segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Uma mansão na rua Bom Jesus



Essa verdadeira mansão encontrei por acaso quando um amigo resolveu mudar o itinerário em direção ao Juvevê vindo do Hugo Lange. Entramos na rua Bom Jesus e uma ou duas quadras antes do IPPUC vi essa fabulosa casa, com um belo falso enxaimel na fachada frontal. Num outro dia fiz o mesmo caminho e parei para fazer essas fotos.
A casa apesar de linda e estar numa região fantástica, parece estar abandonada. Não vi qualquer sinal de vida enquanto fazia as fotos e na primeira, é possível ver que o telhado da entrada está caindo. Para completar o cenário, belas árvores circundam a casa.

15 comentários:

  1. Fico muito tempo olhando pra ela quando passo a pé ali... imagino achados, histórias, reformas....
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. QUE DÓ...de quem seria essa mansão, fiquei curiosa, pena que em Curitiba tenha tantas e tantas moradias antigas com muitas histórias, abandonadas...linda foto...abraços.

    ResponderExcluir
  3. A casa é maravilhosa, linda, assim como tantas outras em Curitiba, que vemos em nossos caminhos diários. Às vezes passo por algumas e tenho muita vontade de entrar.Fico imaginando quem a construiu, quem viveu ali, como eram essas pessoas... era uma família com crianças...
    que fim levou todo mundo... Aos poucos a memória está se perdendo... Ninguém mais se lembra de nada... ou prefere não falar... Lastimável!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade, também sinto a mesma coisa...

      Excluir
    2. Uma casa abandonada sempre nos sugere a sua história, ainda mais uma como essa, onde parece que viver seria bem legal.

      Excluir
  4. Então cara, eu estudei no colégio ao lado (Passonista Nossa Senhora Menina) durante 8 anos e sempre despertou minha imaginação e interesse. A casa sempre foi protegida por uma matilha de cães, porém nunca vi nada mudar lá dentro. Lembro que ao olhar para sua fachada sempre imaginar o que tinha se passado ali, como ela era antigamente, o que poderia ser feito. E garoto eu criava histórias onde meus amigos e eu fugíamos do colégio para se aventurar na casa, além de desenha-la inúmeras vezes. Muito bom "cruzar" com ela mais uma vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo relato Pedro. Certamente as histórias que imaginava devem ser mais interessantes do que a realidade da casa! Quando fotografei a casa bem de frente, lembrei da animação "Casa Monstro".

      Excluir
  5. Washington, boa lembrança em relação a Casa Monstro, essas fotos com toda certeza traz muitas recordações para quem já conhecia e instiga novas histórias para quem a vê de primeira vez!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Quando criança, lá pelos idos de 1965, meu amigo Norberto morava nesta casa, quase defronte ao colégio Nossa Senhora Menina.

    ResponderExcluir
  7. Outro dia tive que compras umas coisas na Rua 24 de maio, como lá nunca tem lugar, subi a 7 de setembro e logo consegui uma vaga, quando olha a minha direita, quase não acredito.... Uma casa maravilhosa abandonada, um jardim que deve ter sido maravilhoso onde roseiras ainda sobrevivem ao descaso geral do imóvel. Se puder d^uma olhada vale a pena fotografar. amamos o blog e nos tornamos seguidores . sucesso
    Vanessa e Jerlei Saad

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou procurar a casa Vanessa. Ela fica na primeira quadra após a 24 de maio?
      Obrigado por seguir o blog!

      Excluir
  8. Morei 10 tristes anos em Curitiba e esta casa era uma das imagines que mais me fascinavam. Escrevi contos sobre ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Wild Garden. Curitiba tinha relação direta com a sua tristeza ou foi apenas testemunha dela?

      Excluir
  9. Conheço essa casa....moro no bairro a mais de 40 anos ! Ela pertence a uma família de franceses, um dos membros da família era Mecanico o Sr. PIERRE ..cheguei a entrar algumas vezes no espaço para levar meu carro pro concerto! Até onde sabemos, a família mudou-se dali e a casa ficou totalmente abandonada. O imóvel Ainda pertence à família !

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.