sábado, 31 de dezembro de 2016

A Praça Generoso Marques e o Paço




Mais uma postagem da série de fotos que fiz a partir do alto do prédio da Galeria Andrade. Dessa vez apresento quatro imagens da Praça Generoso Marques.
A primeira num plano bem aberto mostra o Paço da Liberdade em destaque, trazendo também as edificações histórias ao redor da praça e ao fundo, podemos ver as árvores da Praça Tiradentes e o aglomerado de prédios do centro da cidade.
Nas outras fotos, planos fechados da Generoso Marques onde vemos detalhes da torre do Paço, o telhado do Tigre Royal e pessoas fotografando o Paço aos pés do Barão, onde o padrão do calçamento de petit pavê fica bem evidente.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Lava jato a cidade de Curitiba

Disse o novo prefeito eleito de Curitiba, Rafael Greca de Macedo em recente entrevista, que a sua primeira atitude em Curitiba será a de lavar a rua XV de Novembro e depois todas as ruas da cidade e temos que concordar, muitas delas fedem. Disse que fará uma Lava Jato física da cidade.
Quanto aos moradores de rua, citados como moradores informais, disse que fará uma grande acolhida social dessas pessoas.
O que de prático isso resultará, iremos conferir com o passar do tempo e espero que sejam tempos melhores para todos nós.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Arte de portas fechadas

Taí um jeito bacana de espalhar arte pela cidade e ao mesmo tempo, teoricamente, evitar que a porta do seu comércio sofra um pixação. Não sei se todos os grafites espalhados por portas e muros da cidade foram autorizados, mas tenho muita simpatia por eles.
Esse é do Rimon Guimarães e sua arte por ser vista em vários pontos da cidade.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Cadê todo mundo?

Ontem já em casa por volta da 18h30, minha filha aparece e pergunta: "me leva na Vicente?". OK levo! Mas pensei que naquele horário atravessar o centro na ida e na volta seria um porre, uma vez que é o pior horário em termos de trânsito em Curitiba.
Saímos de casa e a cada rua que entrava, ficava mais e mais surpreso com a pouca quantidade de carros na rua apesar do horário.  Será que tanta gente já saiu de Curitiba para os feriados de final de ano apesar desses terem caído em domingos? De qualquer forma, como seria bom se fosse sempre assim!

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Casinha nota 100

Essa casinha toda verde fotografei na caminhada pelo Seminário e Campina do Siqueira. De especial o muro de concreto com vazados em forma de cruz, um bebedouro para beija flor improvisado numa garrafa pet pendurado na varanda e todo o verde da casa, muro e plantas combinando com um céu azul.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Um olhar para Mercês


Do alto temos uma melhor noção da proximidade das coisas. Do alto do prédio da Galeria Andrade fiz essa foto em direção ao bairro das Mercês. Em destaque na primeira, a Torre da Telepar. Na segunda alguns ícones como a torre de 3 igrejas, o dois prédios do Elgson e o Palácio das Telecomunicações.

domingo, 25 de dezembro de 2016

Feliz Natal


Na nossa porta não tem aquelas belas e grandes guirlandas (nada contra elas, diga-se), mas apenas um pequeno Papai Noel de bracinhos abertos dando boas vindas à nossa casa. Esse natal foi mais comedido, como um ano complicado feito esse exige, mas não com menos amor e carinho por quem compartilhou a ceia conosco.

Mesmo que seu dia de natal não seja extremamente farto, que pelo menos seja na medida para bem receber aqueles que ama, compartilhando bons momentos de paz, amor e amizade.

Feliz Natal à todos os amigos que passam por aqui! Grande abraço.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Um sósia do Solar do Rosário no Juvevê


Há muito tempo percebo essa linda casa na Av. João Gualberto na altura do número 1558 e por um bom tempo ela estava sem ocupação e em estado crescente de degradação. Recentemente um grande obra de restauro foi executada e hoje ela está como nas fotos do post de hoje.

A casa lembra (para mim pelo menos) o Solar do Rosário, acrescida do charme de um elemento avarandado de entrada com um telhadinho com lambrequins.

