quarta-feira, 30 de setembro de 2009

RVPSC - Antiga estação ferroviária de Curitiba


Ao iniciar-se, em 1880, a construção da ferrovia ligando Paranaguá a Curitiba, a comissão encarregada dos estudos para a localização da estação ferroviária de Curitiba, solicitou à municipalidade a doação do terreno à Companhia Geral de Estradas de Ferro. Como se tratava, porém, de terreno aforado, somente nove anos depois o mesmo foi adquirido.

O projeto da estação, baseado em modelo europeu, coube ao engenheiro, de origem italiana, Michelangelo Cuniberti. Em 1894 o edifício foi ampliado com a construção de mais um pavimento, obra atribuída ao engenheiro Rudolf Lange. Com a transferência, em 1918, dos escritórios da companhia para outro local, passou o edifício por modificações que incluíram a criação de um salão nobre.

Com o desativamento da estação, após a inauguração, em 1972 da nova estação rodoferroviária de Curitiba, foi nela instalado um museu projetado por museólogos da Rede Ferroviária Federal.

Hoje o museu faz parte do complexo do Shopping Estação.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Viva seus momentos


Fiz essa foto de dentro do meu carro, quando passava pela Rua XV de Novembro quase esquina com a Rua Ubaldino do Amaral, no Alto da XV. Achei irônico o contraste dos dizeres "Viva seus momentos" de uma placa com a propaganda de uma joalheria, com os dois moradores de rua dormindo no chão da calçada, abrigados pelo ponto de ônibus.
Curitiba tem uma entidade ligada à prefeitura municipal chamada FAS (Fundação de Ação Social) cuja missão é coordenar e implementar a política de assistência social no município, para a proteção social de famílias e indivíduos em situação de risco e vulnerabilidade social. Uma das ações é recolher pessoas desabrigadas na rua, oferecendo novos oportunidades de vida.
Mais detalhes sobre a importante ação da FAS pode ser encontrata no site http://www.fas.curitiba.pr.gov.br/

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Plá

Foto de Diogo Saito Takeuchi

O Plá é uma figura das ruas de Curitiba (dentre várias), que todo mundo já viu, ouviu falar e até ouviu cantar. Músico de rua desde 1984, é encontrado facilmente vagando e apresentando-se na Rua das Flores, pelo centro da cidade e aos domingos, no Largo da Ordem (na feirinha).

É músico, compositor e escritor com alguns livros publicados de forma independente. Suas musicas falam da sua visão particular do mundo e da sociedade. O registro de seus shows e CD's é feito por amigos.

Uma entrevista bem legal dele vocês podem encontrar no livro Curitibocas. Detalhes no blog curitibocas.blogspot.com.

domingo, 27 de setembro de 2009

UPE - União Paranaense dos Estudantes


O casarão da União Paranaense dos Estudantes (UPE), na Rua Carlos Cavalcanti, no Alto São Francisco, em Curitiba é um imóvel em estilo neoclássico, construído em 1918.

Antiga residência de família, o imóvel foi adquirido pelo governo estadual na década de 50 e chegou a ser utilizado por órgãos da administração estadual. Mas foi como sede da UPE, entre 1959 e 1968, que o prédio ganhou notoriedade. O local era, na época, um centro de animação cultural e política da cidade.

sábado, 26 de setembro de 2009

Palácio das Telecomunicações


O Palácio das Telecomunicações em Curitiba, já foi a sede da Telepar, Brasil Telecom e hoje Oi. O prédio, inaugurado em 1970, possui 92 metros de altura, numa altitude de a 1024 m. É o segundo ponto mais alto de Curitiba, depois da Torre das Mercês.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A restauração do Paço da Liberdade






O Paço da Liberdade é um dos mais importantes monumentos de Curitiba, com linhas arquitetônicas que se enquadram no ecletismo – mistura de tendências arquitetônicas de períodos diversos da história e que começou a se disseminar em Curitiba no final do século XIX, com predominância do Art Nouveau. Decorando seu interior, foram colocadas portas de imbuia, uma bela escadaria e um elevador vindo da Europa, o primeiro de Curitiba.

