terça-feira, 31 de outubro de 2017

A arte é o domingo da vida



Numa ida ao MON fotografei essa obra flutuando no lago. Parece uma criança ou um bebê vermelho sobre uma fonte. Não encontrei no site do MON referências sobre a autoria da obra (que são duas na verdade), mais uma no gramado.
O título do post, que encontrei casualmente na internet e de tão intrigante, me levou à uma bela matéria de José Carlos Fernandes na Gazeta do Povo.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Lá vem o seu Rubens



Estava lá na Boca Maldita fotografando os prédios e as pessoas interessantes que sempre passam por ali quando percebi um senhor elegantíssimo vindo na minha direção. Tentei disfarçar a direção da câmera e fiz a foto. Quando chegou ao meu lado ele perguntou: "Saí na foto?". Disse que sim e mostrei o quanto ele estava bonitão.
O nome dele é Rubens, disse que nasceu em Capinzal em SC. Confirmei perguntando se era a cidade ao lado de Ouro. Disse então que na verdade nasceu em Ouro, mas diz Capinzal por seu mais conhecida. Está em Curitiba há 60 anos (desde 1957 portanto), viu Curitiba crescer e modificar-se e andar de bonde era o jeito de circular por Curitiba naquela época.

domingo, 29 de outubro de 2017

Urban Sketchers Curitiba no Mercado Municipal




A agenda do USK Curitiba é sempre definida alguns dias antes do encontro semanal aos sábados e por isso, a previsão do tempo é sempre algo a ser considerado. Nesse sábado a previsão era de chuvas e trovoadas de proporções bíblicas e por isso, o encontro foi marcado na segurança do Mercado Municipal, que sempre oferece abrigo e assuntos variados.
O dilúvio virou um sol de rachar, mas lá estivemos. Por causa do sol, muitos espalharam-se também do lado de fora, motivo pelo qual (além da preguiça), fotografei apenas o grupo que estava na clareira do mercado. Mas no final, todos apareceram e pude então fotografar os desenhos do dia.

sábado, 28 de outubro de 2017

Nova dobradura na Rua XV


O programa que uso para fazer panorâmicas gera resultados normalmente divertidos para mim. Normalmente me posiciono num ponto bem ao centro da panorâmica, executo três ou quatro imagens, as trato igualmente e dou o comando para mesclar as fotos. Nesse caso de hoje, fiz fotos que representam 180 graus de onde eu estava, no meio da rua XV olhando em direção à Santos Andrade.
A panorâmica resultante cria dobraduras na paisagem que passam a existir apenas na imagem, o que me agrada muito.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Tai Chi no Jardim


Circulando pelo Jardim Botânico para fotografar uma pequenina pessoa da família, passei por esse pessoal que estava praticando Tai-Chi entre as árvores. Os observei e fotografei por um tempo. Penso que não atrapalhei (muito) a concentração que a atividade demanda.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Acontece na Biblioteca Pública do Paraná





Muita coisa está acontecendo na Biblioteca Pública do Paraná nesses dias, como pude constatar no dia em que lá estive para ver a exposição de miniaturas do amigo Fabiano Fausto. Uma vez na biblioteca, descobri que está rolando a FLIB, Festa Literária da Biblioteca Pública do Paraná, com uma extensa programação que você pode conferir aqui e que acontece até o dia 28/10.

No hall de entrada, como parte da programação da FLIB, encontrei o poeta Alvaro Posselt, com quem bati um belo papo e de quem adquiri dois belíssimos livros com hai-kais (um deles com ilustrações do Tako).

Quanto à mostra do Fabiano, essa permanece no segundo andar da BPP até o dia 06/11. Com o título de “Memórias em Miniatura”, a mostra foi inspirada pelas memórias de infância do artista, como lugares abandonados e cenas cotidianas de grandes e pequenas cidades, a exposição apresenta miniaturas de diversos cenários da capital paranaense.

