segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Curitiba a partir do mirante - Sul


Finalizando as vistas dos bairros de Curitiba, segundo os pontos cardeais, a partir do mirante das Mercês, a vista sul nos mostra os bairros da Água Verde, Batel, Bigorrilho e a Vila Izabel. São bairros predominantemente residenciais e de classe média alta.

As algas que formavam massas verdes e davam uma coloração esverdeada à água doce, levaram os antigos moradores da região a batizar o rio que cortava suas fazendas e chácaras com o nome de “Água Verde”. O rio Água Verde, que nasce e cruza toda a extensão do bairro, até desaguar nas águas do Rio Belém, no Prado Velho, foi a fonte inspiradora para o nome do bairro. O primeiro nome da região, “Colônia Dantas”, deve-se ao fato de ali residirem, no século passado, inúmeras famílias italianas. Nessa época era freqüente a visita de caçadores e pescadores devido à existência de mata cerrada e riacho de muitos peixes.

Existem duas versões para a origem do nome do bairro Batel: a primeira, atendendo à tradição popular, está ligada ao fato de residir, no local, uma família conhecida por Batel. A outra, remonta aos tempos das tradicionais cheganças (festas religiosas), onde, na ocasião, teria naufragado um batel (pequena embarcação) vindo de São José dos Pinhais. O desenvolvimento da produção de madeira e de erva-mate, por volta de 1910, tornou a área do Batel predominantemente comercial. Ali estavam instaladas duas usinas de beneficiamento de erva-mate, fábricas de sabão, perfumaria, duas cervejarias, etc.

Bigorrilho: um nome de muitas histórias. Desde a cigana benzedeira que morava na região, como também de uma prostituta de nome Bigorrilha e muito valente. Bairro que insistem em chamar de Champagnat. O termo que mais se aproxima do nome do bairro é bigorrilha. O rio era assim chamado porque nas redondezas da Estrada de Butiatuvinha residia a proprietária de um bordel a que todos chamavam Bigorrilha. A linguagem cotidiana dos moradores teria “masculinizado” o termo, surgindo daí o nome Bigorrilho. Já Evaristo Biscaia, em seu livro “Coisas da Cidade”, defende que antigamente o bairro era conhecido “Bairro dos Italianos”, tornando-se depois Bigorrilho em virtude de morar ali uma rutena (ucraniana) de nome Bigorela.

O bairro Vila Izabel localiza-se entre o Portão, Santa Quitéria, Seminário e Água Verde. Antigamente, toda essa região formava uma extensa mata que era bastante freqüentada por caçadores e pescadores. Com o passar do tempo, seus moradores transformaram a mata numa grande lavoura de milho, feijão, arroz e outros cereais. Pela vila passavam alguns caminhos que chegavam até a estrada que ligava Curitiba a Ponta Grossa, fazendo do local um ponto de pouso de tropeiros. Os negócios realizados por esses viajantes intensificaram as atividades comerciais e produtivas da região, provocando um significativo desenvolvimento do bairro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.