quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O Palacete do Batel restaurado



No livro de tombamento da Coordenação do Patrimônio Cultural do Estado do Paraná, há a seguinte descrição do Palacete do Batel:

Entre os anos de 1912 e 1914 situa-se a data em que s construtora de Maurício Thá ergueu essa casa, para a moradia de Ildefonso Rocha e sua família, segundo o projeto do arquiteto René Sandrensky. Transferida a propriedade, em 1922, para o banco Francês e Italiano, como pagamento de uma dívida, foi no mesmo ano vendida a Benedito Bandeira Ribas. Quatro anos mais tarde foi adquirida por Ildebrando de Araújo, comerciante, industrial e prestigioso chefe político do interior paranaense, passando após a sua morte a sua esposa, Leopoldina Conceição de Castro Araújo. 
Edificação implantada no meio do terreno. Cercada por jardim formado por gramados e touceiras de arbustos geometricamente compostos. A arquitetura, inspirada em modelos franceses da época, demonstra um repertório eclético em que alguns elementos merecem destaque: a torre romântica no ângulo esquerdo, o corpo avançado à maneira das Bow-window, o desenho art nouveau da porta de entrada principal, as marquises de vidro sobre modilhões metálicos e a cobertura, de forte inclinação, entelhada com placas de fibrocimento à semelhança de ardósia, interrompida por uma mansarda disposta no eixo da entrada principal.
A restauração do Palacete parece concluída, mas não sei qual será seu destino. Espero que um dia tenhamos acesso à esse incrível prédio para conhecer o seu interior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.