Não deixe de aproveitar tudo que a BPP está oferecendo e de quebra, tenha o privilégio de frequentar um dos ícones da nossa arquitetura.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Croquis Urbanos na Boca Maldita




Em parceria com as pesquisadoras Elizabeth Amorim e Zulmara Posse, autoras de vários livros sobre a arquitetura paranaense, o Croquis Urbanos de Curitiba esteve no último domingo na Boca Maldita, onde o desafio seria o de desenhar os grandes prédios da região, que apoiarão uma nova publicação sobre a história da arquitetura de Curitiba. Creio que a parceria irá ainda estender-se por outros encontros.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

USK Curitiba, o Solar do Barão e os 35 anos da Gibiteca




No último sábado o encontro do USK Curitiba aconteceu no Solar do Barão, onde está a Gibiteca, que está completando 35 anos de existência. Muitas atividades estava acontecendo ao mesmo tempo, RPG, concurso de cosplay, venda de quadrinhos, exposições da Bienal e completando, o Usk Curitiba desenhando tudo.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Um ponto de vista diferente na Av. Luiz Xavier


Ontem estive na Boca Maldita acompanhando o pessoal do Croquis Urbanos e além de fotografar o pessoal, aproveitei logicamente para fotografar as pessoas e os prédios dessa região que tanto gosto.
Ali bem no meio da Avenida Luiz Xavier, fiz uma série de fotos desde o topo do Tijucas até os petit pavés da XV. Juntando tudo, deu essa imagem no mínimo divertida.

domingo, 22 de outubro de 2017

Um casarão na General Carneiro



Quando estive com o USK no Alto da XV no encontro do Ave Lola, um dos desenhistas preferiu focar sua atenção sobre essa bela casa na Rua General Carneiro. A casa totalmente fechada talvez indique que esteja ocupada por uma empresa.
A casa traz na sua fachada algumas referências como o enxaimel alemão e as missões espanholas.

sábado, 21 de outubro de 2017

O beijo de Chaplin


Estive no sábado passado no Jardim Botânico e num prédio bem de frente para a entrada do parque há um grande grafite que toma toda a lateral. Uma rápida pesquisa na internet revelou que trata-se da cena final do filme The Gold Rush de 1925, filme que tem a antológica cena dos pãezinhos bailarinos.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

A volta da Esquadrilha da Fumaça













No último domingo (15) aconteceu o Festival Aéreo do Aeroclube do Paraná, no Aeroporto do Bacacheri. A atração mais esperada nesse dia do evento foi o show da Esquadrilha da Fumaça.

A demonstração do grupo da Força Aérea Brasileira (FAB) foi a primeira em Curitiba desde 2012. O hiato aconteceu porque o esquadrão fez uma pausa em suas atividades públicas para se dedicar ao treinamento com os Super Tucanos — modelo que a Esquadrilha passou a usar somente em 2013, depois de 30 anos usando o outro modelo, o Tucano. As demonstrações foram retomadas em 2015.

Da minha casa, que fica muito perto do aeroporto do Bacacheri, fotografei algumas manobras. Infelizmente o diz estava nublado e o teto muito baixo, motivo pelo qual a apresentação teve que ser mais horizontal do que vertical e sem o céu azul para marcar ainda mais a tradicional fumaça que é solta dos aviões. De qualquer forma é sem um espetáculo ver manobras tão complexas serem executadas com tanta exatidão. São realmente feras da aviação!

