segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Cadê os carros??

Uma leitora desse blog comentou que estaria vindo para Curitiba para passar virada do ano e me perguntou o que acontece na cidade nessa época do ano. Bom, a resposta mais certeira seria "nada"! E não vejo isso como algo negativo (pelo menos para mim). A cidade passa a ter um trânsito MUITO mais tranquilo e não raro, como fotografei na manhã de hoje para esse mosaico, você pode passar por várias e várias ruas, normalmente tomadas de carros, totalmente vazias.
Obviamente os carros não evaporaram e quem está no litoral do Paraná, certamente sabe para onde foi boa parte desses carros!
Aproveite bem esse último dia do ano, seja na tranquilidade de Curitiba ou na muvuca que deve estar as nossas praias!

domingo, 30 de dezembro de 2012

A casa de madeira ausente na Rua Dr. Zamenhof

Foto de Lina Faria

Foto de Marcelo Elias/Gazeta do Povo

Essa é possivelmente a mais notável casa em madeira já construída em Curitiba. Não sei se o interesse por Esperanto de seu construtor, o contador Augusto Gonçalves de Castro, aconteceu depois dele ter adquirido o terreno na Rua Dr. Zamenhof ou se ele buscou essa rua para seu endereço justamente pelo seu já adquirido interesse pela lingua universal.
A casa é conhecida como a "Casa da Estrela" não por acaso. Nela a estrela de 5 pontas era recorrente por ser um dos símbolos do esperanto (5 pontas representam os 5 continentes) e era pintada de verde por ser esse mais um símbolo do esperanto.
A casa já não está mais na R. Dr. Zamenhof. Para que fosse protegida, ela foi doada pelos seus herdeiros, foi desmontada (como mostra o início desse trabalho em 2006 na segunda foto postada hoje) e espero, em breve será re-inaugurada em seu novo endereço, onde a fotografei já lindamente restaurada, quando pretendo fazer um novo post sobre ela, contando outras histórias.
Enquanto isso não acontece, segue um pouco da história do homem que dá nome à rua onde ela foi construída.
Ludwik Lejzer Zamenhof ou aportuguesando Lázaro Luiz Zamenhof ou abrasileirando Ludovico Zamenhof, nasceu na cidade de Bialystok em 15/12/1859, na época pertencente ao Império russo, mas atualmente pertence à Polônia e faleceu na cidade de Varsóvia em 14 de abril de 1917. Foi um oftalmologista e filólogo judeu polonês. Criador do esperanto, a língua artificial mais falada e bem sucedida no mundo. Seus idiomas nativos eram o russo, iídiche e polonês, mas ele também era fluente em alemão. Posteriormente aprendeu francês, latim, grego, hebraico e inglês além de se interessar por italiano, espanhol e lituano. Na época, falavam-se várias línguas em Bialystok, gerando muitas dificuldades de compreensão entre as diversas culturas. Isto motivou Zamenhof a buscar uma solução para o problema, e durante anos, foi desenvolvendo o esperanto em um processo longo e trabalhoso. Continuou com os seus esforços apesar de que no ano 1879 ter aparecido o Volapük, que era um projeto de língua internacional criado por Johann Martin Schleyer e que desapareceu depois do lançamento do esperanto. Zamenhof havia aprendido o Volapük, mas os defeitos dessa língua o motivaram a prosseguir com os seus planos. Finalmente, no ano 1887 e com a ajuda econômica de seu cunhado, logrou publicar um pequeno manual intitulado Internacia Lingvo ("Língua Internacional", em esperanto) com pseudônimo de Doutor Esperanto, palavra que acabou por se converter no nome de sua criação.
Espero que a fotógrafa Lina Faria (que tem o blog http://naftalina55.blogspot.com.br/) e a Gazeta não se incomodem por eu usar as suas imagens, devidamente creditadas.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Praça Espanha enfeitada


A Praça Espanha, epicentro do Batel Soho, está toda decoradas para o período das festas de final de ano. Fotografei na luz do dia, mas imagino que à noite com as luzes acesas, o efeito provavelmente deve ser bem melhor.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Rua São Francisco revitalizada

