sábado, 12 de março de 2016

A Casa Edith e o seu grafite



Ontem passando pela Casa Edith em direção ao Paço, vi uma pessoa na fachada da Barão do Rio Branco, finalizando uma pintura entre dois arcos da entrada, completando uma terceira obra.
Fiquei pensando porque estavam aplicando essas imagens na fachada, uma vez que em minha modesta opinião, destoam do conjunto arquitetônico.
Virando a esquina, já na Praça Generoso Marques, uma possível resposta. Acredito que o dono tenha a intenção de preservar a pintura substituindo a pixação por essas imagens.

4 comentários:

  1. A criatividade urbana é surpreendente.
    Talvez as três manifestações "artísticas" devam conviver juntas (arquitetura, pintura e pixação). Tema para pensar melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante o tema da vida urbana. Há pouco tempo tive uma discussão com um pixador ou defensor da pixação no meu blog e mesmo não me convertendo num admirador dessa "arte", confesso que me fez pensar sobre o tema.

      Excluir
  2. Querida casa Edith que continue viva, enquanto vender gravatas borboletas a 19,90, risos brincadeira, fico muito emocionado toda vez que entro nesta loja me recordo do meu querido avó sempre muito bem arrumado, um belo jovem da década de 40, casa Edith tem 130 anos faz parte da história de Curitiba, e está localizada em frente ao antigo palácio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Murilo, a casa Edith é um patrimônio da cidade. Espero que mantenha-se por muito mais tempo ainda. A vitrine deles é sensacional.

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.