sábado, 20 de abril de 2013

Paver x Petit Pavé



Numa das matérias encontradas no “Keynews – Coisas que ninguém quer publicar”, encontraremos uma instigante discussão a respeito das calçadas de Curitiba, onde a até então “definitiva” solução para o revestimento das calçadas de Curitiba, o “Paver”, é questionada.
Questiona-se inclusive o papel da imprensa e das autoridades municipais. A primeira por não levantar à fundo o papel histórico e inestimável valor do nosso “Petit Pavé” e a segunda por solicitar ao Patrimônio Histórico do Estado do Paraná que as calçadas das áreas históricas sejam consideradas “fora do tombamento”. Ora, o que há de mais óbvio do que tombar um pavimento histórico (fruto de estudos do Paranista Lange de Morretes) da Rua XV e do Setor Histórico? Onde preservar então essa que é uma das marcas registradas de Curitiba, encontrada nas artes plásticas e até, tatuado na pele de apaixonados pela cidade?
Menos de 2% das calçadas de Curitiba são revestidas com “Petit Pavé”, será que precisamos mesmo matar parte da nossa história com justificativas que são frágeis do ponto de vista técnico? Dá o que pensar, não é mesmo?

4 comentários:

  1. Nossos Petit Pave são lindos, não imagino Curitiba sem eles, pena que são bem mal cuidados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente nossas calçadas de petit pavé são ícones de Curitiba.

      Excluir
  2. O novo Código de Trânsito ajudou a tirar um pouquinho mais desse símbolo de Curitiba. As faixas de pedestres, feitas com desenhos iguais ao da foto, tiveram que se adaptar à nova lei.

    Em nome da segurança, as ruas perderam o charme que só a capital paranaense tinha no asfalto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Julio. Nem me lembrava mais dessas faixas! Existirão fotos?

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.