Alvo constante de reclamações devido aos prédios pichados, imóveis depredados e presença de usuários de drogas, o Centro Histórico de Curitiba dá hoje mais um passo para deixar alguns destes problemas para trás. A Rua São Francisco foi reinaugurada depois de quatro meses de obras de revitalização. A reforma da Rua São Francisco tem a intenção de incentivar a circulação de pessoas e movimentar o comércio. Para o arquiteto do Instituto de Pesquisas e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Mauro Magnabosco, responsável pela revitalização, a reforma da Rua São Francisco está dentro de um conceito implantado desde 2005, que prioriza a acessibilidade para o pedestre.
Fonte: Gazeta do Povo

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Casas de madeira de Curitiba 79


Passei por acaso em frete à essa linda casa de madeira, tão por acaso que não me lembro em qual rua ela fica. Sei que não é longe do Alto da XV, podendo ser portanto no Hugo Lange, no Cristo Rei ou mesmo no Alto da XV.
A Elis, leitora desse blog, informa que essa casa fica na rua Fernandes de Barros, 1453 - Hugo Lange, quase esquina com a Augusto Stresser. Além de linda, a casa está muito bem localizada!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Pessoas comuns e incomuns de Curitiba 109





Natal em Curitiba, especialmente no centro da cidade e nos dias das apresentações do Coral do Palácio Avenida, é sinônimo de aglomeração de pessoas e mais pessoas de todos os tipos, vindas de todos os lugares. Felizmente tudo é sempre muito civilizado! O aperto é grande, o calor é enorme, mas o respeito impera.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Feliz Natal!

Aos que comemoram o Natal, desejo um Feliz Natal junto às pessoas que mais ama. Aos que não comemoram, desejo um bom feriado, com muito descanso e pouco movimento na rua!
Grande abraço a todos!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Natal do Palácio Avenida - O Coral e o Palácio






O coral de Natal do Palácio Avenida foi nesse ano, alvo de investigação do ministério público do trabalho, falou-se até em extinção desse que é o maior espetáculo do Natal em Curitiba. Nesse ano, cheguei uma hora antes da última apresentação e mesmo assim não consegui os melhores lugares (onde ambas as fachadas são visíveis), a quantidade de pessoas era de assustar, o calor era intenso e o cansaço enorme, mas tão logo as janelas se abrem e as crianças começam a cantar, você compreende porque essa tradição de Curitiba não pode deixar de existir. É emocionante mesmo para quem tem a oportunidade de assistir todos anos. Foram menos espetáculos e mais curtos, mas não importa, ele foi mantido e nesse ano convidou: "Venha Sonhar com a Gente". 

domingo, 23 de dezembro de 2012

Natal do Palácio Avenida - platéia especial





O coral de Natal do Palácio Avenida é sem dúvida alguma a maior atração do Natal em Curitiba e talvez, a mais famosa do Brasil. Nesse ano resolvi assistir novamente o espetáculo, que apesar do aperto que fiquei, foi bem bonito. Lá no alto do Palácio Avenida as crianças são os protagonistas e cá embaixo, elas são igualmente importantes, sempre nos ombros dos pais, com seus olhos vidrados em tudo.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Natal 2012 - Galeria de Luzes





Uma das principais atrações natalinas de Curitiba, a Galeria de Luz foi acesa na noite do dia 04/12. A Galeria é formada por 50 mil lâmpadas coloridas, que compõem um corredor, no meio da Rua XV de Novembro, mesmo local onde ocorrem as apresentações do Coral do Palácio Avenida.
Os arcos foram desenhados pelo artista italiano Valerio Festi. Este é o segundo ano consecutivo que eles são montados. Dessa vez, conforme o artista, os desenhos criados são mais impactantes que em 2011. Segundo Festi, a ideia dos arcos em perspectiva é inspirada em um desenho feito por Leonardo Da Vinci. Música ambiente compõe a obra, que continuará na Rua XV de Novembro até 31 de dezembro.
Fonte: portal G1

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pessoas comuns e incomuns de Curitiba 108


