sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A Águia de Duas Cabeças da Praça Zacarias






Um leitor desse blog postou um comentário dizendo que sua namorada num certo dia chamou sua atenção para uma estranha escultura na Praça Zacarias, localizada num ponto mais estranho ainda. Trata-se de uma águia com duas cabeças num vão entre o Edifício Acácia e seu vizinho. A escultura fica um pouco acima da marquise.

O comentário é a prova de que prestando atenção à cidade, muita coisa pode ser descoberta e nesse caso, a história é bem interessante como pude apurar nas minhas pesquisas.

É o seguinte. O Museu Paranaense foi fundado em 25/09/1876 por Ermelino de Leão (pai de outro Ermelino de Leão, portanto não sei qual dos dois dá nome à uma das ruas de Curitiba) e por José Cândido da Silva Muricy (esse sim, nome de rua). Em 1882 o governo do estado assume o museu e esse passa a funcionar no exato local onde está o Edifício Acácia na Praça Zacarias. Em 1899 o Estado do Paraná vende o imóvel para a Loja Fraternidade Paranaense (maçônica), que além de pagar o melhor preço, ofereceu parte do prédio para o funcionamento de uma escola primária pública, a Escola José de Carvalho, que ali ficou por mais de 40 anos.

Mais tarde em 11/03/1919 no mesmo local, foi inaugurado o novo templo da mesma loja, esse de arquitetura bem mais rebuscada que seu antecessor e no topo dele, pousava a águia de duas cabeças.

O templo ali permaneceu até que em 1961 foi assinado um contrato para demolição do templo e a construção do Edifício Acácia, sendo o evento noticiado no jornal "O ESTADO DO PARANÁ" do dia 26 de Janeiro de 1.961, informando que “Curitiba vem destacando-se sobremaneira no setor arquitetônico, sendo que constantemente se nos apresentam grandiosas realizações nesse setor. Nossa reportagem documenta ontem a assinatura de um contrato que merece a atenção geral. A tradicional e central Praça Zacharias receberá um belo ornamento. O atual prédio da Loja Maçônica será demolido, cedendo lugar a um dos maiores e mais arrojados empreendimentos dos últimos tempos. Na tarde de ontem, a Mapi S.A. conceituada organização incorporadora, … , celebrou contrato de incorporação com a Loja Dario Vellozo para a construção de majestoso edifício na Praça Zacharias."

Junto à pedra fundamental do Edifício Acácia foi depositada uma urna hermeticamente fechada contento uma ata assinada pelos presentes, livros maçônicos, jornais do dia, selos, moedas e um pequeno ramo de acácia.

Depois de muitos atrasos, somente em fevereiro de 1966 os três primeiros pavimentos do Edifício Acácia foram entregues. Em junho desse mesmo ano a Loja Maçônica Dario Veloso muda-se para o recém inaugurado edifício. Restou do antigo templo, a águia de duas cabeças, ainda hoje pousada em local privilegiado da praça Zacarias, de onde a todos vê e é vista por poucos.

Mais alguns pontos que acho interessante dividir com vocês, meus caros leitores.

Porque da águia de duas cabeças?
A águia de duas cabeças é o símbolo de um dos graus da maçonaria e surgiu em 1759 pela primeira vez, sendo usada na França pelo "Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente", precursores do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria. A águia bicéfala tem origem na cidade de Lagash na Suméria, entre os rios Tigre e Eufrates ao sul da Babilônia (onde hoje fica o Iraque) e é o mais antigo brasão da humanidade, utilizado há mais de dois mil anos quando foi construído o Grande Templo do Rei Salomão. Passou para os samaritanos, para o povo de Akhad, para os Hititas, para os povos da Ásia Menor e durante as cruzadas, foi trazida para os imperadores do oriente e ocidente. A imagem da águia de duas cabeças aparece em dezenas de bandeiras de países da Europa.

Porque o edifício da Praça Zacarias leva o nome de Acácia?
A Acácia é mais um símbolo da Maçonaria. Essa flor (ou um ramo dela), foi utilizado para marcar o local onde Hiram Abiff, um artífice ou arquiteto que trabalhou na construção do grande templo do Rei Salomão, foi enterrado. Conta o mito que Hiram Abiff foi assassinado por três construtores porque ele era o único que detinha elevados segredos da maçonaria e esses queriam obrigá-lo a revelá-los. Há os que vêem na sua história semelhanças com o mito de Osíris (deus egípcio).

