sexta-feira, 21 de julho de 2017

Círculo, circular, cilíndrico







Circulo, circular, cilíndrico. Essas são as formas que mais se vê nesse prédio singular da paisagem de Curitiba, o Edifício Governador. Nesse dia tive a oportunidade de circular (literalmente) por ele e registrar as fotos que compartilho hoje.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Casinhas de madeira das Mercês


Circulando pelo bairro das Mercês com uma lista de casinhas de madeira na mão feita por um amigo há muito tempo para a prefeitura de Curitiba, no intuito de buscar algum tipo de ação de preservação dessa arquitetura genuinamente curitibana e entregue para mim por um outro amigo, passei casualmente por essa casa.
Em princípio ela não teria nada demais, praticamente sem adornos, telhado com quatro águas, aparentemente tem um anexo na parte de trás. Mas sua posição elevada, o tom azul claro da sua pintura combinando com o portão e o céu, somado ao verde das trepadeiras e árvores, formaram um conjunto bem legal de se ver e fotografar.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ao redor da Praça Osório






Publico hoje mais algumas fotos que fiz da sacada do apartamento de uma amiga diante da Praça Osório.
Apesar da Praça Osório ficar bem no centro quem mora ao seu redor tem uma certa tranquilidade no que diz respeito ao ruído de carros, uma vez que as vias ao redor dela são de baixa circulação de veículos se comparado à outras vias próximas.
Mas esse morador convive com os ruídos da praça que são as pessoas que circulam por ali e praticam esportes, na Osório até mesmo uma conversa pode ser ouvida pelo eco que o paredão de prédios proporciona. Coisas que só quem mora ali sabem bem como é.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Irmãos Campana no MON e o Croquis Urbanos Curitiba





No último domingo estive com o Croquis Urbanos Curitiba no Museu Oscar Niemeyer para visitar, desenhar e fotografar a mostra “Irmãos Campana”, que está instalada na grande sala de exposição do “Olho”.

A ambientação elaborada para a mostra já é uma atração, com iluminação e cenografia que valoriza ainda mais as obras dos designers Fernando e Humberto Campana. A curadoria ficou por conta de Consuelo Cornelsen, apresentando 130 obras.

Segundo o site do MON, “a mostra apresenta obras icônicas, como as poltronas Vermelha (1998), Favela (2003) e Corallo (2003), produzidas pela empresa italiana Edra; além de peças do início da carreira, como as cadeiras da coleção Desconfortáveis (1989); até trabalhos mais recentes, como a inédita linha de móveis Assimétrica (2017), produzida pela Tok&Stok.  Edições especiais representadas por galerias internacionais, incluindo Friedman Benda Gallery e Firma Casa também fazem parte da mostra, assim como outras obras licenciadas por empresas internacionais e nacionais, tais como A Lot of Brasil, Alessi, Edra, Grendene, Lacoste, Lasvit, Louis Vuitton, Skitsch, entre outras.”

O pessoal do Croquis espalhou-se pelo local e apesar da pouca luz para desenhar, foram produzidos belos trabalhos, inspirando inclusive pessoas que apenas estavam passando pela mostra a sentar no chão e também desenhar na companhia dos artistas.

A mostra fica aberta até o dia 20 de agosto e pode ser visitada de terça a domingo, das 10h às 18h. Os ingressos custam R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada). Nas quartas a entrada é franca. Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada gratuita todos os dias.


Para mais informações sobre os Irmãos Campana e seu estúdio, acesse estudiocampana.com.br e para saber mais sobre o que está rolando no MON, acesse http://www.museuoscarniemeyer.org.br