser)!
Números acima atualizados hoje (30/04) de acordo com a Gazeta do Povo.

domingo, 28 de abril de 2013

Vinada Cultural - Os dogueiros


Ontem no Passeio Público, dentro do movimento de retomada do primeiro parque de Curitiba, aconteceu a primeira Vinada Cultural. Idealizada pela chef Manu Buffara do Restaurante Manu, com apoio da prefeitura e da Gazeta do Povo, os 10 melhores dogs de Curitiba eleitos pelos leitores do Bom Gourmet ofereceram um dos dogs de seus cardápios ao preço fixo de R$ 6,00, sendo que 1 desses 6 reais será doado à Associação Amigos do HC. 
A iniciativa deu tão certo que acabou dando errado! Explico melhor. A divulgação foi tão bem feita e a idéia é tão boa que certamente um publico MUITO maior do que o esperado pela organização compareceu ao evento. O resultado foram filas intermináveis para comprar os vales, outras filas intermináveis para pegar os dogs e para complicar ainda mais, começou a faltar insumos (pão, vina, refrigerante).
Tenho convicção que essa nova festa, que é a cara de Curitiba (por isso tanta gente foi ao Passeio), tem tudo para fazer parte do calendário de Curitiba, desde que os problemas verificados nessa edição sejam corrigidos. Algumas dicas: venda antecipada (inclusive pela internet) dos vales, distribuição das barracas por uma área maior (evitando aquele caos de filas se cruzando), barracas maiores e com mais pessoas trabalhando em cada uma delas, mais caixas de venda dos vales, mais segurança, mais mesas e cadeiras e por fim, fazendo jus ao "cultural" do nome da festa, que atividades culturais aconteçam durante a festa.
Mas o mais importante disso tudo foi constatar que o curitibano quer o Passeio Público de volta à sua rotina e que a vina faz parte da identidade cultural da cidade. Parabéns à organização da Vinada!
Uma barraca (ou instituição) digna de nota: o Au-Au! Quarenta anos de experiencia mostrou que faz diferença na hora que o bicho (ou o dog) pega! Organização e higiene impecáveis! Cachorro-quente muito gostoso e muito rápido de ser feito! Em 15 minutos o Au-au já estava à caminho do estômago, diferente das 2 horas que esperamos pelo dog da outra barraca! Parabéns ao Au-Au!!

sábado, 27 de abril de 2013

Bustos e estátuas de Curitiba - Visconde de Guarapuava


Antônio de Sá Camargo primeiro e único Visconde de Guarapuava (Palmeira, 25 de abril de 1807 — Guarapuava, 12 de novembro de 1896) foi um nobre e político brasileiro.
O coronel, depois Barão e Visconde de Guarapuava, Antônio de Sá e Camargo nasceu numa das mais tradicionais famílias paranaenses. Era filho do tenente Manoel Joaquim de Camargo, natural do estado de São Paulo e de Mathilde Umbelina da Glória, filha do fundador de Palmeira, Manoel José de Araújo, que era pai da Viscondessa do Tibagi, Cherubina Rosa Marcondes de Sá.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Biblioteca Municipal de Piraquara

Em Piraquara encontrei junto à linha férrea a Biblioteca Municipal João Rodrigues de Oliveira na rua Manoel Alves Cordeiro. A rua, a linha do trem e o prédio antigo, faz parecer que voltamos um pouco no tempo. Nessa biblioteca, achei numa notícia de 2011, há a Casa da Bruxa (talvez inspirada no Bosque Alemão), onde acontece a contação de histórias para crianças. Espero que a ação se mantenha até hoje.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Salvem o Belvedere!

É de certa forma irônico ver esse aglomerado de policiais militares na Praça João Cândido, tendo ao fundo a parede menos vandalizada do nosso lindo Belvedere. Será que até a Copa do Mundo esses rabiscos irão sumir dos nossos monumentos? Será que um dia conseguiremos proteger pelo menos os monumentos históricos da ação desse tipo de gente?

