terça-feira, 30 de abril de 2019

Ensaiando os passos


Acho divertidíssimo observar os muitos grupos de adolescentes que diante dos vidros do MON, exaustivamente ensaiam suas danças. Não sei se essas performances se restringem à esses ensaios e ao MON, ou se os grupos participam de competições ou de apresentações em outros lugares.

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Homens trabalhando




Nesse último sábado o MON estava agitado (como sempre). Do lado de fora, além dos visitantes, funcionários do museu montavam uma grande instalação feita de bicicletas e duas pessoas estavam limpando o grande olho, momentos dessa última atividade que fotografei e publico hoje.

domingo, 28 de abril de 2019

USK Curitiba - encontro 200 no MON






Ontem como já manda a tradição do USK Curitiba, o encontro de número 200 aconteceu no Museu do Olho ou Museu Oscar Niemeyer ou MON. Mesmo que o grupo já tenha ido outras vezes no MON, o grande olho (uma araucária na verdade) domina tanto a paisagem que acaba também dominando os desenhos.

Espero que esse grupo continue sempre na ativa, registrando o seu tempo na cidade de Curitiba, ajudando a preservar a memória da nossa capital.

sábado, 27 de abril de 2019

Travessa Nestor de Castro e os Edifícios da Glória


De uma das janelas onde está instalado o painel do Poty no Largo da Ordem fiz essa foto da Travessa Nestor de Castro. Em primeiro plano os pontos de ônibus e os telhados dos comércios que acompanham os pontos até a rua do Rosário. Ao fundo, as nossas Torres Gêmeas, os Edifícios da Glória, projeto de Luiz Forte Netto e José Maria Gandolfi de 1978.

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Uma edificação de madeira diferente


Já fotografei muitas casas, comércio e até igreja de madeira em Curitiba e região, mas essa que publico hoje é realmente diferente de tudo que já vi na nossa cidade. O local é um bar ou uma fábrica de cerveja (possivelmente os dois) no Bacacheri, mas especificamente na rua Valparaízo. A inspiração acredito eu, foram os celeiros de madeira americanos. Ainda não conheço o local por dentro, espero em breve satisfazer essa curiosidade.

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Do terraço do Cine Passeio


Ontem à tarde consegui subir ao terraço do Cine Passeio na esquina da Carlos Cavalcanti com a Riachuelo no Centro. Como esperava, a vista de lá é muito boa, sendo possível observar a rua Riachuelo quase que inteira e do outro lado, o Passeio Público. Hoje publico essa panorâmica e com o tempo outros detalhes.

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Sob o olhar de Leminski


De cima fiz a foto da escadaria que liga o Largo da Ordem à rua José Bonifácio que leva o nome de Galeria Julio Moreira, mais conhecida como galeria do TUC. Na escadaria do lado do Largo, alguns grafites e dentre eles, um de Paulo Leminski, que ficou de olho no fotógrafo.

terça-feira, 23 de abril de 2019

Curitiba até debaixo d'água


O outono vai avançando, o frio velho amigo da cidade vai se instalando e mais dias fechados vão sendo observados na nossa cidade. Nesse dia da foto, além de um pouco frio, chovia. Propositalmente deixei o limpador de parabrisa desligado e assim que o semáforo ficou verde, fiz a foto.
Fica aqui o pequeno teste para os que conhecem a cidade: sabem onde a foto foi feita?

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Memorial do Rio Iguaçu e o Croquis Urbanos











Fui com o pessoal do Croquis Urbanos Curitiba conhecer um prédio que via apenas de longe quando me dirigia ao Aeroporto Afonso Pena, o Memorial do Rio Iguaçú.

O parque que foi "inaugurado" em 2012 quando estava ainda inacabado como uma homenagem ao centenário da imigração japonesa para o Brasil, ficou por anos fechado e sem destino definido. No dia 29/03/2018 o parque foi definitivamente inaugurado com o nome de "Memorial do Rio Iguaçu" sob os cuidados da SANEPAR.

O memorial tornou-se um centro de educação ambiental para a sustentabilidade, com ações dirigidas a estudantes e à comunidade em geral. Com uma área de 301,4 mil metros quadrados, o parque conta com um edifício central projetado pelo arquiteto Luiz Hayakawa, três quilômetros da ciclovia e um campo de futebol oficial. O memorial ainda tem sala multimídia e um auditório para 120 pessoas, onde serão promovidos cursos de capacitação para a comunidade, além de palestras e eventos voltados à temática ambiental. Fonte: site da Tribuna do Paraná.

domingo, 21 de abril de 2019

Páscoa 2019


Encontrei esse rapaz e seu coelhinho de estimação no Passeio Público e disse ele que o coelho já estava cansado de brincar no gramado e correr por tudo.

Aproveitando a imagem do coelho, FELIZ PÁSCOA!

sábado, 20 de abril de 2019

Uma casinha de madeira na México



Fui à rua México para conhecer uma casinha de madeira que recebe hoje um atelier bem interessante, mas a incidência do sol nessa outra casinha do outro lado da rua também chamou minha atenção. As sombras da luz dura do sol deixou a casa mais fotografável, incluindo o simpático murinho baixo de concreto. Sob a casa, as telas de arame para evitar que pequenos e grandes animais se aninhem.

