quinta-feira, 22 de março de 2018

Alcazaba Dr. Munir Guérios



Ontem um amigo fotógrafo publicou na sua página uma foto (bem mais tchans do que a minha) mostrando esse prédio na Rua José de Alencar no Bairro do Juvevê.

Lembrei que durante uma caminhada observacional nessa região passamos por ele e observamos que duas placas metálicas com símbolos em alto relevo estão fixadas na base das duas torres, mas não me lembrava do que se tratavam. Hoje passei rapidamente pela José de Alencar para registrar a placa e fazer do carro a foto do prédio.  Os elementos da placa, segundo um outro amigo, podem representar báculos, longas hastes usadas por pastores para alcançar ovelhas desgarradas.

O prédio chama-se El Cashbah, provavelmente nominado do árabe al-qaṣbah que em espanhol virou Alcazaba, que na arquitetura marroquina seriam cidades fortificadas por altas muralhas que lembram o nosso El Cashbah.

Na Gazeta do Povo encontrei uma excelente reportagem onde informam que a inspiração para a construção do prédio nasceu de uma viagem ao Marrocos que o engenheiro civil Munir Guérios fez com a família na década de 1970. De volta ao Brasil, projetou a construção em 1976 e esse seria o  último edifício desse que foi o maior construtor individual de Curitiba da época, que somou mais de mil apartamentos.

Comentei certa vez com um amigo, que gosta muito desse prédio, que toda vez que passo por ele e vejo o nome, logo lembro da música "Rock the Casbah" do The Clash, cuja letra fala de uma fortaleza árabe de onde o sheik quer que o rock seja banido. Desafiado pela população que continua "agitando o casbah", o furioso sheik ordena o bombardeio da fortaleza, mas os pilotos ignoram as ordens e começam a escutar The Clash.

Um comentário:

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.