terça-feira, 15 de julho de 2014

A Biblioteca Pública do Paraná e os Croquis Urbanos de Curitiba


A Biblioteca Pública do Paraná foi o ponto de encontro do Croquis Urbanos de Curitiba no último domingo. Posando para os artistas, duas moradoras de rua (creio eu) deram seu show: abraçaram-se, beijaram-se e fumaram seu pequeno cachimbo. 
A Biblioteca foi escolhida para compor o conjunto de obras do Centenário da Emancipação Política do Paraná. Para o projeto, Romeu da Costa viajou para o Rio de Janeiro para aprimorar seu conhecimento, contando com a colaboração de competentes bibliotecárias. O projeto adatava uma solução afinada com os conceitos do Movimento Moderno, com ênfase na horizontalidade e fachada dominada por brises de proteção solar. A construção ganhou monumentalidade com o aumento de sua altura e diminuição do corpo principal. Foram criados também dois anexos laterais com pé-direito menos, destinados a biblioteca infantil e espaço para exposições, ocupando assim, as três faces do quarteirão. O prazo de execução, oito meses, foi recorde, inaugurada em 19 de dezembro de 1954. A não execução dos brises e a escala de altura, fizeram com que a obra adotasse a monumentalidade do Racionalismo Clássico. Os balanços da Lages dos anexos fazem o contraponto Modernista com o resultado “perretiano” do corpo principal. (Fonte: Arquitetura do Movimento Moderno em Curitiba - Salvador Gnoato).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.