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Noivas e burgers



Chegando de carro na esquina da rua Fernando Amaro com a Padre Germano Meyer percebi um pequeno grupo de noivas sendo fotografado. Não sei se era um ensaio de noivas ou se era algum tipo de peça publicitária para casa de hambúrguer.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Uma coleção de lambrequins


Estive no escritório do amigo, arquiteto e autor de muitos (muitos) livros Fábio Domingos Batista, para buscar o meu exemplar de mais um livro fantástico, dessa vez focando na vida e obra do grande Rubens Meister. Vou falar mais desse livro oportunamente.

Hoje quero destacar a pequena coleção de lambrequins que o Fábio mantém no escritório. Podemos perceber que há uma boa variação de tipologia nessa pequena coleção, que foram obtidos de reformas conduzidas pelo escritório ou em garimpagem pela cidade.

Ao contrário do que muitos pensam, os lambrequins não têm relação direta com qualquer etnia de imigrantes. Numa determinada época havia uma legislação que pedia o uso de lambrequins em casas de madeira. Como os imigrantes viviam em casas de madeira pelo baixo custo da madeira e abundância e como muitos desses eram poloneses, essa associação equivocada acabou sendo estabelecida.

Parece que a UFPR teria uma grande coleção desses ornamentos, mas infelizmente nunca os vi e nem sei se estariam expostos em algum lugar.

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Uma panorâmica do Largo da Ordem


Fui no escritório de um amigo arquiteto que fica no Largo da Ordem, especificamente no prédio onde está instalado um dos painéis de azulejos do Poty, para buscar um livro fabuloso dedicado ao grande Rubens Meister.

Como estava com a câmera, não poderia deixar passar a oportunidade de fotografar as vistas da região a partir das janelas do escritório. A foto de hoje é uma panorâmica do Largo da Ordem até a Praça Tiradentes ao fundo.

Deve ser incrível trabalhar dentro um prédio inserido na área com o maior peso histórico de Curitiba.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Fale com Maria e fotografe as imediações




Ontem tive o grande prazer de ser entrevistado pela Maria Rafart em seu programa Light News que acontece sempre das 07:00 as 09:00 na Transamérica Light nos 95,1MHz do seu radinho!

Quando chegava aos estúdios por volta das 06:40 eu percebi ali do lado duas casinhas de madeira e no fim da Amauri Lange Silvério um imponente pinheiro com os tons do amanhecer atrás dele. Cenas devidamente registradas e postadas aqui hoje.

É sensacional ver o domínio que  Maria tem, com o apoio da Karina, de tudo que acontece e de tudo que tem que acontecer durante o programa. Tocar um programa de Rádio não é para qualquer pessoa, exige agilidade, poder de comunicação fora do comum, capacidade latente de improviso e nesse caso, muito bom humor.

Falamos principalmente das casinhas de madeira de Curitiba e do meu livro "Saudade do Ninho", que se alguém quiser dar de presente de páscoa (veja bem, não engorda) pode encontrar em várias livrarias e também em venda direta no site da Editora InVerso clicando aqui.

Agradeço à Maria e Karina pela gentil acolhida e pela oportunidade de falar um pouquinho dessa importante manifestação da cultura curitibana que são as nossas lindas casinhas de madeira, que cedo ou tarde, estarão basicamente apenas nas memórias e em fotografias.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Duas exposições simultâneas



Quando comecei meu blog dedicado à Curitiba há quase 10 anos, publicando diariamente uma foto de minha autoria, criando uma espécie de diário da minha relação com essa cidade que tanto amo, não imaginava todas as coisas boas isso me traria, como ter a honra de ter duas exposições acontecendo simultaneamente em dois locais tão especiais.

Na linda casinha de madeira do Iphan recém transformada em local expositivo, permanece até junho a exposição referente às casinhas de madeira que venho fotografando há anos e que foram reunidas no livro "Saudade do Ninho".

No Solar do Barão, permanece até setembro as exposição "Volta ao Centro Histórico em 80 dias", projeto que tive o prazer de fazer o registro fotográfico.

Duas lindas exposições, dois locais incríveis e icônicos, que mais um fotógrafo pode querer?

domingo, 14 de abril de 2019

Uma casinha de madeira no Bacacheri


Próximo de onde moro sempre passava por um anúncio de rua que dizia que há poucos metros daquele cruzamento, há um lugar onde se vende cerveja artesanal. Numa tarde dessas resolvi descer a rua e além de encontrar uma espécie de galpão meio estilo americano onde a cerveja é vendida (que estava fechado), encontrei na mesma rua essa linda casinha de madeira com seu belo murinho de elementos vazados e seu pequeno jardim muito bem cuidado. As vezes é bom sair do piloto automático e encontrar uma bela imagem como essa lhe esperando,

sábado, 13 de abril de 2019

Viaje por Curitiba no Solar do Barão
















Ontem abriu no Solar do Barão a exposição "Volta ao Centro Histórico em 80 dias", com lindos desenhos (emoldurados e nas mesas) dos amigos Fabiano, Raro e Simon e com várias fotos minhas, sendo uma delas, a maior impressão de foto minha já feita até hoje e que foi o sucesso da noite, mostrando os viajantes do centro histórico em tamanho natural, onde todos puderam fotografar-se com eles.

Como podem ver pelas fotos, a casa estava cheia e a exposição está incrível, merecendo várias visitas de tanta coisa para se ver, analisar, matar saudade!

A exposição ficará até setembro/19, portanto, bastante tempo para ir e ir novamente! Avisem os amigos e a todos que amam Curitiba.