sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Uma homenagem aos professores.










Sempre que passava pela via rápida que leva ao Pinheirinho, no bairro da Vila Izabel percebia uma seqüência de ruas com nomes de professores. Já vi em Curitiba (e em outras cidades) locais com seqüência de ruas com nomes de países, estados, animais, mas nunca havia visto com nomes de professores, o que achei bastante interessante. Ontem fui ao local para fotografar as placas e pesquisar quem são esses professores.
Como fotos de placas não é assim muito interessante, circulei pelas ruas dos professores e fotografei algumas coisas interessantes, com destaque para o Templo das Musas ou Instituto Neo Pitagórico, fundado pelo Prof. Dario Veloso.
Aproveito o post dizer que todos os professores mereceriam ter seu nome numa placa de rua, uma vez que ensinar no Brasil não é uma missão muito fácil, apesar de ser a mais importante das profissões.
Se desejarem saber um pouco desses notáveis professores, siga lendo.
Prof. Dario Veloso nasceu no Rio de Janeiro em 1869 e faleceu em Curitiba em 1937. Foi pensador, educador e poeta paradigmático do simbolismo brasileiro. Atuou em diversos jornais e revistas literárias da época. Deixou extensa obra, sendo considerado por Wilson Martins “o último sacerdote das religiões iniciáticas e o grande combatente das causas laicas”.

Prof. Guido Straub nasceu em Curitiba em 1890 e aqui faleceu em 1937. Em 1916 entrou para a Faculdade de Odontologia da Universidade do Paraná. Foi assistente de clínica odontológica da faculdade, professor de Anatomia, catedrático de história, higiene e agronomia do Ginásio Paranaense. Foi cirurgião dentista do Hospital das Crianças. Organizou o Museu Paranaense.

Prof. Sebastião Paraná nasceu em Curitiba em 1864 e aqui faleceu em 1938. Bacharelou em Letras no Rio de Janeiro, destacando-se nos estudos de geografia e história. Já em Curitiba, foi nomeado professor de Geografia Geral no Ginásio Paranaense, no Colégio Estadual e na Escola Normal. Foi Diretor da Biblioteca Pública e Diretor do Ginásio Paranaense e Escola Normal.

Prof. Ulisses Vieira nasceu em Curitiba em 1885 e aqui faleceu em 1942. Formou-se em Direito no Rio de Janeiro em 1910. Foi promotor público em Rio Negro em 1912. Em 1913 foi eleito Deputado Estadual, defendendo os direitos do Paraná na questão do Contestado. Abandonou a política para dedicar-se ao magistério. Fundou a Academia Paranaense de Letras em 1936.

Prof. Sebastião Paraná de Sá Sottomaior nasceu em Curitiba em 1864 e aqui faleceu em 1938. Foi um advogado, escritor, professor e político. Formou-se em Direito e Ciências Políticas e Sociais no Rio de Janeiro. Foi professor do Ginásio Paranaense, da Escola Normal e da Universidade Federal do Paraná. Foi diretor do Ginásio Paranaense e homenageado pela Academia Paranaense de Letras como o "Fundador" da Cadeira N° 2 desta instituição.

Sobre o Prof. Veríssimo Antônio de Souza não encontrei informações, apenas citações em documentos maçônicos.

Sobre o Prof. Brasílio Ovídio da Costa encontrei apenas uma citação na biografia do Prof. Guido Straub de que em 1919 esse último casa-se com sua colega de profissão, a cirurgiã-dentista Myriam de França Costa (Straube), filha do professor Brasílio Ovídio da Costa e Lavínia Nóbrega de França.


Sobre o Prof. Álvaro Jorge não encontrei qualquer informação, caso tenham informações sobre esse professor e também sobre os professores Veríssimo Antônio de Souza e Brasílio Ovídio da Costa, peço que me passem para complementar o post.

Grande parte das informações acima obtive no livro "1001 Ruas de Curitiba", Editora Artes&Textos, organizado por Camila Muzzillo.

4 comentários:

  1. A reunião dessas informações acima foi uma bela homenagem à figura do professor, prezado Takeuchi.

    ResponderExcluir
  2. Só lembrando que um dos motivos das ruas possuírem estes nomes é o fato da SEED estar localizada no bairro. Assim como as ruas transversais às ruas com nomes de professores possuem nomes de índios, já que a Casa do Índio também está no bairro.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante a publicação.
    Poderia ser engrandecida com dois dedos de prosa com o estudioso Ernani da Costa Straube, neto do Prof. Brasílio.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.