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Pessoas no MON


Tão legal quanto ou talvez até mais legal do que as exposições do MON é circular pelo museu e ver todas as pessoas interagindo com as obras (gostando ou não delas), terminando por tornarem-se parte das exposições.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Casa de madeira no São Lourenço



Essa casinha de madeira fica na rua João de Lara no Bairro São Lourenço. Apesar de não estar muito longe do centro, seu jeito simples, de muros baixos, janelas abertas e cercada de árvores, passa a impressão de estamos numa região periférica de Curitiba.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Nesses dias no MON


Várias exposições estão acontecendo na cidade por conta da Bienal de Curitiba e várias delas, no Museu Oscar Niemeyer. No momento mais de seis exposições que vão de uma retrospectiva do Salão Paranaense, de uma exposição de fotografias de um mestre japonês, uma coletiva de arte moderna chinesa e muito mais. Não perca.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Ave Lola


A Ave Lola Espaço de Criação é um local onde artistas inquietos sonham e trabalham juntos por um fazer artístico poético e humano inserido no seu tempo histórico.
A equipe multidisciplinar da Ave Lola é formada por profissionais das áreas de teatro, audiovisual e música os quais mantêm uma relação amorosa com a arte. É um grupo de pessoas que busca preservar a noção de coletividade por meio de um trabalho realizado em equipe.

A Ave Lola reúne pessoas comprometidas com um diálogo poético com a sociedade civil, acreditando ser o belo um direito do ser humano. Nesse sentido, tem desenvolvido um competente trabalho nas áreas de desenvolvido um competente trabalho nas áreas de teatro, formação em artes e audiovisual, conquistando a cada dia maior reconhecimento público.

Em sua sede a Ave Lola possui uma sala de teatro onde realiza temporadas de suas produções teatrais, exposições e oficinas além de receber companhias do Brasil e do mundo que dialoguem com sua linguagem. Fonte e para saber mais: http://www.avelola.net.br

domingo, 15 de outubro de 2017

USK Curitiba no Ave Lola




Ontem o Usk Curitiba reuniu-se na nova sede do Ave Lola, um espaço de criação artística, na Av. Marechal Deodoro, 1227. Em princípio um pouco de frio e garoa porque estávamos do lado de fora, mas logo nos deram acesso ao interior da casa, onde além de abrigo, café e simpatia, as possibilidades de fotos mais interessantes aumentaram.
Hoje apresento os mosaicos do pessoal desenhando e dos desenhos, amanhã mais fotos do local e um pouco do que lá fazem.

sábado, 14 de outubro de 2017

41 Selfies


Ontem estivemos no MON para ver uma série de exposições. Em postagens futuras mostrarei um pouco do que encontramos lá, inclusive a exposição "Memória e Momento - Salão Paranaense" que traça uma retrospectiva desse importante evento cultural de Curitiba desde 1944 até hoje.

Por hora fica a foto que fiz diante dessa obra que faz dezenas de selfies pelo preço de uma.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

O nosso Confúcio




Há três métodos para ganhar sabedoria: 
primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; 
segundo, por imitação, que é o mais fácil; 
e terceiro, por experiência, que é o mais amargo.
Confúcio

Primeira obra chinesa de grande porte a fazer parte do patrimônio brasileiro, a estátua do filósofo Confúcio (551a.C - 479a.C) doada pelo governo da China chegou em Curitiba no último dia 26/09.

A obra foi esculpida pelo artista chinês Wu Wei Shan, que também é diretor do Museu Nacional de Arte da China. Seu discípulo e ajudante na concepção da obra, Li Ji Fei, acompanhou a entrega da obra e afirmou que ela representa uma "ponte" entre Curitiba e a China.

A estátua tem 1,5 tonelada e já está instalada no agora nominado Largo da China, na rotatória ao lado da Praça Rio Iguaçu, no Centro Cívico.

A doação da estátua faz parte da celebração da Bienal de Curitiba que terá a China como país homenageado. O diretor geral da Bienal de Curitiba, Luiz Ernesto Meyer Pereira, lembra que o evento será a maior exposição de arte chinesa da América Latina.

Na época da doação houve um certo rumor de que essa estátua doada à Curitiba seria uma outra do mesmo artista que sumiu da Praça da Paz Celestial na China, mas as estátuas são diferentes. A que está em Curitiba foi criada em 2014, bem depois do sumiço da sua sósia em 2011. A de Curitiba tem 2,96 metros de altura, contra mais de 9 metros da escultura que sumiu da praça chinesa. Em um olhar mais atento, a obra que foi doada à capital paranaense tem linhas mais circulares, e barbas, cabelos e mãos totalmente diferentes da estátua de 2011, que prima por uma forma mais geométrica. (Fontes: Prefeitura de Curitiba e Gazeta do Povo).