No site do Solar do Rosário temos a seguinte descrição: "de arquitetura eclética porque, como em todas as casas senhoriais do fim do século XIX, havia uma mistura de estilos: colonial português, francês, alemão, acrescido de características neoclássicas como o frontão com suas volutas curvas, janelas e sacadas. Síntese de estilos que retrata o espírito da terra paranaense: acolhedora de todas as etnias, terra de todas as gentes." À exceção da sacada, talvez a descrição do Solar se aplique à essa casa.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Dolce far niente

Véspera de Natal, momento em que os shoppings e mercados estão uma verdadeira loucura, se não de pessoas comprando tanto quanto os comerciantes gostariam, pelo menos de pessoas se aglomerando e olhando tudo.  Mas como esse tiozinho no Passeio Público, pode ser uma época para curtir um "dolce far niente".

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Dobrando a São Francisco


Da sacada da Unidade de Interesse de Preservação onde está instalada a Bella Vivenda na Rua São Francisco fiz uma série de imagens que combinadas numa panorâmica cilíndrica geraram a imagem de hoje que passa a impressão de que a foto foi feita a partir de uma esquina.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Edifícios da Glória

Na foto de hoje algumas edificações importantes de Curitiba. A Catedral, o Ed. Nossa Senhora da Luz (todo laranja), ao fundo o Mirante da Telepar e em destaque as nossas Torres Gêmeas.

As torres na verdade chamam-se Edifícios da Glória, projeto de Luiz Forte Netto e José Maria Gandolfi de 1978 que ficam na Travessa Nestor de Castro.

Um leitor desse blog certa vez comentou que mudou-se para Curitiba e seu sonho era morar nesse prédio e assim o fez. Do alto de uma das torres, disse que a vista é incrível e que de lá curtiu memoráveis pores do sol.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Sob um sol forte

Os dias de sol inclemente chegaram à Curitiba. No último domingo o sol estava de rachar mamona. Passando pela Santos Andrade, achei bacana a cena desse senhor no alto da escadaria da UFPR, protegendo-se à sombra das grandes pilastras e ao mesmo tempo, numa posição privilegiada para observar o movimento todo na praça.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Croquis Urbanos na rua São Francisco


Ontem o encontro do Croquis Urbanos aconteceu na rua São Francisco, num lugar chamado Bella Vivenda. No local você encontra cafeteria, esmalteria, loja de roupas fitness, acessórios, centro de estética, estúdio de pilates, yoga, isso tudo numa casa centenária que é uma UIP.
No local funcionou inicialmente a Papelaria Popular de Max Rösner e Filhos, uma das primeiras do Paraná, aberta no final do século XIX.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Urban Sketchers e a Casa Renaux





Ontem acompanhei o Urban Sketchers Curitiba à um endereço no centro de Curitiba para desenhar um pequeno prédios rua Cândido de Leão ao lado do Ed. Eduardo VII e o Banco do Brasil, a poucos metro da Praça Tiradentes.
O prédio, cuja característica mais marcante são os 672 elementos vazados na sua fachada, é projeto de Rubens Meister (que projetou também o Teatro Guaíra e muito mais) da década de 1950 para a Casa Renaux, uma loja de roupas e tecidos.
Conforme comentário mais abaixo, "esta obra é resultado do primeiro contrato de projeto de arquitetura de Rubens Meister em Curitiba. Meister desenvolvia trabalhos profissionais em Santa Catarina quando, em Curitiba, foi procurado pela filha do empresário e proprietário da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux, de Brusque/SC, para desenvolver este projeto. Segundo Marcelo Sutil e Salvador Gnoato, os honorários recebidos por este projeto possibilitaram financiar o casamento e a lua de mel de Rubens Meister e Heliante Pettersen".
A primeira foto o Fabio Batista compartilhou e é uma publicação de 1952.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Knock knock! Who's there?













Fui convidado para dar uma entrevista para um site chamado Morar em Curitiba para falar um pouco sobre mim, sobre o blog Circulando por Curitiba e sobre a cidade de Curitiba. Creio que vai ao ar no início do ano que vem.

O local escolhido para a entrevista foi um hostel chamado "Knock Knock" que fica na Des. Isaias Bevilaqua no bairro Mercês. O lugar é super descontraído, com vários espaços de convivência. Os quartos são nominados de acordo com estilos musicais e pelas fotos, percebe-se que música é um elemento importante na decoração.