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Circulando com o cachorro

Por entre casas pichadas, o jovem levava seu cachorro para passear pelas ruas do bairro Mercês. Hoje a boa educação determina que todos que levam seus cães para um passeio, levem também sacos plásticos para recolher os vestígios do passeio, algo que penso eu, a maioria das pessoas o fazem.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Curitiba cresce


E avança sempre a ocupação de todos os espaços possíveis em Curitiba por novos empreendimentos imobiliários. Quem é das antigas, vai reconhecer que o espaço onde esse prédio está sendo construído, um dia abrigou o Parque Alvorada, onde aos domingos pessoas de todas as partes de Curitiba traziam seus filhos para brincarem, antes ou depois de ver os bichos do Passeio Público.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Skate no frio e na chuva

Estamos em pleno outono em Curitiba, com temperaturas cada vez menores e sem muita chuva, nos proporcionando belos dias de sol. No dia da foto porém, estava chovendo e o termometro ao fundo indicava 12 graus, enquanto o jovem andava com seu skate na Av. N. Sra da Luz, quase esquina com a Fagundes Varela.

domingo, 21 de abril de 2013

Manhã de outono na Praça Osório




Fotos feitas a partir da janela do meu antigo quarto na casa de meus pais, pouco antes das sete horas da manhã de hoje. A luz estava bonita, com o azul do céu e os amarelos e laranjas do sol refletindo nas nuvens e janelas dos novos e antigos prédios da Praça Osório.

sábado, 20 de abril de 2013

Paver x Petit Pavé



Numa das matérias encontradas no “Keynews – Coisas que ninguém quer publicar”, encontraremos uma instigante discussão a respeito das calçadas de Curitiba, onde a até então “definitiva” solução para o revestimento das calçadas de Curitiba, o “Paver”, é questionada.
Questiona-se inclusive o papel da imprensa e das autoridades municipais. A primeira por não levantar à fundo o papel histórico e inestimável valor do nosso “Petit Pavé” e a segunda por solicitar ao Patrimônio Histórico do Estado do Paraná que as calçadas das áreas históricas sejam consideradas “fora do tombamento”. Ora, o que há de mais óbvio do que tombar um pavimento histórico (fruto de estudos do Paranista Lange de Morretes) da Rua XV e do Setor Histórico? Onde preservar então essa que é uma das marcas registradas de Curitiba, encontrada nas artes plásticas e até, tatuado na pele de apaixonados pela cidade?
Menos de 2% das calçadas de Curitiba são revestidas com “Petit Pavé”, será que precisamos mesmo matar parte da nossa história com justificativas que são frágeis do ponto de vista técnico? Dá o que pensar, não é mesmo?

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Art Déco


Art déco, facilmente identificado pelos elementos geométricos como na foto desse edifício na rua Saldanha Marinho, foi um movimento internacional que durou de 1925 até 1939, afetando as artes plásticas, a arquitetura, o design de modo geral, a moda, as artes gráficas e o cinema. Este movimento foi uma mistura de vários estilos (ecletismo) e movimentos do início do século XX, incluindo construtivismo, cubismo, modernismo, bauhaus, art nouveau e futurismo. A sua popularidade na Europa aconteceu durante os anos 1920 e continuou fortemente nos Estados Unidos através da década de 1930. Embora muitos movimentos de design tivessem raízes em intenções filosóficas ou políticas, a art déco foi meramente decorativa. 

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Boxing

Não sei se é impressão minha, mas tenho percebido que a quantidade de pessoas que se dedicam ao esporte amador é cada vez maios. Vários amigos meus adotaram a corrida como uma rotina de vida, participando inclusive de competições. Pedalar de Curitiba ao litoral deixou de ser algo impensável para não atletas profissionais. Bom para as academias e para a saúde de modo geral.
O boxeador da foto estava na varanda da sua academia na rápida na Água Verde.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

O fim de uma casa de madeira de Curitiba





Um leitor desse blog, Marcelo, gentilmente me alertou que uma das casas de madeira que eu havia postado aqui estava sendo desmontada. Quando descobri que tratava-se dessa, fiquei bastante triste por tratar-se de uma das minhas favoritas. Sabia que isso um dia aconteceria, que muito do que eu registro da Curitiba que vivo hoje, sobreviveria apenas nas minhas fotos.
Fui ao local na manhã de ontem e fiz esse triste registro fotográfico. O Marcelo chamou a minha atenção para uma solitária imagem do ex-governador Ney Braga que restou no que restou da casa. Com certeza acompanharei o que tomará o seu lugar.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Pausa para um cigarro!

Há vários comércios em Curitiba que são administrados por chineses (ou descendentes), muitos no centro da cidade e ligados à área de alimentação. Esse fica na rua Dr. Pedrosa bem próximo à Praça Rui Barbosa, onde um senhor que trabalha no local fazia uma pausa para um cigarro, sentado no bagageiro de uma bicicleta de entregas.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Vejam quem está chegando!

