domingo, 26 de maio de 2019

Revisitando o Museu Paranaense



Há anos não visitava o Museu Paranaense. Na semana passada tive a grata satisfação de ver o quanto o museu está muitíssimo mais interessante, bem conservado, preocupado em não apenas guardar um acervo importante para a história do Paraná, mas também de tornar a experiência de circular pelas salas e corredores do museu algo prazeroso. Fiquei muito feliz com o que vi e recomendo muito que visitem muitas vezes.

O Museu Paranaense foi fundado em 1876 pelo desembargador e historiador Agostinho Ermelino de Leão, teve várias sedes desde sua fundação.

A primeira foi na Praça Zacarias, lá permanecendo por vinte e cinco anos, mas devido ao aumento de seu acervo, foi transferido para Rua Dr. Muricy, ali ficou por treze anos, mudando-se depois para a Rua São Francisco, onde funcionou por dezessete anos sob a administração de seu diretor, o historiador Romário Martins.

Da rua São Francisco passou ainda pelo Batel, pela Rua Treze de Maio e então, para a Praça Generoso Marques no magnífico edifíco hoje conhecido como Paço da Liberdade.

O Palácio São Francisco, projetado e construído em 1928 pelo engenheiro Eduardo Fernando Chaves para ser a residência da Família de Julio Garmatter (empresário e pecuarista), o Palácio São Francisco foi vendido ao governo do estado por solicitação do interventor Manoel Ribas (amigo de Julio Garmatter) para sediar o governo, uma vez que o Palácio da Liberdade já era pequeno para esse fim. Foi sede do governo estadual até 1954 (quando foi inaugurado o Palácio do Iguaçu). Foi então sede do TRE até 1987, quando restaurado foi destinado ao Museu de Arte do Paraná e em 2002 ao Museu Paranense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.