sexta-feira, 19 de julho de 2013

Passei do portão da Casa Gomm!







Recebi um e-mail de uma funcionária da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, informando que a Casa Gomm estaria aberta ao público das 09h00 as 18h00 desde o dia 06/07 e que se eu ainda desejasse fazer algumas fotos, seria bem-vindo. Sem pestanejar, à Casa Gomm fui novamente e dessa vez, o portão estava aberto (o menorzinho). Agora já posso lhes dizer, a casa é ainda mais linda do que eu imaginava.
Nessas fotos de hoje mostro a casa por ângulos que só se consegue circulando pelo terreno, que infelizmente é hoje incompatível com a grandeza da casa. A primeira foto (na verdade a foto de uma foto que me mostraram lá dentro) ilustra bem o que quero dizer com isso. Essa foto mostra como a casa estava originalmente (e fantasticamente) implantada no enorme terreno, linda como hoje e com o destaque que merece.
Passando o portão pude constatar que a casa foi espremida o máximo que puderam espremer (afinal, quantas lojas deixariam de existir se isso não fosse feito?) e que o bosque foi enclausurado por um espartilho de arame pelo mesmo motivo.
Pelo menos a casa foi (apesar de transladada) salva, o que, considerando a fúria imobiliária e a elasticidade com que nossos governantes tratam o tema do patrimônio histórico, não é pouca coisa!
No próximo post, mostrarei um pouco do interior da Casa Gomm e algumas histórias que me contaram a respeito do "chega prá lá" que deram nela.

4 comentários:

  1. Fiquei bem alegre ao saber do seu acesso ao interior do terreno que abriga a Casa Gomm, Takeuchi; aguardarei a sequência das fotos do belo casarão.

    ResponderExcluir
  2. Belíssimas fotos, Washington. E, de fato, durante a semana a Casa fica aberta para atendimento ao público pela Coordenação de Patrimônio Histórico da Secretaria de Estado de Cultura (que ocupa a casa, em razão do domínio estadual da edificação) e os funcionários são muito acessíveis. Já nos foi transmitido convite público daquele órgão para que outros leitores do Movimento Salvemos o Bosque Gomm possam fazer a mesma visita, basta agendar com eles. Mas vale lembrar que este portão pelo qual você passou é o da Casa Gomm - não do Bosque. Quem te deixou entrar foi o Estado que tem domínio sobre a casa, não o Município que é dono de toda a área.

    A discussão de "abertura dos portões" do Bosque Gomm e a transformação de sua área envoltória INTEGRAL em área de lazer para os curitibanos se situa, para este movimento, numa outra esfera - metafórica mesmo. E nesta esfera, os portões continuam FECHADOS.

    Para quem quiser entender melhor do que se trata, leia esta postagem - que por sinal debate com a querida Professora Doralice:

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=405376166250120&set=a.398540500267020.1073741826.398533546934382&type=1&theater

    Um forte abraço.
    Salvemos o Bosque Gomm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há a confirmação de que o Bosque foi doado ao município? Se não foi, tudo fica mais complicado ainda.

      Excluir
  3. Todo mundo na Secretaria de Cultura afirma verbalmente que a Casa é Estadual e o restante da área, Municipal. Na Secretaria de Meio Ambiente, é a mesma coisa, inclusive a SMMA está iniciando pesquisas para o futuro manejo ambiental do complexo. Portanto, os servidores públicos envolvidos não têm dúvida a respeito. Na ação popular ajuizada por um cidadão curitibano, idem. Na página do movimento há diversos indicativos no mesmo sentido. O que realmente eliminaria todas as dúvidas seria a Prefeitura exibir o termo de doação. Mas o Prefeito recebeu solicitação de exibição do documento (Lei de Acesso à Informação) há DEZ DIAS e nada foi exibido até o momento. A Caixa Preta continua fechada. Enquanto isso, os trabalhos continuam.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.