quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Distorcendo a Santos Andrade


A foto de hoje é uma panorâmica da Praça Santos Andrade feita a partir da escadaria da UFPR que vai da Alfredo Bufren até onde a Rua XV encontra a João Negão.

A Praça Santos Andrade já possuiu outras denominações, como: Largo Lobo de Moura (1879), Largo Duque de Caxias (1880), novamente Lobo de Moura (1881) e Largo Thereza Christina (1890).

Entre o final do século XIX e a primeira década do século XX o largo era um extenso campo e suas dimensões chegavam até as proximidades da Rua São Francisco e as ruas Marechal Deodoro e Garibaldi (atual Rua Presidente Faria). A rotina este largo era receber companhias circenses e espetáculos diversos.

Em 1901 o largo recebeu a denominação de Praça Santos Andrade em honra ao ex-presidente do Estado José Pereira dos Santos Andrade que administrou o Paraná em duas gestões, de 1896 a 1900 e que faleceu em junho de 1900.

A urbanização da nova praça de Curitiba só ocorreu a partir de 1910 e foi incrementada com o início da construção do prédio da então Universidade do Paraná. Antes disso o local não passava de um descampado sem pavimentação e que se tornava um verdadeiro lamaçal em dias de chuva.

A urbanização efetiva da praça ocorreu em 1922 quando a prefeitura e o governo estadual escolheram a Praça Santos Andrade para as comemorações do Centenário da Independência do Brasil e assim a praça foi ajardinada e nela construiu-se um repuxo com três bicos d'água (que na década de 1950 seria remodelado nos atuais moldes).

O entorno da praça sofreu transformações ao longo do século XX com o desaparecimento do casario peculiar da velha Curitiba para surgir importantes edifícios, como a sede dos Correios em 1934, em 1951 o Edifício Marumbi e em 1954 o Edifício Ruy Barbosa. Nas comemorações do Centenário de Emancipação do Estado, em 1953, foi lançada a pedra fundamental do novo prédio do Teatro Guaíra que só foi concluído na década de 1970. Em 1977 a praça recebeu a pavimentação completa do petit pavet e nesta obra a Rua João Negrão perdeu alguns metros de sua pista de rolagem para veículos, pois o trecho da rua que se encontrava logo em frente às escadarias do prédio da UFPR foi transformado em calçadão para pedestres.
Fonte: Wikipedia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.