sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada


Durante um ano eu devo passar quase que diariamente por esse muro coberto por uma grande trepadeira, na qual foi inserido um lindo grafite de autoria de (se o poste não fizer eu errar) Helder Oliveira. A trepadeira, ao que parece, forma a cabeleira da personagem.

Vou fazendo fotos ao longo desse ano desse mesmo muro, para acompanhar como a passagem do tempo irá alterar a obra.

Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Quem disse que cabelo não sente
Quem disse que cabelo não gosta de pente
Cabelo quando cresce é tempo
Cabelo embaraçado é vento
Cabelo vem lá de dentro
Cabelo é como pensamento
Quem pensa que cabelo é mato
Quem pensa que cabelo é pasto
Cabelo com orgulho é crina
Cilindros de espessura fina
Cabelo quer ficar pra cima
Laquê, fixador, gomalina
Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Quem quer a força de Sansão
Quem quer a juba de leão
Cabelo pode ser cortado
Cabelo pode ser comprido
Cabelo pode ser trançado
Cabelo pode ser tingido
Aparado ou escovado
Descolorido, descabelado
Cabelo pode ser bonito
Cruzado, seco ou molhado
(Arnaldo Antunes, Jorge Ben Jor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.