quinta-feira, 26 de abril de 2018

O prédio da antiga Relojoaria e Joalheria Raeder









Esse prédio que hoje abriga no térreo um brechó, ocupou o lugar de outro que foi demolido em 1925 com projeto do arquiteto Ludovico Doetch. Nesse prédio funcionou o consultório do Dr. Tobias de Macedo, que dá nome à travessa em cuja esquina com a rua Riachuelo ele se encontra. Ali também já funcionou um dia uma loja de calçados, outra de artigos masculinos e uma quitanda.

Um dos destaques do prédio fica por conta do relógio verde em ferro fundido da sua fachada, trazido da Alemanha pelo Sr. Roberto Raeder quando o novo prédio foi inaugurado em 1937. No antigo prédio desde 1893 a Relojoaria e Joalheria Raeder já funcionava.

Em 1942 Carl Raeder, filho do senhor Roberto, assumiu o negócio que ficou aberto por 111 anos, até 2004. A relojoaria foi fechada no mesmo dia do falecimento do Sr. Carl.

O prédio ainda chama a atenção na Riachuelo e uma curiosidade dele é o seu formato em cunha se observado de cima.

As informações acima foram obtidas no blog Fotografando Curitiba.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Um vendedor de relógios na XV



Estava com amigos na rua Riachuelo e depois de muito fotografar por ali, resolvi por qualquer motivo, ir até a XV para uma curta caminhada.

Passando pela Galeria Lustosa vi esse senhor, sentado num dos bancos da rua, lendo um livro antigo pela cor das páginas e ao seu lado, um pano vermelho estendido com vários objetos sobre ele. Passei olhando e apenas alguns metros depois, voltei e me aproximei dele com óbvias segundas intenções fotográficas.

Passei a observar os objetos e ele notando minha presença, fechou o livro e num forte sotaque espanhol passou a me mostrar os relógios. Tratava-se portanto de um vendedor de relógios de bolso e outros pequenos em formato de animais, que ao apertar as orelhinhas, abria-se para revelar o relógio.

Escolhi uma coruja para presentear minha esposa e ao sacar uma nota de 50, ele pede desculpas e diz que acabara de chegar à Curitiba e que não dispunha de reais, tanto que nem um café pode tomar até então. Me perguntou então se eu aceitaria dólares de troco e fazendo uma rápida conversão, de deu as notas de dólares e agradeceu pois já dispunha de uma nota de reais para suas despesas imediatas.

Infelizmente não sou o tipo de fotógrafo como vários colegas talentosos por aí, que além de fotografar conseguem entrevistar a pessoa, extraindo informações e histórias interessantes. Do meu caro vendedor de relógios sei apenas que recém chegou à Curitiba vindo da Argentina.

terça-feira, 24 de abril de 2018

Antiga Relojoaria e Joalheria Raeder e o Croquis Urbanos





Numa manhã de um belo domingo de sol, o grupo do Croquis Urbanos acomodou-se sob uma sombra na esquina da rua Riachuelo com a Trav. Tobias de Macedo com o objetivo de desenhar o prédio na esquina oposta cujo destaque é um relógio na cor verde contrastando com o amarelo do prédio. Lugar importante e interessante de Curitiba com muita coisa e muita gente para se ver, desenhar e fotografar.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Saldanha Marinho e o USK Curitiba




Uma sequencia de casas na rua Saldanha Marinho no centro entre as ruas Prudente de Morais e Brigadeiro Franco foi o ponto para o encontro do USK Curitiba do último sábado.

A Saldanha Marinho, uma das ruas mais longas de Curitiba, oferece desde a Catedral no centro até o bairro do Campina do Siqueira, uma infinidade de temas para observação e descobertas. Um passeio bem bacana para quem gostaria de ver várias curitibas numa mesma rua.