quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Um ícone da rua XV de Novembro





Projeto do engenheiro italiano Ernesto Guaita e obras do mestre alemão Henrique Henning para o imigrante português Manoel da Costa Cunha, abrigando sua residência e comércio. Prejudicado pela Revolução Federalista, foi obrigado a vender o prédio ao ervateiro Manoel de Macedo.

Foi o primeiro edifício de três pavimentos da Rua XV de Novembro, construído em 1893 com traços Neogóticos na sua arquitetura. Na edificação, destacam-se trabalhos em cantaria e ladrilhos portugueses.

Vendido ao governo do Estado, foi agência de rendas e em 1973 passa a sediar o Banco do Estado do Paraná e a partir de 2000, passou a ser uma agência do Banco Itaú.

Na Monsenhor Celso foi feito um "puxadinho" no qual tentaram, sem muito sucesso, imitar o prédio original, substituindo os ladrilhos portugueses por um tijolinho e a pedra da fachada por concreto texturizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.