O antigo prédio abrigou o gabinete de 42 prefeitos de Curitiba e historiadores atestam que o edifício já passou por pelo menos três reformas. Os restauradores revelam, por meio do trabalho de prospecção – pela decapagem de pequenas janelas nas paredes –, que algumas já foram pintadas pelo menos onze vezes. Construído de 1914 a 1916, o Paço é o único prédio curitibano com tombamento nas três instâncias: municipal, estadual e federal.

Cerca de 80 restauradores, operários e técnicos trabalharam na última restauração (2008-2009) para colocar em prática as duas etapas do projeto: o restauro (seguindo as mesmas técnicas da época em que foi construído) e a reciclagem (reformas de construção civil) do prédio. A restauração começou em junho de 2008 e a finalização das obras ocorreu no final do mês de março de 2009. Renovado, porém sem perder o aspecto de prédio antigo, o Paço da Liberdade foi minuciosamente restaurado com o cuidado de manter-se fiel à sua aparência original. Foram reutilizados todos os materiais originais que ainda estavam em boas condições e apenas o que realmente não tinha condições de ser reaproveitado foi substituído. O prédio dividiu seus espaços em salas para leitura; um espaço para música com um estúdio de gravação; salas e audiovisual com um estúdio de arte eletrônica; salas de exposições ocupando todo o primeiro andar. A intenção é também concentrar no Paço, cursos nas áreas de artes e comunicação.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Correio Velho



Primeira agência oficial de correios e telégrafos de Curitiba, construída em 1934. Com iluminação potente, elevadores, relógios eletrônicos e instalações telegráficas, a construção foi considerada um marco da modernidade no Estado na década de 30.
Localiza-se no centro de Curitiba, ao lado do prédio da Universidade Federal do Paraná, junto ao final do calçadão da Rua das Flores.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Praça Rui Barbosa


Praça localizada no centro de Curitiba, entre as Ruas Desembargador Westphalen, 24 de Maio, André de Barros e Pedro Ivo, possui uma área de 22.095 m². Foi inaugurada em 1913, e reformulada por diversas vezes, sendo a maior delas em 1997, quando passou a abrigar a Rua da Cidadania Matriz de Curitiba, com 14.000 m² de área construída, que abriga além dos serviços públicos municipais, 558 boxes para venda de artesanato e de produtos dos ambulantes que foram relocados do calçadão da praça, compondo o Mercado Popular. Funciona ainda ali, um auditório com capacidade para 80 pessoas, um restaurante popular e um estacionamento. A grande novidade dessa Rua da Cidadania é a Internet, disponível em 20 terminais, onde todo o cidadão pode ter acesso.

No seu entorno localizam-se a Igreja do Senhor Bom Jesus e a Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, além do Terminal de Transporte Coletivo - onde circulam cerca de 200.000 pessoas/dia.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Colégio Positivo



Em 1972, nasce, em Curitiba, o Grupo Positivo. Além de elaborar e imprimir o próprio material didático, os professores-fundadores sistematizam o ensino em sala de aula com base em uma metodologia inovadora. Para imprimir o material didático, os professores inauguraram também uma pequena gráfica, a atual Posigraf. Em 1976 o Grupo Positivo decide abrir uma escola de ensino regular e começa pelo Ensino Médio. Eles inauguram o então Colégio Positivo, que, mais tarde, passa a se chamar Colégio Positivo Ângelo Sampaio. Em 1977 nasce o Colégio Positivo Júnior, voltado para o atendimento de alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental.

Em 1988 com a experiência de 16 anos na área de Educação Básica, os professores-fundadores decidem atuar no Ensino Superior e inauguram as Faculdades Positivo, que se transformam, em 1998, no UnicenP – Centro Universitário Positivo.

