domingo, 26 de junho de 2011

Armazém Santa Ana






O Armazém Santa Ana é um dos estabelecimentos que têm na sua porta um dos totens do patrimônio cultural. Hoje, está mais para restaurante/bar do que para armazém, como me explicou a Ana, pertencente a terceira geração da família Szpak a administrar o local.
Disse ela que o armazém um dia já respondeu por 90% do movimento e o bar, apenas 10%. O tempo e as mudanças fizeram esse percentual se inverter e com muito capricho nos quitutes, o local vive lotado nos finais de tarde. Diante da minha surpresa com uma linha de penicos pendurados na porta, Ana disse que ainda vende uns dois ou três toda semana, seja por necessidade ou brincadeira.
O Armazém Santa Ana foi inaugurado em maio de 1934 pelo imigrante ucraniano Paulo Szpak e sua mulher, descendente de poloneses Julia Zielonka Szpak. O armazém logo tornou-se parada de viajantes e agricultores que vinham de São José dos Pinhais, numa época em que a Avenida Salgado Filho era a única ligação entre as duas cidades, rumo a Santa Catarina. Os viajantes deixavam seus cavalos para descansar e beber água, enquanto faziam compras, tomavam uma cachaça e aperitivavam os embutidos preparados pelo dono da casa.
Pedro, um dos três filhos do casal, deu continuidade ao negócio dos pais, cuidando de tudo com muito esforço e dedicação. Ampliou a variedade de produtos e passou a deixá-los expostos na varanda. O armazém ganhou o slogan “O que vende de tudo”.
A década de noventa com as grandes redes de supermercados, dizimou a maioria dos pequenos comércios da cidade, porém com inteligência e força de vontade, Pedro, sua esposa Orlanda e seus filhos superaram as dificuldades. Os clientes vinham ao antigo armazém para comprar produtos que não eram mais vendidos nos supermercados e aproveitavam para tomar uma cerveja, comer os aperitivos e o delicioso Pierogi que dona Orlanda preparava.
Pouco a pouco a estrutura foi sendo melhorada, a variedade de petiscos ampliada e a qualidade e originalidade mantidas.
No Armazém Santa Ana, o ambiente, a casa, os produtos secos & molhados, remetem a uma Curitiba pequena e muito mais cordial.
As fotos mostram apenas o corpo principal da casa. Nas laterais há uma grande quantidade de mesas. O texto acima tem um pouco do que ouvi da Ana e li no cardápio da casa e no totem da prefeitura (que aliás, está parcialmente vandalizado e apesar das solicitações, a prefeitura não repara esse belo mobiliário urbano que o POVO de Curitiba pagou).
O Armazém Santa Ana fica na Avenida Senador Salgado Filho , 4460 no Bairro Uberaba.
Mais informações no site http://www.armazemsantaana.com.br/.

5 comentários:

  1. lugar fabuloso.
    o link do site não abre.

    ResponderExcluir
  2. Oi Marco. É bem legal mesmo! Fiquei muito curioso para experimentar o cardápio, que com certeza irei qualquer dia. Arrumei o link, obrigado pelo toque.

    ResponderExcluir
  3. Também fiquei interessada em ir lá. Grata pela divulgação.

    ResponderExcluir
  4. wow, I really like the photo of the shop person in her shop.
    Great portrait, Washington!

    ResponderExcluir
  5. Thank you Kitty! She is a very nice person that told me the history of her family.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.