Até o dia de hoje (15/04) a venda de pinhões era proibida pelo meio ambiente, sendo considerado crime ambiental a venda antes dessa data. Mas já era possível encontrar o bom e velho conhecido do frio curitibano em algumas barracas de feira. A chegada dos pinhões indica também a chegada do frio em Curitiba!

domingo, 14 de abril de 2013

Moradores de rua de Curitiba

Não precisa circular muito por Curitiba para constatar o que a Gazeta do Povo publicou recentemente, que o número de moradores de rua aumentaram. Eram 2.800 em 2008 e hoje estima-se que sejam 4.000 pessoas vivendo nas ruas. Grande parte deles está nessa condição por associação com algum tipo de droga (ilícita ou não). Essa foto eu fiz na rua Barão do Rio Branco.
A reportagem da Gazeta começa como segue: "Quatro mil pessoas perambulam pelas ruas de Curitiba. Eles são imperceptíveis aos olhos da maioria dos passantes, que se habituaram a seguir a rotina sem parar para ouvir as vozes que vêm das calçadas. Essas “sombras” quase sempre têm famílias, tiveram emprego, uma casa, um propósito. Quando são notadas quase sempre é porque se tornaram um incômodo, ou uma ameaça. "
A reportagem completa, assinada por Diego Ribeiro, publicada no dia 07/04 pode ser lida na integra aqui.



sábado, 13 de abril de 2013

O Novo Velho Madalosso



Fazia um bom tempo que não ia à Santa Felicidade. Meu filho nos convidou para comemorar a sua formatura no Velho Madalosso e constatei que o restaurante ganhou em espaço e sua fachada foi reformada ficando com um jeito de vila italiana. Bem bonito e a comida continua boa como sempre.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Escrevendo no banco do MON

O imenso banco de concreto sob a marquise do MON sempre rende uma imagem interessante, permitindo brincar com perspectivas. A moça, já preparada para o frio, tinha boa parte do banco à sua disposição enquanto escrevia alguma coisa num pequeno caderno..

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Casas de madeira de Curitiba 88


Na rua Rio Grande do Sul, no bairro Água Verde, há uma bela casa de madeira com uma cerca igualmente de madeira, que se isoladas de todo o concreto que a circunda, poderia compor o cenário que qualquer cidade do interior ou meio rural. Um detalhe que achei muito interessante na implantação da casa, é o fato da cerca posicionar-se exatamente no alinhamento da calçada.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Dentro da Igreja do Portão




Já havia feito um post sobre a Igreja do Portão, mas nunca havia entrado nela. Há pouco tempo estava nas imediações, vi que estava aberta e resolvi entrar. A igreja está em reforma (dentro de um programa de um grande fabricante de tintas), mas mesmo assim foi possível constatar o quanto é bonita a igreja e que sem dúvida deve ser preservada e visitada. 
Construída entre 1926 e 1928, a Igreja do Portão é dedicada ao Senhor Bom Jesus. A pintura é de 1949 e a administração está a cargo dos padres Oblatos de São José. A igreja é marco referencial de paisagem no bairro Portão.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Curitibano e a fila

Dizem que curitibano adora fila! Que uma boa fila pode ser fator de decisão para ver um filme, conhecer um restaurante ou entrar num bar, uma vez que a lógica diz que "se tem fila, então deve ser bom"!
Essa fila dupla (real e refletida) eu fotografei no MON, na entrada do teatro.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A passarela do Mueller


O Shopping Mueller foi o primeiro de Curitiba no formato em que conhecemos em todo Brasil. Inaugurado em 1983 no prédio da Metalúrgica Marumby, de Gotlien Mueller, até 2003 não possuía cinemas e já padecia da falta de vagas no estacionamento. A solução encontrada foi a construção de oito salas de cinema e de um novo estacionamento do outro lado da Mateus Leme, ligado ao shopping por uma passarela suspensa sobre a via pública com 61 metros de comprimento e 9 metros de altura. Não sei quais condições foram negociadas com a prefeitura para construção da passarela, uma vez que boa parte do espaço (aéreo) que ela ocupa não pertence ao shopping, mas o fato é que a construção do estacionamento e das salas de cinema foram essenciais para garantir a sobrevivência do Mueller, face à construção de vários outros shoppings pela cidade.