Em 1999 o Grupo Positivo inaugura o Colégio Positivo Jardim Ambiental, a terceira unidade das Escolas Positivo, para alunos da Educação Infantil à 2ª. série do Ensino Médio. Em 2008, as Escolas Positivo implantam um novo nível de ensino, a Educação Infantil, e passam a atender crianças de quatro e cinco anos de idade no Colégio Positivo Jardim Ambiental e no Colégio Positivo Júnior. Neste ano, também acontece o credenciamento do UnicenP no MEC – Ministério da Educação – como universidade. O Centro Universitário Positivo transforma-se em Universidade Positivo.

Desta forma, o Grupo Positivo completa o ciclo educacional ao oferecer todos os níveis de ensino por meio das Escolas Positivo (instituição de Educação Básica), do Curso Positivo (curso pré-vestibular) e da Universidade Positivo (instituição de Ensino Superior).

Fonte: site do Grupo Positivo

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Show da Fernanda Takai




Na última sexta-feira dia 18/09, o Teatro Guaíra e Curitiba, tiveram o prazer de receber o show da Fernanda Takai, lançando o CD e DVD “Luz Negra”, baseados principalmente no seu CD solo no qual ela faz releituras de músicas gravadas por Nara Leão. No show entraram alguns ótimos bônus como versões de músicas do Duran, Duran, Eurythmics e Michael Jackson.

O show foi como o título de uma das músicas (Chico Buarque) cantadas por ela: “Com Açúcar e com Afeto”. A iluminação estava perfeita, o palco montado de forma que a banda e principalmente a Fernanda ficasse muito próxima do público, as músicas são fantásticas (em minha modesta opinião, alguns arranjos ficaram mais inspirados que os originais) e o carisma dela é enorme, conquistando a todos com seu bom humor e seu jeito doce. Enfim, um grande show num grande teatro, que há tempos não tinha a oportunidade de freqüentar. Ir ao Guaíra é sempre uma ocasião especial.

domingo, 20 de setembro de 2009

Adolescência, Carro, Acidente


Hoje pela manhã flagrei uma cena triste, mas felizmente não trágica. Pelo que me disseram, o garoto (menor de idade) da foto pegou o carro da mãe sem autorização, foi para a balada com os amigos e por volta das 06h00, em alta velocidade na Rua Nossa Senhora da Luz, tentou e não conseguiu vencer a curva para tomar a Rua Itupava, no Alto da XV. Capotou o carro no canteiro central, destruindo o carro e o semáforo dessa esquina. Felizmente não houve vítimas fatais, apenas o prejuízo da destruição do carro, o olhar perdido do garoto e o desespero da mãe, dando explicações para o policial de trânsito.


sábado, 19 de setembro de 2009

Cinemateca de Curitiba


A Cinemateca de Curitiba permitiu o surgimento de novos cineastas e, até hoje, mantém a proposta social de colocar ao alcance das comunidades tanto a apreciação como o fazer cinematográfico. O prestígio conquistado pelo trabalho da Cinemateca propicia a realização de cursos e palestras, com a presença de nomes nacionais e internacionais da área cinematográfica.

Fundada em 1975, com o nome de Cinemateca do Museu Guido Viaro, a Cinemateca de Curitiba (nascida de projeto idealizado por Valêncio Xavier e executado pela Fundação Cultural de Curitiba), forma ao lado da Cinemateca do MAM Museu de Arte Moderna (RJ) e da Cinemateca Brasileira (SP), as três únicas instituições do gênero reconhecidas no Brasil. Alguns filmes produzidos ou co-produzidos pela Cinemateca de Curitiba receberam prêmios em festivais nacionais.