As duas pessoas que estavam cuidando da recepção já dão o tom do lugar: uma mineira recém formada em jornalismo que está trabalhando há três meses em troca de acomodação e alimentação e que está circulando pelo Brasil dessa forma e um jovem alemão nesse mesmo esquema.

A cozinha é um espaço bem legal, super equipada, com um mural enorme onde os que passam por ali deixam recados e recordações.

Disse a Kat (a mineirinha) que o café da manhã é caprichado porque muitos estão ali para fazer provas (concursos, vestibulares) e que o hostel é pé quente.

No terraço encontrei uma barraca que foi deixada por um mochileiro e que serve como uma espécie de toca para quem quer dormir sem os agitos do local.

Achei super interessante entrar mesmo que brevemente, nesse universo de espaços comunitários onde pessoas que viajam o mundo de forma barata se encontram.

Para acessar o site do Knock Knock Hostel, siga esse link.

E para quem não sabe, "Knock knock" é o termo em inglês para definir o som que se faz ao bater numa porta para que essa seja aberta e também, uma brincadeira de criança bem conhecida nos Estados Unidos como os exemplos que seguem:

Knock Knock
Who's there?
Alex!
Alex who?
Alex the questions round here!

Voldemort: Knock Knock
Harry Potter: Who's There?
Voldemort: You Know.
Harry Potter: You Know Who?
Voldemort: Exactly!

source: http://www.jokes4us.com/knockknockjokes/

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Uma casinha simples

No Seminário e num dia muito ensolarado fotografei essa casinha de madeira bem simples em meio a muitas árvores. Se a nossa sexta-feira de hoje não está tão aquecida e ensolarada como na imagem, que pelo menos seja tranquila.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Tristes notícias na São Francisco

Nesses últimos dias a rua São Francisco foi muito falada, mas não pela descontração das pessoas que curtem a noite por ali, mas por um restaurante que foi invadido por traficantes e destruído porque o seu proprietário ousou achar que a São Francisco não deveria ser lugar para esse outro tipo de comércio.
O desenrolar da história foi uma comédia (tragédia talvez fosse mais adequado) de absurdos que terminou com o comerciante fechando seu negócio, falindo e fugindo do país.
A foto de hoje mostra a Praça de Bolso do Ciclista refletida nos vidros de um prédio vizinho.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Um Chaplin dos sapatos

Na rua XV de Novembro quase esquina com a Marechal Floriano fotografei essa pessoa que anunciava as ofertas da loja de sapatos femininos. Em Curitiba sempre foi muito comum pessoas com caixas de som nas calçadas anunciarem os produtos e dessa forma, puxar clientes para o interior das lojas.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Visita guiada à Catedral de Curitiba














No próximo dia 17/12 acontece uma visita guiada na Catedral Basílica de Curitiba focada sobretudo no aspecto histórico do templo e em elementos ligados à arquitetura.

Estive numa dessas visitas com o Croquis Urbanos, quando fiz as fotos que apresento hoje. Posso dizer que é extremamente interessante e nas duas horas que dura a visita guiada, temos uma grande oportunidade para calmamente observar detalhes da Catedral que não se nota com pressa.

A visita é gratuita, porém as inscrições devem ser feitas antecipadamente pelo email catedralcuritiba@gmail.com (informar nome completo, RG e telefone).

Um pouco de história.

Em 1668 uma pequena igreja de pau a pique foi edificada no local com a denominação de Igreja de Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais.

Anos mais tarde, essa pequena construção deu lugar a uma maior, em pedra e barro, denominada Igreja Matriz, que foi concluída em 1721. Essa, por sua vez, foi demolida entre os anos de 1875 e 1880, para que finalmente fosse edificada a atual Catedral, cujos trabalhos ocorreram entre 1876 e 1893.

Em 1894 recebe o título de Catedral, com a posse do primeiro bispo, D. José Camargo.
No dia 7 de junho de 1993, cem anos após sua inauguração, a Catedral foi elevada ao grau de Basílica Menor, em reverência à Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, a santa padroeira da capital paranaense.

A catedral foi construída em estilo neogótico - ou gótico romano - inspirada na Catedral da Sé de Barcelona, na Espanha. As pinturas existentes são dos artistas italianos Carlos Garbaccio e Anacleto Garbaccio.