As fotos de hoje revelam a águia bicéfala da Praça Zacarias e a foto do antigo tempo da Maçonaria foi obtida no site http://www.museumaconicoparanaense.com de onde obtive grande parte das informações do post de hoje. O Museu gentilmente autorizou a publicação da foto, bem como o uso de informações aqui prestadas.

Mais um adendo, segue um link ( http://textolivre.com.br/contos/9701-lendas-do-edificio-acacia-da-praca-zacarias-de-curitiba-) para um blog onde vocês encontrarão lendas sobre o Edifício Acácia (cuidado, são tão assustadoras como a "Noiva Fantasma do Edifício Asa").

18 comentários:

  1. Fantastico o post de hoje.
    Vejo sempre o blog pelo meu reader e me interesso bastante por historia e curiosidades da cidade que me acolheu.
    Nunca tinha reparado nessa estatua, pois não frequento muito o centro e quando vou, fico cuidando para nao ser atropelado pela manada de pessoas que o frequentam kkkk.
    PArabens pelo blog, é excelente.
    Aquele

    ResponderExcluir
  2. muito bom!!!!! vc tá ficando profissional!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi daguvasco! Obrigado pela visita. Esse é o problema da grande cidade, ficamos tão tensos nas ruas que desperdiçamos grandes oportunidades de apreciar o que há de belo em Curitiba.

    Obrigado Wivian. A internet ajuda muito! Acho que antigamente para ter acesso à informações como essas de hoje, somente sendo um membro pesquisador da Maçonaria. Aliás, no dia 19/12 vou publicar um post interessante sobre a Praça 19/12 revelando os simbolos maçônicos que ela contém aos montes.

    ResponderExcluir
  4. esse fiquei de cara, fiquei puto por nunca ter visto essa aguia.

    ResponderExcluir
  5. Engracado, anteontem reparei nela e achaei que estava fora do lugar e fiquei curiosa sobre a sua origem. Por coisas da vida o seu post é justo com ela, muito obrigado Takeuchi, adorei...

    ResponderExcluir
  6. Oi Jugler! Acho que se fizermos uma enquete com os passantes na Praça Zacarias, aposto que a esmagadora maioria dirá que nunca havia notado a águia e olha que ela está lá há 92 anos. Abraço.

    Oi Yavari. Quem diria, você vem da Venezuela notar algo que alguém como eu, que mora aqui há 30 anos não havia notado até dias atrás! Seu olhar é realmente apurado! E as fotos? Rendendo muito? Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito das informações, Takeuchi; eu passo com relativa constânciapelo local, mas jamais reparei na "águia com 2 cabeças", meu caro amigo blogueiro. Você jaz justiça ao nome do blog.


    Amanhã acontecerá o Bazar dos Amigos, ali na Rua Jacarezinho, nº 1122, bem perto da Torre do Mercês. Circule por lá, se tiver um tempinho. Eu soube do evento pelo Luís Patrício, do excelente blog http://transportehumano.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Olá professora. Bazar dos Amigos? Vou pesquisar o que é! Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Cara... é um post excepcional!! Explica tudo sem deixar dúvidas, muito bem detalhado e com ótimas fotos!

    ResponderExcluir
  10. opaz, que achado... eu tive escritório ali na galeria ritz, tinha janela com vista para a praça zacarias e nunca reparei nessa aguia.

    SHOW DE IMAGENS E CONTEUDO INFORMATIVO, VALEUZ,

    JOPZ

    ResponderExcluir
  11. Oi Gusandthem. Obrigado! Tem muita história nas ruas de Curitiba.

    Oi Jopz. Sei bem o que vc quer dizer. Morei por décadas na região, passando diariamente pela Zacarias e nunca notara essa águia. Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Pesquisando sobre a águia de duas cabeças encontrei seu blog. Adorei! Parabéns! Eu tenho um medalhão que pertenceu ao meu avô com essa águia e como sou "reparadeira" já tinha visto que havia uma escultura igual a ela na Pça Zacarias. Isso me fez ligar os pontos, pq meu avô pertenceu à maçonaria. Obrigada pela informação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabiola. Saborosa essa história mesmo. Obrigado por descobrir o blog (avise os amigos) e parabéns por ser uma pessoa que enxerga aquilo que vê! São poucas as pessoas com essa capacidade.

      Excluir
  13. Poucas pessoas sabem que nesse local era uma Loja Maçon,isso em 1950.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Rogério. Todos deveríamos conhecer melhor a nossa cidade.

      Excluir
  14. Respostas
    1. Muito legal mesmo Viviane. Há tantas histórias envolvendo nossa cidade e muitas esquecidas. Esse conjunto de pequenas histórias é que tornam cada lugar único.

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.