A nova sede da Cinemateca, na Rua Carlos Cavalcanti, 1.174, possibilitou espaço adequado ao acervo de filmes e à documentação para pesquisa, bem como melhores condições para mostras de cinema. Ela foi inaugurada em 22 de abril de 1998. Com área de 1,2 mil metros quadrados, a Cinemateca é composta por duas casas do setor histórico da cidade totalmente restauradas e adequadas às funções, além de um prédio especialmente construído para abrigar a Sala João Batista Groff, com 104 lugares. O público tem acesso também à Sala Limite, preparada para a exibição de vídeos e que possui 25 lugares.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Instituto de Educação do Paraná


Em 1922, quando se comemorava o Centenário da Independência, o Governador Dr. Caetano Munhoz da Rocha entregou à Escola Normal o prédio do atual Instituto de Educação, o Palácio da instrução, na Rua Aquidaban, hoje Emiliano Perneta em Curitiba.

Lysímaco Ferreira da Costa elaborou um novo regulamento para as Escolas Normais que entrou em vigor em 1923, o qual dava novos aspectos ao estabelecimento, assegurando-lhe autonomia e criando um Grupo Escolar para prática pedagógica das alunas da Escola Normal.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Galeria Julio Moreira - TUC



Construção de 1976, liga a Rua José Bonifácio ao Largo da Ordem.

É um subterrâneo feito para proteger os pedestres do tráfego intenso da Travessa Nestor de Castro. Homenageia o pesquisador e historiador Júlio Estrella Moreira.

Tem pontos comerciais e de animação cultural, como revistaria, lanchonete e o Teatro Universitário de Curitiba, o TUC.

O TUC, aberto em 1978, abriga há 22 anos o Canja de Viola, tradicional ponto de encontro de cantores, violeiros, duplas e conjuntos de música caipira de Curitiba, sempre aos domingos e com entrada franca, também tem por vocação, divulgar e incentivar as bandas locais. Depois de uma reforma em 2008, o teatro ampliou sua capacidade e conforto aos frequentadores.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Largo da Ordem



Localizado no Setor Histórico de Curitiba, o Largo Coronel Enéas ficou popularmente conhecido como Largo da Ordem por abrigar a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, a mais antiga de Curitiba.

Possui edificações dos séculos XVIII e XIX, resultando em uma arquitetura diversificada. Restauradas e adaptadas, hoje estas obras são utilizadas na propagação da cultura e também como instituições de ensino, restaurantes, mini-shoppings, pubs e lojas.

Ícone histórico-cultural de Curitiba, o Largo da Ordem abriga intenso e variado comércio desde o século XVIII. Em outras épocas, como ponto de venda de hortifrutigranjeiros produzidos por colonos e, hoje, como local da Feirinha de Artes e Artesanato.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Shopping Mueller



Não mais de seis travessas cortava as doze ruas de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, a Curitiba de 1878. Pelas ruas, dispersavam-se perto de 300 casas. O clima na cidade era de amor às artes, aliado ao grande espírito de progresso que influenciava as iniciativas da época.

Foi nesse clima que Gotleib Mueller, instalou na antiga estrada de Assunguy, hoje esquina das ruas Mateus Leme e Barão de Antonina, a primeira oficina mecânica e ferraria de Curitiba, sem imaginar o papel que iria desempenhar para a economia paranaense, o pioneiro da indústria metalúrgica do Paraná. Aos poucos, a modesta oficina foi se transformando num grande complexo industrial.

Há vinte e seis anos, quando os empreendedores do Mueller tiveram a idéia de construir um shopping Center em Curitiba, estavam diante de um desafio inédito: reunir, em um espaço fechado, lojistas acostumados ao tradicional comércio de rua, semeando na capital paranaense, uma crescente tendência das grandes cidades. O antigo prédio onde funcionava a fundição Marumby era o espaço ideal. O local era conhecido como a “fábrica dos irmãos Mueller”.

Para escolher o nome do shopping, os empreendedores lançaram mão de um criativo recurso. Pediram que um motorista de taxi os levasse até a fábrica Mueller. Se ele não perguntasse o endereço, o nome Mueller permaneceria. E assim foi.

