segunda-feira, 18 de abril de 2016

O Grupo Escolar Lysímaco Ferreira da Costa e o Croquis Urbanos de Curitiba



Ontem o Lysimaco Ferreira da Costa foi aberto especialmente para receber a visita do Croquis Urbanos de Curitiba, matando a curiosidade de alguns e a saudades de outros (ex-professores e alunos).

Em Curitiba na década de 1940, os bondes foram substituídos pelas lotações, o que facilitou a circulação entre os bairros. O bairro da Água verde situava-se na fronteira entre o meio urbano e o rural, próximo ao bairro Batel.

Uma grande área, que seria futuramente ocupado pelo Grupo Escolar Lysimaco Ferreira da Costa foi comprada, o que proporcionaria uma visualização completa do edifício. O interventor Manoel Ribas assinou o decreto para desapropriação e compra do terreno em 30/12/1942.

A construção foi realizada pela firma Caron & Vellozo e o seu projeto pode ser considerado como o melhor exemplo da influencia da arquitetura neocolonial em Curitiba. A obra foi iniciada em setembro de 1943 e concluída em setembro de 1946. Mesmo não sendo um edifício de grande porte, destaca-se até hoje na paisagem urbana da região por estar num local alto do terreno.

Em 29/01/1946 o interventor Clotário Portugal assinou o decreto que mudava o nome de Grupo Escolar Água Verde para o atual Grupo Escolar Lysimaco Ferreira da Costa.

A linguagem neocolonial aparece nos frontões curvos e nas colunas com arcos rebaixados. Outra característica importante da influência neocolonial é a construção de uma torre, um dos elementos fortes da construção do século XIX, sobretudo na arquitetura religiosa.

O uso de uma pedra bruta escura disposta de forma irregular na parte inferior de todo o prédio, dá ao edifício um aspecto sólido e pesado, contrastando com a leveza da cor clara do restante do prédio.

Lysimaco Ferreira da Costa (1883-1946) foi um importante educador do Paraná. No início do século XX começou a participar intensamente na área de educação e, em 1920, dirigiu o Ginásio Paranaense e a Escola Normal de Curitiba, tornando-se depois disso, Inspetor Geral da Instrução Pública. Foi também Secretário da Educação.

Fonte: “HISTÓRIA & ARQUITETURA ESCOLAR: OS PRÉDIOS ESCOLARES PÚBLICOS DE CURITIBA (1943-1953)”, de autoria de ANA PAULA PUPO CORREIA.

4 comentários:

  1. ¡Mi colegio, del 70 al 72!Como creo que ya comenté en otra ocasión, nada es ahora igual. Tengo la sensación de que más allá no había nada más que campo y alguna casa. ¡Con todo lo que hay ahora!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Boas lembranças. Foi o meu primeiro colégio, ainda no pré-escolar, com avental azul e lancheira à tiracolo. Mas tarde fiz parte do ensino médio lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imaginei a cena João. Só faltou dizer que usava Conga!

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.