Essa galera estava na Praça Garibaldi num domingo de feirinha e de um belo dia de sol, fazendo um som. Muito interessante o rapaz escorado na árvore de olhos fechados curtindo mais do que todos o som que rolava no violão do amigo.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Unidades de Interesse de Preservação - Alameda Augusto Stellfeld





Hoje apresento mais algumas UIPs (Unidades de Interesse de Preservação), dessa vez na Alameda Augusto Stellfeldo no centro de Curitiba. Essas ficam bem perto do centro histórico e acredito que o estilo que predomina é o eclético.
Esse conjunto apresenta uma bela casa de esquina com detalhes florais nas janelas e um anexo com lambrequins.
A segunda casa, ou melhor, o que era essa segunda UIP teve sua fachada desfigurada numa parede cega. Certamente a intenção é esperar que um dia a casa caia, uma vez que o valor financeiro do terreno deve ser imensamente maior vazio!
A última, muito bem preservada nas alturas da quase esquina da Augusto Stellfeld com a Dr. Muricy.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Uma pipa meio apagada



Na década de 80 um artista plástico (que por mais que tenha pesquisado na internet, não consegui achar o nome) à pedido do Hospital de Clínicas, pintou na lateral da ala pediátrica uma pipa gigantesca, que num tempo de menos prédios, era visível de vários pontos de Curitiba. Hoje a pipa está meio apagada e meio sem vida, uma pena, já que uma imagem que leva a lembranças bem alegres ajudava a suavizar a imagem séria do HC.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Um ferro velho no Novo Mundo


Indo para o meu trabalho, passei pela rua João Bonat no bairro Novo Mundo no número 369 vi um terreno tomado de vegetação e ao que parece, uma grande quantidade de ferro velho. Não faço idéia do que seja essa peça perto do portão, mas lembra algo como uma caldeira.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Uma casa, lambrequins e um farol do saber no Pilarzinho



Durante a nossa caminhada pelo Pilarzinho, passamos por essa linda casa com muitos detalhes que valem a pena parar um pouco para observar. Além de muito bem cuidada, chamam a atenção os lambrequins, as cores escolhidas tanto do muro quanto da casa, o gradil e as flores. Logo do outro lado da rua, encontramos um Farol do Saber.
Esse conjunto fica na rua São Salvador com a Eugênio Flor.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Um anjo na rua das Flores


Essa grande estátua de um anjo faz parte do espetáculo "Sobre Anjos e Luz" que a prefeitura apresenta nesse período de Natal na rua XV de Novembro. Vimos essa estátua (ou uma réplica dela) sendo feita no Centro de Criatividade do Parque São Lourenço. Os últimos espetáculos (um dos quais espero acompanhar) acontecerão nos dias 18, 19 e 20.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Painel de araucárias

Esse painel de azulejos mostrando um bosque de Araucárias, está instalado numa parede externa do Banco do Brasil, na Al. Dr Muricy ao lado da Biblioteca Pública do Paraná.
Junto ao painel há um azulejo com as seguintes informações: Projeto Original - Niva Andrade (1965). Execução: Alice Yamamura, Elvo Benito Damo e Maria Helena Saparolli (2007).
Alice Yamamura, à quem tive o prazer de conhecer, foi uma importante ceramista em Curitiba, conhecida e admirada Brasil afora. Faleceu em 2008. Elvo Benito Damo é hoje coordenador do atelier livre de escultura do Parque São Lourenço e suas obras podem ser encontradas por toda cidade. Maria Helena Saparolli é curitibana e artista plástica com obras também espalhadas pela cidade.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