A reciclagem do prédio foi aprovada (preservando apenas as paredes externas da construção. Em 1979, o prédio foi comprado. Em setembro de 1983, foi inaugurado o Shopping Mueller, tornando-se referência de consumo e sua fachada, um marco da cidade. Em 1990 foi inaugurado o Top Mueller, a terceira praça de alimentação do Brasil. Em 2003 ampliou seu estacionamento, ganhando sua passarela sobre a Mateus Leme. Por fim, em 2004 foram inauguradas as salas de cinema.

Fonte: www.shoppingmueller.com.br

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Rua Marechal Deodoro



A Rua Marechal Deodoro já constava em mapas de Curitiba de 1850, sob a denominação de Carioca de Baixo. Nela se instalaram depósitos de lenha, fábrica de águas gasosas, ferrarias e pequenas lojas de comércio. Justamente po isso, passou a ser conhecida como Rua do Comércio.

Em 1880 por conta da visita do imperador e sua imperatriz, a Rua do Comércio teve seu nome mudado para Rua do Imperador.

A mudança para sua denominação atual, Rua Marechal Deodoro, ocorreu logo depois da proclamação da república, não pelo clamor popular, mas pelos bajuladores de plantão e pela urgência de expurgar toda e qualquer referência ao império.

Hoje a Marechal corta o centro de Curitiba e nela encontram-se agências de quase todos os bancos, todas as lojas de varejo e várias empresas de crédito pessoal, que colocam pessoas nas calçadas em busca de clientes (ou vítimas, como preferirem), tal como o herói cabeçudo da foto acima.

domingo, 13 de setembro de 2009

IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional


Construção anterior a 1921, a Casa Domingos Nascimento, tem caráter rural e remete ao legado da imigração polonesa em Curitiba.

Localizada originalmente no bairro Portão, em 1985 foi transladada para a Rua José de Alencar no Alto da XV. Preservada, seu uso é como sede regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

sábado, 12 de setembro de 2009

Praça Santos Andrade



A Universidade e o Teatro emolduram a praça. Foi Largo Lobo de Moura, Largo Duque de Caxias e Largo da Imperatriz. O nome atual homenageia a memória do promotor e presidente do Estado José Pereira dos Santos Andrade.

Tem fonte luminosa, com memoráveis espetáculos de dança das águas na lembrança dos curitibanos. Em lados opostos da praça estão a Universidade Federal do Paraná e o majestoso Teatro Guaíra. Todos os bustos e estátuas desta praça encontram-se voltados para a Universidade, em sinal de reverência à cultura paranaense. São mais importantes os do fundador da UFPR Professores Nilo Cairo, de Victor Ferreira do Amaral e Silva, de Júlia Wanderley (professora, historiadora e 1ª poetisa do Paraná), de Rui Barbosa e de Santos Dumont - inaugurada em 1935 é a primeira estátua erigida no Brasil em sua homenagem, por iniciativa do Aero Clube do Paraná. Dentre os vários pinheiros existentes, um foi plantado em 1922, por ocasião do Centenário da Independência do Brasil, no governo de Caetano Munhoz da Rocha.
O espaço livre em frente ao Teatro Guaíra também serve de palco para vários eventos musicais e as escadarias da UFPR constantemente e historicamente são ocupadas por estudantes que estão por concluirem seus cursos e lá fazem seções de fotos para seus convites de formatura. Já o espaço em frente à grande escadaria, recebe anualmente um grande palco para as apresentações de natal.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Confeitaria das Famílias


Inaugurada em 1945, a Confeitaria das Famílias, em Curitiba, tornou-se ao longo dos anos a mais tradicional da cidade. Seus doces são referência na Gastronomia local, principalmente os Folhados, sempre crocantes e deliciosos.

As receitas dos doces, especialmente os de massa folhada, são as mesmas do tempo da fundação do estabelecimento e segredo da família, mantido a sete chaves. A Confeitaria é, e sempre foi, local de visita obrigatório para Curitibanos e turistas de passagem por Curitiba.

