domingo, 24 de julho de 2011

Dentro do Palácio São Francisco





Projetado e construído em 1928 pelo engenheiro Eduardo Fernando Chaves para ser a residência da Família de Julio Garmatter (empresário e pecuarista), o Palácio São Francisco foi vendido ao governo do estado por solicitação do interventor Manoel Ribas (amigo de Julio Garmatter) para sediar o governo, uma vez que o Palácio da Liberdade já era pequeno para esse fim. Considerado na época ideal para ser a sede do governo por localizar-se num ponto alto e de destaque e também, por suas linhas austeras e geométricas, distanciando da então considerada excessiva ornamentação do ecletismo. Foi sede do governo estadual até 1954 (quando foi inaugurado o Palácio do Iguaçu). Foi então sede do TRE até 1987, quando restaurado foi destinado ao Museu de Arte do Paraná e em 2002 ao Museu Paranense.
Nessa minha última visita do Museu Paranaense, fui em busca do livro (fonte para o texto de hoje) "Edifícios Públicos de Curitiba - Ecletismo e Modernismo na Arquitetura Oficial" de Elizabeth Amorim de Castro e da exposição. Mais um livro excepcional para conhecer a história de Curitiba através de sua arquitetura, nesse caso, de edifícios públicos.
Para minha grata satisfação, dessa vez as fotografias internas eram permitidas (sem flash) e pude fazer alguns registros do belíssimo interior desse museu tão importante para a história do Paraná.

3 comentários:

  1. Ai ai, Curitiba é tão legal. Ainda vou morar aí.

    ResponderExcluir
  2. Esse Palácio é aquele do largo da Ordem não é?

    ResponderExcluir
  3. Oi Anna. Será muito bem vinda em Curitiba.

    Oi Adriana. Não exatamente no largo, um pouco mais acima, na Praça João Cândido, onde ficam as Ruínas de São Francisco. Apesar que se você considerar (assim como eu) para fins de simplificação que toda a região da feirinha é o Largo, então está correto. Abraço.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.