quinta-feira, 29 de abril de 2010

Pinhão, tradição do frio de Curitiba

Como sabemos que o inverno está chegando em Curitiba? Quando nas feiras começam a aparecer o pinhão. Tradição curitibana, essa semente da araucária não pode faltar nas casas, nas festas juninas e até nas ruas, onde vendedores nas esquinas vendem porções de pinhão cozido, diretamente de grandes panelas fumegantes. No início de junho deve acontecer na Praça Osório, mais uma edição da Feira do Pinhão, onde essa semente pode ser comprada in-natura, cozida e em diversos tipos de receita (pão, sopas, doces, tortas, pastéis e muito mais).

Um pouco de ciência:
Pinhão é a designação genérica da semente de várias espécies de pinaceaes e araucariaceaes, plantas gimnospérmicas, isto é, cuja semente não se encerra num fruto.

O pinhão se forma dentro de uma pinha, fechada, que com o tempo vai-se abrindo até liberar o pinhão. Nas pináceas (a exemplo do Pinus elliottii), as sementes são dotadas de uma película, como uma espécie de asa, que se descola da pinha madura e possibilita que as sementes sejam espalhadas pelo vento, iniciando-se assim o processo de crescimento de um novo pinheiro.

No Brasil, o termo pinhão geralmente designa as sementes da Araucaria angustifolia, árvore de destacada importância cultural, econômica e ambiental na região sul e em algumas partes do sudeste do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.