Uma curiosidade bacana é que a Torta Martha Rocha foi criação do Confeiteiro espanhol Jesus Tezardo, marido de Dair da Costa Tezardo, a proprietária.

A casa passou por uma reforma em 1984, modernizando ambiente, equipamentos e inaugurando, no andar superior, um salão de chá. Ponto de encontro de famílias e amigos, a Confeitaria das Famílias continua como referência de qualidade em tudo o que faz! Fica na Rua das Flores no número 374.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Centro Cívico de Curitiba



O Centro Cívico de Curitiba foi projetado pelo arquiteto David Xavier de Azambuja, auxiliado por Sérgio Rodrigues, autor do Palácio da Justiça, Olavo Campos, idealizador do conjunto da Assembléia Legislativa e Flávio Amílcar Regis.

Nele concentram-se os edifícios que abrigam o poder Executivo, Legislativo e Judiciário, tais como o Palácio Iguaçu, a Assembléia Legislativa; o Edifício Humberto de Alencar Castelo Branco de autoria de Oscar Niemeyer, atualmente Museu Oscar Niemeyer e os dois blocos formados pelos Edifícios Caetano Munhoz da Rocha e Affonso Alves de Camargo de autoria de Luís Forte Netto, Orlando Bussarello e Diva Cândida S. Bussarello, que abrigam algumas Secretarias do Estado e o Ministério Público (a partir de junho de 2003). Em frente ao Palácio Iguaçu encontra-se um palanque para atos cívicos.

Ainda no Centro Cívico funcionam o Tribunal de Contas, projetado por José Sanchotene e Roberto Luiz Gandolfi; o Tribunal do Júri; o Fórum de Curitiba e a Prefeitura Municipal de Curitiba, este último prédio de autoria de Rubens Meister, além da Praça Nossa Senhora da Salete, com 52.000 m² e paisagismo de Burle Marx.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Hotel Braz


Símbolo hoteleiro e cenário de comícios em Curitiba, o Hotel Braz situa-se na Avenida Luiz Xavier desde 1935, em plena Boca Maldita.

Nasceu em 1930, na Praça Tiradentes, propriedade do casal português Maria e Francisco Braz. O prédio atual ficou pronto em 1941. Hotel dos mais importantes de Curitiba na década de 50, o Braz hospedou políticos e foi palco de muitos comícios, entre eles um de Getúlio Vargas, em 1950.

Fechou suas portas em 1978 e reabriu reformado, com o Grupo Slaviero, em 1991.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Rua Carlos Cavalcanti


Conhecida em Curitiba nos meados do século XIX por Rua do Saldanha, passou a ser chamada a partir de 1870 (aproximadamente) como Rua do Serrito. Nessa época era pouco mais que um carreiro.

Apenas por volta de 1880 é que cocheiras, selarias, oficinas, depósitos de lenha e afins se estabeleceram nessa rua. Esses estabelecimentos limitavam-se ao trecho compreendido entre o Largo Bittencourt (Circulo Militar) e a Rua da Graciosa (hoje Barão do Serro Azul). Na direção oeste é que se delieava o aclive, ou uma pequena serra ou serrito.

Na Questão do Contestado, o Paraná foi defendido na esfera federal pelo Conselheiro Barradas, que depois de sua morte, foi homenageado dando nome à antiga Rua do Serrito. Anos mais tarde, a morte do ex-presidente do Estado, Dr. Carlos Cavalcanti de Albuquerque, fez substituir o nome da Rua Conselheiro Barradas pela denominação atual: Rua Carlos Cavalcanti.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Desfile de 07 de setembro





Hoje fomos ao Centro Cívico para acompanhar o desfile de 07 de setembro. Depois de todas as escolas estaduais de Curitiba desfilarem com seus alunos e fanfarras, passaram os pracinhas em carros militares, os alunos do Colégio Militar de Curitiba e então, as forças armadas com todas as suas divisões e carros blindados.

