terça-feira, 12 de abril de 2011

Casas de madeira de Curitiba 20



Andando algumas poucas quadras no Bigorrilho na Rua Frederico Cantarelli, entre a Bruno Filgueira e Francisco Rocha, achei essa belíssima casa de madeira. Em todos os detalhes, vê-se que seus proprietários a tratam com muito carinho, desde o jardim que retribui com muitas flores, a pintura bem feita (em mais de uma cor) e até, cortinas de renda nas janelas abertas! Reparem nas samambaias na varanda. Há quanto tempo vocês não viam samambaias?
Muitas vezes a beleza está exatamente na simplicidade das coisas.

7 comentários:

  1. linda a casa . é muito Curitiba isso.
    Vc nunca pensou em fazer um projeto de lei para publicar um livro com estas casas? me escreva se se interessa por isso.
    marconovack@mac.com
    abs.

    ResponderExcluir
  2. Uma pequena jóia!
    Não entendi para que seria preciso um projeto de lei, mas a idéia do livro sobre as casas de madeira sugerida por Marco Novack é bastante oportuna.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi Marco, oi Ayde! Seria bem legar ver um livro dedicado a arquitetura em madeira de Curitiba, seja com fotos minhas ou não (do Urban ou do Nego Miranda seria legal demais).

    Eu ainda estou na metade de um livro chamado "Espirais de Madeira: uma história da arquitetura de Curitiba" do arquiteto Irã Taborda Dudeque. Ainda não cheguei lá, mas espero que aborde esse tema das casas de madeira com profundidade. O livro é meio pesado (fisicamente inclusive), mas é bem completo.

    ResponderExcluir
  4. Ah! Vale lembrar aqui, que a idéia dessa série de casas de madeira foi da Ayde! Depois disso, passei a observar que temos ainda muitas casas de madeira em Curitiba. O legal da casa de madeira é que parece que a casa tem vida (eu que já morei numa, sei bem disso).

    ResponderExcluir
  5. Olá...nossa que lindas casas,admiro o capricho e zelo por essas casas, é como vc disse...sei bem disso...casa de madeira parece que tem vida e tem mesmo, sempre vejo e observo bem as casas de madeira que ainda existem, até as que estão em decomposição pelo tempo ou por falta de capricho, fico imaginando as famílias que ali habitaram...

    ResponderExcluir
  6. Quem cuida desse jardim e da pintura dessa casa é uma senhora de 83 anos,muito zelosa e dedicada amiga da dona da casa.

    ResponderExcluir
  7. 83 anos? Que graça! A casa tem cara de vó mesmo!

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.