quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Um hidrante



Ali numa esquina do Tarumã, de braços abertos, o hidrante espera vestido em cores vivas o momento de ceder o que bravamente guarda abaixo dele (água sob pressão). Enquanto esse momento não chega, Angolin (esse é o nome dele) meio inclinadinho observa a bela casinha de madeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.