Não havia arquibancadas para todos, assim as pessoas se espremiam ao longo da Avenida Cândido de Abreu, no topo de árvores, muretas e onde conseguissem um ponto para melhor observarem o desfile.

As pessoas realmente pareciam estar apreciando o evento, agitando suas bandeirinhas e vibrando de acordo com o que se passava na avenida.

domingo, 6 de setembro de 2009

Caliceti de Bologna Ristorante



Fundado em 1970 pela “Famiglia Caliceti”, este magnifico templo da gastronomia da região de bologna, de onde descende esta família, introduziu no Brasil massas como o “torteloni verdi di ricota”, “lazagne verdi di alla bolognese”, “tortellini in brodo” e tantas outras delicias desta região tão conhecida no mundo por suas massas e molhos.

O "Caliceti di Bologna Ristorante" é freqüentado por celebridades e por pessoas que cultivam a qualidade e o sabor dos pratos. Após todos esses anos este restaurante, que ainda é comandado pela “Famiglia Caliceti”, se mantém como um ícone da cozinha italiana que sob o comando da Cheff “Erminia Caliceti” inova a cada momento tanto no design das massas como nas maravilhosas criações de pães, molhos e doces que fazem a fama entre os frequentadores.

O Bologna (como era conhecido antigamente) sediava-se no centro, na Rua Carlos de Carvalho em frente ao Edifício Asa, mudando-se posteriormente para uma sede maior no Bairro do Batel, mantendo-se na mesma rua.

sábado, 5 de setembro de 2009

Secretaria de Estado da Cultura do Paraná



Construção de 1904, antiga sede do Gymnasio Paranaense. Por esse endereço em Curitiba, circularam gerações de estudantes.

A atual sede da Secretaria de Estado da Cultura, inclui a Casa Andrade Muricy. Foi coletoria estadual e sediou órgãoes governamentais até ser sala de exposições, em 1998. O conjunto é tombado pelo patrimônio histórico.

Em 18 de junho de 1979, foi criada pelo Governo do Estado do Paraná a Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte – SECE, Lei n.º 7169 assinada pelo então governador Ney Braga, sendo instalada no prédio do antigo Ginásio Paranaense à rua Ébano Pereira, em Curitiba.

Criada inicialmente com a finalidade de coordenar e promover as atividades concernentes às áreas da cultura e do esporte amador, essa Secretaria originária do Departamento de Cultura da Secretaria de Estado da Educação e Cultura ganha estatus de órgão de primeiro nível dentro da administração estadual. Mais tarde, passa a denominar-se Secretaria de Estado da Cultura – SEEC. Nesse ano a Secretaria de Cultura completou 30 anos.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Prefeitura Municipal de Curitiba


A atual sede da Prefeitura Municipal de Curitiba no Centro Cívico, foi projetada por Rubens Meister para substituir a sede das praças gêmeas Generoso Marques/José Borges de Macedo, o atual Paço da Liberdade.

Inaugurada em 14 de novembro de 1969, integrou a Prefeitura Municipal de Curitiba ao complexo do Centro Cívico, previsto no Plano Agache e implantado durante as comemorações do primeiro centenário da emancipação política do Paraná em 1953.

Alguns dados técnicos de Curitiba:
Área: 430,9 km²
População: 1.797.408 (estimativa IBGE/2007)
Bairros: 75
Relevo: Levemente ondulado
Área verde por habitante: 51 m²
Extensão Norte-Sul: 35 km
Extensão Leste-Oeste: 20 km
Altitude média: 934,6 m
Latitude: 25º25'48'' Sul
Longitude: 49º16'15'' Oeste
Fuso horário: Brasília
Clima: Temperado
Pluviosidade: 1.500 mm/ano
Temp. média no verão: 21ºC
Temp. média no inverno: 13ºC

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Avenida Cândido de Abreu


Cândido de Abreu nasceu no dia 02 de agosto de 1855.

Nomina um trecho da antiga estrada da Graciosa, o que se inicia na Praça 19 de Dezembro e termina no Palácio Iguaçú.