O painel de um jardinete no São Lourenço



O Cel. Brasílio Marques dos Santos Sobrinho nasceu em Ouro Preto, Minas Gerais em 9 de outubro de 1918 e faleceu em 6 de fevereiro de 2002. Era filho do Capitão Leônidas Marques e D. Maria Mercedes Moura dos Santos. Seu avô paterno era o Dr. Generoso Marques e o avô materno era o Desembargador Augusto Lobo de Moura. Foi casado com Florzinha Silveira Marques dos Santos (25/3/1924 - 7/5/1998) . Tiveram três filhas: Cecília, casada com Roger, Marília, casada com Mário Daltro e Jussara, que foi casada com José Maria. Tiveram 6 netos: Roger, Cláudia, Bianca, Guilherme, Ricardo e Rafael e os bisnetos João Carlos, Chiara, Camila e Lorenzo.
Estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro, na Escola Militar do Realengo, na arma de Engenharia, na Escola de Comando e Estado Maior do Exército e na ADESG. Recebeu a condecoração da Ordem do Mérito Militar em 1954.
Serviu em unidades de Engenharia de Construção, como na construção da rodovia BR-2, do Tronco Ferroviário Principal Sul e da rodovia BR-285, etc.
Foi Diretor do DGTC (Departamento de Geografia, Terras e Colonização) de 1961 a 1964.
Foi membro fundador e Presidente do GETSOP (Grupo Executivo para as Terras do Sudoeste do Paraná). Promoveu a pacificação das áreas rurais, cujos litígios agitavam e estagnavam o progresso paranaense. Sob sua gestão foram construídas rodovias, campos de aviação, abastecimento de água e energia elétrica, escolas e hospitais.
Foi presidente do Conselho Regional de Geografia do Estado do Paraná.
Foi Superintendente da RVPSC (Rede de Viação Paraná Santa Catarina) de 1964 a 1966.
O painel de mosaico foi pensado levando em conta sua atuação profissional como construtor de rodovias e ferrovias, com muitas flores lembrando sua amada esposa e companheira por toda a vida, que se chamava Florzinha.
Fonte: Grupo Cyan

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Pessoas comuns e incomuns de Curitiba 107

A Rua Riachuelo sempre foi conhecida por ser um lugar onde se concentram várias e várias lojas que compram e vendem móveis e objetos usados. Numa dessas lojas vi esse rapaz absorvido por seus pensamentos, sentado numa antiga cadeira de barbeiro na beira da calçada junto à vários espelhos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

30 anos da Gibiteca



A Gibiteca, uma das unidades da Fundação Cultural de Curitiba, sedia nesta quinta-feira (13), às 19h, o lançamento e a sessão de autógrafos do livro “Gibiteca de Curitiba”, escrito pelo arquiteto, colecionador e crítico de história em quadrinhos Key Imaguire Júnior, um dos idealizadores desse espaço que completou 30 anos de existência em outubro passado. A obra, em forma de “graphic novel”, conta ainda com um DVD, realizado por Nira Oliveira, com apoio de Key,  que documenta a trajetória da primeira biblioteca brasileira especializada em histórias em quadrinhos.
O livro registra o início dos quadrinhos na cidade, que aconteceu no fim do século 19. Na sequência, aborda publicações curiosas ao longo do século 20, como os álbuns em alemão editados em Curitiba, além de manifestações, exposições e publicações que chegaram à revista “Casa de Tolerância”, assinada por Key Imaguire e pelo escritor e cineasta Valêncio Xavier, obra que integrou o ciclo das revistas alternativas brasileiras.
O autor destaca, então, como surgiu a ideia de criar um local de encontro para falar de gibis, um espaço dedicado à arte dos quadrinhos, que embasasse quem quisesse produzi-los e oferecesse aprimoramento ao público leitor. Também enumera as diversas fases da Gibiteca, dos grupos e autores que lá se formaram, festivais e as várias iniciativas que a tornaram conhecida em todo o Brasil, servindo inclusive de modelo para outros endereços semelhantes.
A Gibiteca, nascida do projeto embalado por Key Imaguire, ao lado dos também arquitetos Abrão Assad e Domingos Bongestabs, ostenta um acervo de 33 mil títulos e diversas coleções de gibis infantis, super-heróis, humor, terror, cartuns, fanzines, mangás e exemplares estrangeiros que fazem do espaço uma fonte valiosa para pesquisas.
Serviço: Lançamento e sessão de autógrafos do livro “Gibiteca de Curitiba”, escrito pelo arquiteto, colecionador e crítico de história em quadrinhos Key Imaguire Júnior. Um documentário em DVD acompanha o livro. Data e horário: dia 13 de dezembro de 2012 (quinta-feira), às 19h. Local: Gibiteca de Curitiba (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro). Entrada franca.
O texto acima foi "emprestado" do blog do Solda.