quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Entrada emparedada




A prefeitura de Curitiba tem um belíssimo projeto de recuperação de fachadas (as vezes além disso) de prédios históricos da cidade chamado Rosto de Curitiba. As pinturas são refeitas, destacando a beleza que cada imóvel desse tem e pelo menos por um tempo, ficamos felizes de ver o quanto nossa arquitetura conta a história da cidade e de todos que aqui vivem e viveram.

Mas não basta cuidar apenas do rosto, quando o corpo padece. Esse maravilhoso prédio fica na esquina da Riachuelo com a São Francisco, funcionando no térreo um brexó. Olhando mais de perto e através da porta amarela que dá acesso ao andar superior, não vemos um corredor, mas uma parece de tijolos bloqueando a entrada. Provavelmente o proprietário do prédio, cansado de invasões, vandalismo e dores de cabeça, resolveu tomar essa atitude radical.

A São Francisco por um breve período, talvez o mesmo tempo que dure uma pintura nova, foi uma promessa de ocupação de uma área degradada e perigosa, mas a ausência amiga do poder público afastou os estabelecimentos (a maioria pelo menos) boêmios e seus clientes, voltando à triste realidade de antes.

Um pequeno detalhe da foto mais aberta. Junto à porta amarela percebemos uma figura sentada que parece estar anotando algo. Na verdade trata-se do grande Simon Taylor com sua prancheta, papel, canetas e aquarelas, fazendo mais um belíssimo desenho da cidade, gravando para sempre o momento visualizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.