sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Um pescador de Antonina


Fiz várias fotos na nossa viagem para conhecer Antonina, mas essa acho bastante especial e por isso resolvi destacá-la das demais. Já tínhamos almoçado (num restaurante fabuloso que postarei futuramente) e estávamos nos dirigindo ao centro histórico, quando vi a cena do pescador no seu bote empunhando um facão, com o qual ele afiava alguns varas e essas eram espetadas na água naquele ponto. Não entendo nada do ofício desse senhor e portanto, não consigo imaginar o objetivo do seu trabalho. Achei porém muito interessante a beleza da imagem e o contraste entre a função dele (tranquila aparentemente) com a loucura do dia-a-dia dos que vivem numa metrópole como a nossa Curitiba.

3 comentários:

  1. realmente, a calmaria em Antonina contrasta com a "loucura do dia a dia de Curitiba". Muito interessante a sua foto, nas raras vezes que fui a Antonina, nunca percebi pessoas em ofício, e eu só de turista.

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari. Que legal ver voce por aqui! Depois de tanto tempo morando em Curitiba, gostei muito de conhecer Antonina.
    Espero que volte sempre ao blog.

    ResponderExcluir
  3. oi Washington, estou sempre por aqui sim, vc tem muita sensibilidade em retratar detalhes que muitas vezes passam despercebidos. Gosto especialmente da sua série de casas de madeira que estão em extinção aqui na cidade.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.