sábado, 19 de setembro de 2015

Nos pormenores um universo – Centenário de Vilanova Artigas














Em 2015 o arquiteto curitibano João Batista Vilanova Artigas (1915-1985) completaria 100 anos. 

No MON uma exposição em homenagem à Artigas ocupa duas salas trazendo projetos originais, desenhos artísticos do arquiteto e maquetes (tem a mão de uma amiga nelas), além de obras dos artistas do modernismo aos concretos, principalmente aqueles que influenciaram a obra de Artigas, fotografias e documentos do acervo da família. Haverá também vídeos e recortes do documentário que foi produzido especialmente para o a comemoração do centenário. 

Apesar da importância de Artigas na arquitetura nacional e mundial, seu trabalho ainda é pouco conhecido em sua terra natal. Mesmo assim, entre projetos, estudos e anteprojetos deixou cerca de 30 obras espalhadas pelo Paraná, principalmente na capital e em Londrina. 

O arquiteto se tornou um dos nomes mais respeitados na arquitetura brasileira do século 20. Dentre os 700 projetos que produziu durante sua carreira, destacam-se: Edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo; Conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado, em Guarulhos; Passarelas Urbanas; Estádio de Futebol do Morumbi; clubes; sindicatos e várias casas.  

A curadoria da exposição é de Giceli Portela e Maria José Justino. 

João Batista Vilanova Artigas – Nascido em Curitiba, em junho de 1915, João Batista Vilanova Artigas mudou-se para São Paulo e se formou arquiteto pela Escola Politécnica da USP, em 1937. Foi fundador da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em 1948, na qual liderou, mais tarde em 1962, um movimento para a reforma de ensino que influenciou outras faculdades de arquitetura no Brasil. Foi bolsista da John Simon Guggenheim Foundation em 1947. Militante dos movimentos populares no Brasil, foi perseguido pela ditadura militar, tendo sido expulso da Universidade em 1969, juntamente com outros professores brasileiros. Sua obra foi duas vezes premiada internacionalmente pela União Internacional de Arquitetos - UIA (Prêmio Jean Tschumi - 1972 e Prêmio Auguste Perret – 1985, este póstumo).  

Período: 27 de agosto de 2015 a 14 de fevereiro de 2016
Terça a domingo, das 10h às 18h

Fonte: museuoscarniemeyer.org.br

3 comentários:

  1. Ah, que legal Washington! As maquetes são da Arqcom, a minha é a FAU - USP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, pessoalmente a maquete que mais me impressionou foi a da FAU, que imagino ser a principal representante da arquitetura do Artigas (não apenas pelo prédio em si, mas pelo que representa).

      Excluir
  2. Ah, que legal Washington! As maquetes são da Arqcom, a minha é a FAU - USP

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.