segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Ruínas da Ferragens Hauer



A edificação em ruínas atrás da Catedral, exatamente no encontro da Rua José Bonifácio e Trav. Padre Júlio de Campos, que já foi sede das Ferragens Hauer, foi inaugurada em 1898 e era considerada um dos mais significativos exemplares da arquitetura de influência alemã em Curitiba. Em maio de 1998 (14 anos atrás portanto) o prédio incendiou-se destruindo praticamente tudo, restando somente, digamos assim, a casca. Desde então, o prédio (que é uma Unidade de Interesse de Preservação) está abandonado e tem sido o centro de litígios entre a família e a seguradora, entre a família e a prefeitura e entre membros da própria família.
Em 2007 uma verdadeira batalha entre a família Hauer e a seguradora Chubb do Brasil foi encerrada. A companhia se negava a pagar o valor do seguro referente ao incêndio ocorrido na loja, alegando indícios de incêndio criminoso. Por unanimidade, os desembargadores da 9ª Câmara Cível Integral do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, deram ganho à família.
Uma outra ação, movida pela Procuradoria Geral do Município, estava tramitando, pedindo o cumprimento de acordo firmado com a Prefeitura, que previa o restauro da edificação em troca da transferência de potencial construtivo. As obras de recuperação jamais foram realizadas, embora o potencial da edificação tenha sido transferido pelos seus proprietários. A solicitação de transferência havia sido autorizada em 1987 e dois anos depois ocorreu a venda do potencial à Construtora Hauer. Como as obras de restauro não chegaram a ser realizadas, em 1992, a Procuradoria Geral do Município entrou com uma ação contra os irmãos Hauer, exigindo a devolução ao município dos valores recebidos a título de transferência .
Essas informações todas eu obtive na internet nos sites da Prefeitura e do site Bem Paraná e a mais nova delas data de 2007 (5 anos atrás). Como o prédio continua exatamente igual (destruído, abandonado, aparentemente sem esperanças), parece que essa confusão toda continua distante de chegar a um final feliz, o que é uma pena para a região (onde a nossa Catedral está sendo restaurada) e para a história de Curitiba.

7 comentários:

  1. I hope this building is renovated. It would be a shame for the facade to be destroyed. Renovations of this type are so expensive though. Leaving the building like that is dangerous and a terrible eyesore!

    ResponderExcluir
  2. Hi Kitty! I wish we have a renovation policy like I saw in NYC. We are far, far from that! This building is just like that for a almost 15 years. A shame!

    ResponderExcluir
  3. Cada vez que olho para este prédio dá uma tristeza. Seria um lugar maravilhoso para criar um Centro Cultural com Teatro . Café sem contar na valorização da Região.

    ResponderExcluir
  4. Sem duvida o lugar seria perfeito para abrigar algo relacionado a cultura. Nao tenho qualquer elemento para afirmar, mas fico imaginando se a intenção no caso nao seria esperar pelo total colapso do que restou do prédio para que esse deixe de ser uma UIP e entao, o terreno valeria uma pequena fortuna para receber outra edificação. Nao entendo de legislação, mas sei por exemplo que o estado tem uma lei de tomamento e baseado nela, conseguiu que a Casa do Burro Brabo fosse restaurada pela família. Como esse prédio em questao nao eh tombado, nao há lei que obrigue (penso eu) os proprietários atuais a reforma-lo.
    Se algum leitor tiver mais conhecimento do tema, talvez pudesse nos explicar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é mais triste pensar que um dia aquilo será demolido e será construido um prédio de vidro no lugar.

      Excluir
  5. Talvez nao Marco. Acho que devemos fazer a nossa parte, questionando políticos e pessoas que deveriam estar prestando atenção a essas questões. Se a população deixar claro que nao aceita ter a sua cidade desfigurada e sem memória, tenha certeza que o assunto de alguma forma entra em pauta.
    No ano passado questionei a cada um dos vereadores sobre a criação de uma lei de tombamento em Curitiba. Esse simples questionamento de um único cidadão, fez com que vários vereadores entrassem em contato, alguns disseram estar trabalhando num conselho com esse foco. Veja que esse movimento foi provocado por um simples questionamento de uma pessoa. Acho que e vários e manifestarem sobre o mesmo tema, creio que algo de mais produtivo pode acontecer.

    ResponderExcluir
  6. Boa notícia. O prédio finalmente está sendo restaurado. Passei por lá ontem e me veio a lembrança de quando eu frequentava a Ferragens Hauer para comprar pregos a quilo. Em termos de tecnologia de vendas, aquela loja,junto com a Casa Vermelha, pararam no tempo. Saudade daquilo. Uma loja que lembra muito as duas que eu citei é a Casa do Alumínio, na Rua Pres. Faria (Galeria Andrade).

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.