sábado, 23 de fevereiro de 2019

A Linguagem Foto-Gráfica da Zombie Walk Curitiba


Há dez anos soube que haveria na boca maldita um evento chamado Zombie Walk, que seriam pessoas fantasiadas e maquiadas como os queridos personagens de filmes de terror (geralmente B), caminhando e grunindo feito eles, pelo simples prazer da farra. Fui lá conferir e levei meu filho, que divertiu-se ao ter na mão um pouco de sangue falso. Encontrei poucas pessoas.

Como não sou exatamente um apaixonado pelo carnaval tradicional, acompanhar a Zombie Walk Curitiba passou a ser minha diversão de domingo de carnaval desde então e por isso, posso dizer que acompanhei todas as edições da Zombie Walk Curitiba desde que essa passou ter sua concentração na Boca Maldita e posso também dizer que vi o quanto essa festa ganhou em tamanho e popularidade.

Em todas essas edições não presenciei qualquer incidente que desabonasse a festa, que só acontece com aprovação e apoio de todos os órgãos da prefeitura envolvidos em aglomerações como essa, tanto que é maciça a presença de crianças.

Para comemorar o décimo ano da Zombie Walk Curitiba, alguns eventos paralelos estão acontecendo, inclusive uma exposição no Solar do Barão que abre HOJE (23/02) às 19h00 intitulada "A linguagem foto-gráfica da Zombie Walk Curitiba". A separação da palavra foto-gráfica não é à toa, a "gráfica" vem da exposição dos desenhos feitos pelos Croquis Urbanos ao longo de algumas edições e a palavra "foto" tem haver com a minha presença nesses anos todos. Estarei na exposição expondo 100 fotos de minha autoria num mosaico que ocupa completamente uma parede de 3,4x4,8 metros! Té bonito de ver!!

Convido à todos a comparecer à homenagem/comemoração desse que é um evento querido por muitos que curtem diversão descontraída e cultura pop!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.