sábado, 1 de setembro de 2012

Hospital Pequeno Príncipe - Jardim dos Sonhos






Durante a última caminhada, passamos pelo pátio do Hospital Pequeno Príncipe onde um jardim de esculturas foi criado, para que as crianças pudessem interagir com elas de forma lúdica. O Jardim dos Sonhos, como foi batizado, está recebendo esculturas de artistas como Elisabeth Titton, Elvo Benito Damo, Eliane Prolik, Adalberto Basso, Alfi Vivern e Cláudio Alvarez.

Em princípio, não tivemos autorização fotografar de dentro da área do hospital, mas felizmente, o passeio é público e de lá, fiz as fotos que compartilho com vocês.
Segue um pouco das história do Hospital Dr. Cesar Pernetta, que hoje faz parte do Hospital Pequeno Príncipe.

No início do século passado, em plena 1ª Guerra Mundial, um grupo de mulheres da comunidade curitibana decide viabilizar um inédito atendimento em saúde para a população carente da cidade, notadamente as crianças. Com disposição incomum para a época, unem-se a médicos e líderes locais e conseguem inaugurar o Dispensário Infantil, que recebe os primeiros pacientes em outubro de 1919. Decidem ir além e, em seguida, lançam o projeto de construção de um Hospital de Crianças. Onze anos de intenso trabalho e mobilização social foram necessários para sua inauguração em 1930, e plena operação em 1932. Em 1951, o Hospital de Crianças passou a ser denominado Hospital de Crianças Dr. Cesar Pernetta.
Em agosto de 1956, é criada a organização mantenedora, a Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro, que permanece com o mesmo nome até hoje. Quando surge o Hospital Pequeno Príncipe, no início dos anos 70, um novo ciclo se inicia potencializado pelo amor à criança e alicerçado em competência administrativa. Nas células e musculatura de uma organização revitalizada, a identificação com as emoções deram o tom necessário para levar adiante uma intenção, transformada em compromisso, de realizar um sonho: projetar, implantar e gerir um Complexo Hospitalar que buscasse antecipação de tendências e atendesse a crianças de qualquer condição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.