sexta-feira, 25 de abril de 2014

Passeio de trem - o trem















Sei que existem pessoas que são absolutamente apaixonadas pelo tema trens/ferrovias, tanto na vida real quanto na ficção (como um antigo seriado chamado Casey Jones Express ou atualmente o Sheldon do The Big Bang Theory). Nada sei sobre o tipo de locomotivas, distância entre trilhos, vagões e outros detalhes técnicos da nossa rede ferroviária, mas admiro tudo isso muito e acho bem bacana de se fotografar!

8 comentários:

  1. As imagens estão belíssimas, Takeuchi! Fiquei com uma vontade danada de aproveitar um desses dias para repetir o maravilhoso passeio, uma vez que já faz um tempo que estive dentro de um trem. Não sei se a oferta ainda está mantida, mas a empresa fazia um "pacote econômico" às quartas-feiras; se positivo, nele irei em breve. Grata pelas fotos; elas atiçam a vontade de embarcar em trem, imediatamente.

    ResponderExcluir
  2. Essa é uma viagem que deve ser repetida muitas e muitas vezes. Pena não ter descoberto ainda, um restaurante em Morretes à altura do passeio de trem. Se alguem souber de algum que seja excepcional, por favor me avise. Conheço vários e os considero apenas OK.

    ResponderExcluir
  3. Os que conheço também são todos muito parecidos. Quanto à viagem, há tempos estava querendo fazer e, finalmente no início deste ano consegui. A pena é que o dia estava nublado e chuvoso, bem mais "cinza" do que nas suas fotos. Ainda quero repetir em um dia bem ensolarado (se é que isto existe na serra...).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Diacir. Acho que o dia ideal para esse passeio é um ensolarado dia de outono. Sem o forno do verão, que nos derrete em Morretes e sem a inevitável neblina matinal de inverno (mesmo em dias de sol).

      Excluir
  4. Fiz esse passeio uma vez, foi em meados da década de 1980. É de fato um programa inesquecível. Pretendo levar meu filho em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leve mesmo Julio. Certamente ficará marcado na memória afetiva dele.

      Excluir
  5. Uma pena o estado em que ficaram as edificações da antiga RFFSA. Da casa Ipiranga, agora nem sinal, imagino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Ayde. Essas edificações ao longo da ferrovia ficaram sem pai e sem mãe! A casa Ipiranga aparece no outro post e de fato está irreconhecível!

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.