domingo, 28 de julho de 2013

Curitiba dos anos 50






Continua até agosto na Casa Romário Martins uma exposição que mostra um pouco a história dos anos 1950 em Curitiba. Fotografias, vídeos e objetos relembram o momento em que a pequena capital começou a crescer e deixar o rótulo de pequena cidade para se tornar uma metrópole desenvolvida. A exposição “Anos 50 – Identidades” está aberta ao público na Casa  Romário Martins, no Largo da Ordem.
O período contado pela exposição também marca a expansão arquitetônica da cidade, na época do centenário da emancipação política do Paraná e não por acaso, o estilo escolhido pelo então governador foi o do Movimento Modernista. Foi nesta década em que Curitiba começou a ter arranha-céus e prédios modernos. Destacam-se nesse período a construção do Centro Cívico, a inauguração do Palácio Iguaçu, a Biblioteca Pública do Paraná e muitos outros marcos arquitetônicos com os quais convivemos até hoje.
As dezenas de retratos nas paredes mostram ainda a miscigenação cultural de um estado que buscava a própria identidade. Naquela época, o governo pensava em criar a ideia de um Paraná mais europeu. Porém, a região foi colonizada por povos que variam de afrodescendentes a ucranianos, passando por japoneses e outros povos.
Um dos destaques da exposição foi a Guerra do Pente, um gigantesco protesto que tomou a cidade e que foi controlado apenas com a presença do exército e seus tanques nas ruas. Tudo começou com a compra de um pente e a (aparente) recusa do comerciante sírio-libanês em dar o cupom fiscal ao ex-militar, que seria utilizado na campanha “Seu cupom vale um milhão”. Houve um embate físico entre os dois, o ex-militar acabou ferido, uma turba revoltada passou a quebrar todas os pequenos comércios na Praça Tiradentes, de início dos sírio-libaneses, mas depois de forma generalizada, palavras de ordem eram gritadas, lembrando um pouco o que vimos nos últimos meses pelo país afora! 
Mais detalhes sobre a Guerra do Pente, veja aqui!

A exposição deve ficar em cartaz até agosto deste ano e tem entrada gratuita. A Casa Romário Martins fica aberta de terça-feira a domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.