quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Restauro do mosaico de Franco Giglio



Quem passa com alguma frequência pela rua Visconde de Nacar, em algum momento deve ter notado o prédio Brasilio Araújo, com suas sacadas coloridas e um grande mosaico de Franco Giglio, que por anos foi perdendo pequenos pedaços e assim, se nada fosse feito, seria apagado da paisagem urbana.

Pois bem, algo bem bacana será feito! O Estúdio Coletivo foi contratado para executar a restauração do painel, que será meticulosamente retirado, transportado para um estúdio e lá será inteiramente recuperado para depois ser recolocado no seu local de origem.

Franco Giglio nasceu em Dolceacqua, na Itália, em 1937, vindo para o Brasil aos 21 anos. Sem formação acadêmica, começou a trabalhar com outro italiano, Antônio Mucci, estabelecido em Minas Gerais. Tornou-se muralista, tendo realizado trabalhos em mosaicos para o Cemitério de Curitiba, para a Assembleia Legislativa do Paraná, para o Colégio Lins de Vasconcelos e para outros prédios públicos e residências particulares.

Em 1975, Giglio casou-se com Roseli de Almeida e retornou à sua querida Dolceacqua. Passou a residir em Mantova, depois em Verona – onde um incêndio, ocorrido em 1979, devastou grande parte de seus antigos desenhos. O artista veio a falecer em abril de 1982, aos 44 anos de idade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.