A despeito da suposta Confucion, a agora nossa estátua ficou bem bacana onde está e percebe-se que ela está virada para o belíssimo mural do Rogério Dias ali do lado.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Dia da padroeira do Brasil



Quando criança sempre achei confuso o tanto de nome de santas que existem e mais ainda, quando descobri que a maioria deles se referiam à Maria, mãe de Jesus.

O que eram todos aqueles títulos, imagens e roupas dessa santa que é a mesma, mas que se apresenta nas imagens como se fossem várias?

Hoje além do dia das crianças e meu aniversário (motivo dos fogos que hoje se ouve aqui e ali), também é dia de Nossa Senhora da Aparecida, padroeira do Brasil e dia que se comemora os 300 anos do dia em que pescadores encontraram a imagem tão venerada, que hoje se encontra no maior templo do mundo em homenagem à ela, que fica em Aparecida do Norte (SP),  onde hoje espera-se mais de 300 mil pessoas a visitar o santuário.

Ouvi há pouco que a imagem que naturalmente tornou-se um símbolo espontâneo de fé católica no Brasil, passou a ser venerada antes mesmo do termo brasileiro ser oficialmente utilizado.

Voltando aos títulos, parece que existem mais de 50, sendo os mais antigos: Cheia de Graça (Gratia Plena), Virgem (Virgo), Mãe de Deus (Mater Dei), Estrela do Mar (Stella Maris), Senhora (Domina), Santa Maria (Sancta Maria), Rainha do Céu (Regina Coeli ou Caeli).

Publico hoje duas fotos da estátua de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, padroeira de Curitiba, que fica ao lado da nossa Catedral e a seguir, algumas das denominações de Maria:

Nossa Senhora da Abadia, Nossa Senhora Achiropita, Nossa Senhora d'Aires, Nossa Senhora da Ajuda, Nossa Senhora do Alívio, Nossa Senhora do Amparo, Nossa Senhora dos Anjos, Nossa Senhora da Anunciação, Nossa Senhora Aparecida, ou da Conceição Aparecida, Nossa Senhora da Apresentação, Nossa Senhora da Arábia, Nossa Senhora da Assunção, Nossa Senhora dos Alagados, Nossa Senhora Auxiliadora, Nossa Senhora Aparecida da Babilônia, ou da Aparecidinha, Nossa Senhora de Banneux ou dos Pobres, Nossa Senhora do Belém, Nossa Senhora da Boa Hora, Nossa Senhora da Boa Morte, Nossa Senhora da Boa Nova, Nossa Senhora da Boa Viagem, Nossa Senhora do Bom Conselho, Nossa Senhora do Bom Despacho, Nossa Senhora do Bom Parto, Nossa Senhora do Bom Socorro, Nossa Senhora do Bom Sucesso, Nossa Senhora do Brasil, Nossa Senhora das Brotas, Nossa Senhora da Cabeça, Nossa Senhora do Carmo da Boa Esperança, Nossa Senhora da Luz, das Candeias ou da Candelária, da Apresentação e da Purificação, Nossa Senhora de Caravaggio, Nossa Senhora do Carmo, do Monte Carmelo, Nossa Senhora da Carpição, Nossa Senhora de Ceuta ou do Bastão, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora da Consolação, Nossa Senhora de Copacabana, Nossa Senhora da Correia, Nossa Senhora dos Desamparados, Nossa Senhora Desatadora de Nós, Nossa Senhora do Desterro, Nossa Senhora Divina Pastora, Nossa Senhora da Divina Providência, Nossa Senhora do Divino Amor, Nossa Senhora das Dores (ou da Piedade/da Soledade/ das Angústias/ das Lágrimas/ das Sete Dores/ do Calvário/ do Pranto), Nossa Senhora da Encarnação, Nossa Senhora da Escada, Nossa Senhora da Esperança, Nossa Senhora da Estrela, Nossa Senhora das Estrelas, Nossa Senhora da Família, Rainha da Família, Nossa Senhora de Fátima, do Rosário de Fátima, Nossa Senhora da Fé, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora Gospa Mira, Nossa Senhora da Graça, Nossa Senhora das Graças ou da Medalha Milagrosa, Nossa Senhora de Guadalupe, Nossa Senhora da Guia, Nossa Senhora das Lágrimas, Nossa Senhora da Lampadosa, Nossa Senhora da Lapa, Nossa Senhora do Leite ou da Lactação, Nossa Senhora do Líbano, Nossa Senhora do Livramento, Nossa Senhora do Loreto, Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora de Lujan, Nossa Senhora da Luz, Nossa Senhora Madre de Deus, Nossa Senhora Mãe da Igreja, Nossa Senhora Mãe dos Homens, Nossa Senhora das Maravilhas, Nossa Senhora dos Mares, Nossa Senhora dos Mártires, Nossa Senhora Medianeira, Nossa Senhora de Međugorje, Nossa Senhora Menina, Nossa Senhora das Mercês, Nossa Senhora dos Milagres, Nossa Senhora da Misericórdia, Nossa Senhora do Monte,Nossa Senhora do Montserrat, Nossa Senhora de Muquém, Nossa Senhora da Natividade, Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora de Nazaré, Nossa Senhora das Neves, Nossa Senhora do Ó, Nossa Senhora da Oliveira, Nossa Senhora do Parto, do Bom Parto, Nossa Senhora do Patrocínio, Nossa Senhora da Paz ou Rainha da Paz, Nossa Senhora da Pena, Nossa Senhora da Penha, Nossa Senhora da Penha de França, Nossa Senhora de Pentecostes, Nossa Senhora da Purificação, Nossa Senhora Peregrina, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora de Pompeia, Nossa Senhora da Ponte, Nossa Senhora Porta do Céu, Nossa Senhora do Porto, Nossa Senhora do Povo, Nossa Senhora dos Prazeres, Nossa Senhora do Presépio, Nossa Senhora Rainha, Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, Nossa Senhora Rainha do Céu, Nossa Senhora Rainha dos Homens, Nossa Senhora Mãe, Rainha e Vencedora Três vezes Admirável de Schoenstatt, Nossa Senhora dos Remédios, Nossa Senhora do Rocio, Nossa Senhora da Rosa Mística, Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora do Sagrado Coração, Nossa Senhora da Salete (em francês: de la Sallete), Nossa Senhora da Saudade, Nossa Senhora da Saúde, Nossa Senhora Salvação do Povo Romano, Nossa Senhora do Sion, do Sião, Nossa Senhora da Soledade, Nossa Senhora do Trabalho, Nossa Senhora do Terço, Nossa Senhora das Virtudes, Nossa Senhora da Visitação, Nossa Senhora da Vitória, Nossa Senhora das Grotas. (Fonte: Wikipedia).

Por fim, gostaria de comentar que ter nascido no dia de Nossa Senhora Aparecida por pouco não acrescentou o nome Aparecido ao meu, como sugeriu o padre no dia do meu batismo. Felizmente minha mãe acho que Washington Aparecido era meio demais para mim. Ufa!

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Uma casa e sua ponte



Quando estive no Abranches para fotografar o restaurante Casa Velha, ao lado logo percebi a casa que publico hoje. A casa chama a atenção pelo seu jogo de telhados, uma arco na varanda, mas principalmente por uma ponte (digamos assim) feita como antigamente com cacos formando um mosaico vermelho com algumas peças coloridas aqui e ali.
Quase na calçada, ajoelhado no jardim, um senhor que penso ser o proprietário da casa, cuidava do jardim.