domingo, 31 de janeiro de 2016

Painel Franco Giglio - limpeza das peças









Estou tendo o privilégio de poder acompanhar o processo de restauro do painel de Franco Giglio do edifício Brasílio de Araújo na rua Visconde de Nácar.
Hoje mostro como as peças já retiradas do local original foram limpadas.
Uma empresa especializada retirou com o máximo cuidado as peças que compõem o mosaico, seguindo um minucioso mapa dividido em quadrantes de um metro quadrado cada um. 
Cada lote passa então por vários processos de limpeza para retirada das impurezas, argamassa e rejunte.
Primeiramente as peças são peneiradas, passam por muitas horas por um detergente ácido que remove as impurezas, um banho ácido que retira a argamassa e o rejunte, lavagem, secagem e por fim, separação manual de cada cor que compõe cada lote.
A próxima fase será a de montagem em bancada de cada quadrante definido no mapa do mosaico. Essa etapa acompanharei futuramente.

Giglio nasceu em Dolceacqua, na Itália, em 1937, vindo para o Brasil aos 21 anos. Sem formação acadêmica, começou a trabalhar com outro italiano, Antônio Mucci, estabelecido em Minas, que, entre uma infinidade de obras musivas, legou o único livro escrito até hoje sobre mosaico no Brasil: Compêndio Histórico-técnico de Arte Musiva, publicado pela Editora Ao Livro Técnico em 1962, esgotado há muito tempo.

O restauro está sob responsabilidade técnica do Estúdio Coletivo em parceria com Patrícia Ono Mosaicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.