Foi duas vezes prefeito de Curitiba. Em seu primeiro mandato nos últimos anos do século XIX pouco pode fazer pela escassez de recursos. Em seu segundo mandato porém, em 1912, obteve substancial empréstimo, aplicando-o em obras duráveis, edificando o Paço Municipal (hoje Paço da Liberdade na Praça Generoso Marques) e embelezando Curitiba com praças e jardins.

Restabeleceu alinhamentos viários e deixou planejada a instalação elétrica para os bondes. O Passeio Público ganhou a estrutura e desenho que possui até hoje. Foi ainda deputado federal e senador. Faleceu em 1919. É considerado o primeiro urbanista do Paraná.

Fonte: Livro "Ruas e histórias de Curitiba" de Valério Hoerner Júnior. Editora Artes e Textos. Curitiba, 2002

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O Bondinho da Rua XV



O bondinho, um dos marcos da rua XV de Novembro, coração de Curitiba, foi instalado em outubro de 1973.

Desde então, já sediou um espaço de atividades de recreação e arte para crianças de três a dez anos, sob a responsabilidade da Fundação Cultural de Curitiba.

Em 2005, após um ano e meio fechado, o bondinho passou por algumas reformas. Em comemoração aos, então, 312 anos da capital, a reforma foi feita com a colaboração do HSBC e procurou manter as características essenciais do bondinho, com destaque para sua cor vermelha.

Desde novembro de 2008, as atividades culturais e de recreação no bondinho foram interrompidas. Antes disso, havia uma programação semanal, todos os sábados pela manhã, que incluía teatro infantil e aulas de pintura de rua. O bondinho constituía, também, um dos nove Pontos de Informação Turística mantidos pela Prefeitura Municipal. Por absoluta falta de espaço físico, de acordo com a assessoria de imprensa da Fundação Cultural, as aulas de pintura em papel foram transferidas para o Passeio Público.

Em sua imobilidade, por entre o vaivém dos passantes do movimentado calçadão da rua XV, o bondinho deixa saudades para muitos e desperta a curiosidade de quem não conhecia suas antigas funções.

Entre o final dos anos setenta e começo dos anos 90, por exemplo, o bondinho era conhecido como “estacionamento de crianças”: os pais que saíam às compras podiam deixar os filhos durante uma hora no espaço. Lá, os pequenos esperavam se divertindo com atividades recreativas e educativas — uma prática que acabou também se dissolvendo por causa do grande volume de crianças a serem atendidas; e a grande responsabilidade em cuidar de toda a criançada também acabou pesando na decisão de se encerrar o serviço, segundo a Fundação Cultural de Curitiba.

Por enquanto o Bondinho da Rua XV continuará sendo um dos monumentos da cidade. A fundação Cultural informa que não há previsão de quando as atividades serão retomadas e o bonde reaberto à população.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Praça Tiradentes - O Passado em Exposição



No início de 1994 a Praça Tiradenes foi reformada com o objetivo de alterar o tráfego do anel central de Curitiba, além de servir como terminal de transporte coletivo.

Revitalizada no ano de 2008, a Praça Tiradentes resgata sua importância e seu significado para a cidade de Curitiba.

A obra contou com o acompanhamento de arqueólogos da UFPR (Universidade Federal do Paraná), que durante as escavações, encontraram objetos referentes à ocupação dos primeiros moradores. Mais significativos dentre os achados, são os vestígios de calçamentos correpondentes à primeira urbanização do espaço, datados da segunda metade do século dezenove.

Embora fragmentários, os calçamentos permitiram o entendimento do traçado urbanístico implantado. Esses vestígios ficam agora em exposição na praça, sob proteção de um display em vidro (como pode ser observado na foto acima).
Pesquisas e investigações ainda serão necessárias para esclarecer o significado dessas descobertas. No entanto, poder ter acesso a esses vestígios, cenário testemunha da história de Curitiba, estimula e aviva o imaginário da população.