segunda-feira, 3 de abril de 2017

Circulando pelo Edifício Santa Júlia - mãe e filho






Só consegui entrar no Edifício Santa Júlia, como havia dito no primeiro post, porque uma amiga conheceu os moradores de um dos apartamentos, especificamente no décimo segundo andar.

Lá chegando fui apresentado ao Carlos Daitschman e logo descobri que ele fez faculdade de psicologia com uma das minhas irmãs.

Uma vez no apartamento, fomos cumprimentar a sua mãe, Geny Castilho Daitchman, que estava junto à janela de seu quarto lendo um livro.

Logo, incentivada pela minha amiga, ela começou a cantar belamente uma música em espanhol. O solo transformou-se num dueto com seu filho e ela com muita graça fazia gestos e improvisava durante as canções. Muito lindo ver o evidente amor que existe nessa relação mãe e filho.

Soube depois pelo Carlos, que sua mãe em sua juventude já mostrava sua veia artística como cantora, mas que não teve oportunidade de seguir por esse caminho. Hoje aos 91 anos de idade, Dona Geny eventualmente apresenta-se com seu filho Carlos, um contador de histórias há mais de 40 anos.

O mais tocante para mim nesse dia foi ver uma mãe feliz, acolhida por um filho amoroso. Que os dias que virão para a Dona Geny sejam repletos de momentos felizes, tendo ao fundo, a bela vista que sua janela para a Praça Osório proporciona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.