terça-feira, 18 de outubro de 2016

Avenida Luiz Xavier, Hotel Braz, Getúlio Vargas









A atual avenida Luiz Xavier (homenagem ao quarto prefeito eleito de Curitiba) formou-se a partir da década de 1.880. Começa na Praça Osório e não vai além da atual Ébano Pereira e travessa Oliveira Belo.

Num ato de pura bajulação, o nome Luiz Xavier foi desalojado para dar lugar à um companheiro de chapa de Getúlio Vargas (pelo simples fato de que o presidente costumava hospedar-se no Braz Hotel) e assim, por quase vinte anos, a rua passou a chamar-se João Pessoa.

Somente após a morte de Getúlio (em 1954), a rua volta a ter sua denominação justa e original: Avenida Luiz Xavier.

Luiz Antônio Xavier nasceu em Curitiba em 21 de dezembro de 1856. Foi o primeiro prefeito reeleito de Curitiba. Era extremamente popular e acessível. Ouvia o povo e sua administração era calcada nessa característica.

Foi por sua determinação que ocorreu o alinhamento da atual Rua XV de Novembro à Praça Osório, transformando um terreno alagadiço em espaço útil e integrado. Naquele trecho, tornou a rua mais larga, criando assim sem querer, a menor avenida do mundo e ainda em vida viu esse trecho tomar o seu nome. Faleceu em 1933.

Fonte: Livro "Ruas e histórias de Curitiba" de Valério Hoerner Júnior. Editora Artes e Textos. Curitiba, 2002

O Hotel Braz situa-se na Avenida Luiz Xavier desde 1935, em plena Boca Maldita. Nasceu em 1930, na Praça Tiradentes, propriedade do casal português Maria e Francisco Braz.

O prédio atual ficou pronto em 1941. Hotel dos mais importantes de Curitiba na década de 50, o Braz hospedou políticos e foi palco de muitos comícios, entre eles um de Getúlio Vargas, em 1950.

Por causa do ex-presidente, o Café/Bar/Restaurante do hotel é chamado Getúlio Vargas, de onde fiz fotos da Av. Luiz Xavier, das pessoas que por ali circularam e no agradável terraço, fotografei um grupo de amigas chamado USCoffee que semanalmente reúnem-se num café qualquer de Curitiba para desenhar e curtir um tempo juntas.

4 comentários:

  1. Na Copel, convivi com uma pessoa (Lauro Andrade, advogado, deve estar há muito tempo aposentado) que trabalhou no hotel Braz quando bem jovenzinho, provavelmente nos anos 50. Era um exímio contador de anedotas e tinha algumas de seu tempo no hotel. Lembro de uma delas: no seu tempo todo empregado admitido no restaurante do hotel tinha o cardápio franqueado: podia empanturrar-se do que lhe apetecesse. Dizia ele que depois de uma semana de camarões e que tais, o sujeito só queria saber de feijão com o arroz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana. Poucas horas no balcão do hotel já é possível ver tanto de Curitiba, imagino trabalhando lá.

      Excluir
  2. Por um certo tempo, que não posso precisar bem, acho que na década de 1970,o seu Cotovicz (que não me lembro o 1º nome - antes fora garção), pai do meu amigo Nelson Cotovicz, este dono das sorveterias De Vic'z, foi concessionário do velho Braz Hotel - hoje da rede Slaviero. Antes disso, o seu Cotoviz tinha o 'Chic Bar', na 1ª quadra da Barão do Serro Azul, próxima da Catedral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante saber de onde veio o nome da sorveteria De Vicz.

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.