terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Meu lápis ou pincel invisível!

Esse rapaz parecia estar dormindo num dos bancos da Rua das Flores, mas na verdade ele estava apenas deitado e com algo nas mãos escrevia poemas imaginários ou croquisava desenhos invisíveis no petit pavé do seu quarto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.