sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Bustos e estátuas de Curitiba - Baltazar Carrasco dos Reis


Balthazar Carrasco dos Reis (São Paulo, 1617 - Curitiba, 8 de outubro de 1697) foi um bandeirante brasileiro e um dos fundadores da cidade de Curitiba.
Era casado com Izabel Antunes e recebeu por carta de 29 de junho de 1661, assinada por Salvador Corrêa de Sá e Benavides, uma Sesmaria de terras na localidade de Mariguy (Barigüi) onde já morava por vários anos, localizada na Villa de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.
Possuia grandes extensões de terra nos Campos Gerais de Curitiba, no litoral paranaense e na Villa de Sant'Anna de Parnahyba.
Esteve presente na reunião ocorrida no dia 29 de março de 1693, quando foi instituida a justiça nessas terras, data que posteriormente seria adotada como a da fundação de Curitiba.
Segundo a obra clássica de Francisco Negrão publicada em 1926: "Genealogia Paranaense" as seguintes famílias: Andrade, Soares e Seixas, juntamente à do capitão Matheus Martins Leme se entrelaçaram por meio de casamento com a de Balthazar Carrasco dos Reis, formando uma grande prole, a partir de seus 8 filhos, e é tido como um dos povoadores de Curitiba, sendo que seus descendentes formaram a elite política do estado.
Fonte: Wikipedia

16 comentários:

  1. Washigton, eu tenho um amigo do trabalho o nome dele é Carlos Eduardo, filho do professor da UFPR e aposentado da COPEL José Laurindo de Souza. Eles têm um museu da família na chacará em Borda do Campo. Lá tem a árvore genealógica que consta o Baltazar como inicio.

    ResponderExcluir
  2. Wow! Que bacana! Ele não teria uma foto dessa árvore genealógica? Quantas gerações se passaram de Baltazar Carrasco dos Reis até hoje?

    ResponderExcluir
  3. Onde fica essa estátua? Eu sou descendente do Balthazar também (na verdade, Curitiba inteira deve ser descendente, mas sou um dos que sabe dizer de que maneira. Até o Tom Jobim é descendente do Balthazar). Se não me engano são 14 gerações até mim.

    abraços,
    Henrique Fendrich

    ResponderExcluir
  4. Aliás, eu descendo não apenas dele, mas também de alguns dos índios que ele aprisionou em Curitiba =).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Henrique! Descendente dos índios? :o)
      Essa estatua fica Conselheiro Laurindo perto do Paiol.

      Excluir
  5. Sou descendente, por parte da minha avó paterna, de Matheus Martins Leme, de Balthazar Carrasco dos Reis e de Antônio Rodrigues Seixas, fundadores de Curitiba, além de Miguel da Rocha Carvalhaes, fundador de Ponta Grossa e Balduíno Taques, fundador de Castro e Lourenço Castanho Taques, primeiro descobridor das minas de ouro do Brasil. Indo mais pra frente sou descendente dos soberanos do Ducado de Milão entre 1197 e 1277.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Nossa! Que incrível a linhagem. Sua família tem montada uma árvore genealógica que remonta toda essa história? Deve ser muito bacana estudar a história da sua família.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mensagem apagada para acrescentar informações que estão abaixo.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mensagem apagada para acrescentar informações que estão abaixo.

      Excluir
  8. Sim. Temos a árvore genealógica de alguns troncos, inclusive de avó, bisavó, trisavó, etc... Por exemplo, Fernão Dias Paes Leme pai de Luzia Leme, mãe Luiz Pedroso de Barros (filho de Pedro Vaz de Barros, Capitão-Mor da Capitania de São Vicente), pai de Maria de Araújo, mãe de Lourenço Castanho Taques Neto (neto do primeiro descobridor das minas de ouro do Brasil, filho de Pedro Taques, filho de Francisco Taques, filho do italiano Maffeo Taxis, que detinha o monopólio dos serviços de correio na Europa e era descendente dos Torre Taxis, soberanos do Ducado de Milão entre 1197 e 1277, família descendente de Carlos Magno), pai Ignácio Taques (casado com Margarida Leme, filha de José Martins Leme, filho de Antônio Martins Leme, casado com a filha de Baltazar Carrasco dos Reis), pai de Ignácio Taques Filho , pai de Balduíno Taques, pai de José Borges de Almeida Taques e Anna Maria de Macedo Taques, pai e mãe de Carlos Pacheco de Macedo Assumpção e Anna Maria de Macedo Taques (primos entre si), pais de Adelaide Taques de Assumpção, mãe da minha bisavó Deucleciana Bahls (neta de Frederico Martinho Bahls (Presidente da Câmara de Veradores de Ponta Grossa, PR) e Anna Perpétua da Rocha Carvalhaes, filha de Miguel da Rocha Carvalhaes (fundador de Ponta Grossa)

    ResponderExcluir
  9. Por parte de pai, sou bisneto de Honório Sauerbier, filho de Theodoro Sauerbier (nascido em Curitiba em 1868), filho de Christiano Sauerbier. Já por parte paterna da mãe do meu pai sou descendente dos alemães do Volga, que vieram da Rússia em 1877. E da parte da minha mãe sou descendentes de pomeranos que vieram para o Rio Grande do Sul em 1857.

    ResponderExcluir
  10. Só uma observação: eu sou descendente de Fernão Dias Paes Leme, o avô do famoso bandeirante Fernão Dias, que tinha o mesmo nome. Por enquanto não encontrei ancestralidade comum com o bandeirante Fernão Dias Paes Leme, o neto.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.