quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A minha imbuia.



Logicamente eu não sairia impune dessa! O Napoleão fez questão que eu plantasse uma árvore. A muda escolhida foi uma imbuia e o local, uma cova já preparada e pronta para receber a muda, ao lado de um pequeno parquinho perto do Bar Cana Benta.
Posso dizer que adotei uma árvore e que de tempos em tempos, passarei por ela para dar um alô e dar uma regada.
Agradeço imensamente a oportunidade que o Napoleão me proporcionou de, com a mão na terra, ter a oportunidade de deixar para gerações por vir, uma bela árvore (assim pelo menos quero acreditar).
A Imbuia é uma frondosa árvore da família da Lauraceae (louros), que ocorre tipicamente em florestas ombrófilas mistas (floresta com araucária) da região dos Campos Gerais do Paraná.
A Imbuia tem flores pequenas, folhas pequenas e lusidias, tronco grosso, curto até as primeiras inserções dos galhos, razoavelmente retilíneo e por vezes retorcido. Seu fruto se constitui numa pequena cúpula basal.
A madeira da imbuia, outrora abundante, tem alto valor comercial para a indústria madeireira por sua afabilidade ao entalhe e longa durabilidade, afora excelente aparência: de cor parda em geral, possui veios que vão do amarelo ao marrom com riscas pretas. Devido à exploração depredatória de sua madeira nobre, hoje integra a Lista Oficial das Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção, publicada pelo Ministério do Meio Ambiente.
Fonte: Wikipedia.

Um comentário:

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.