quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A família Alencar dos Guimarães Vianna







A família do Sr. Eleuther foi testemunha e protagonista da história da nossa cidade, do nosso estado e também do Brasil. 
Eleuther de Alencar dos Guimarães Vianna é filho de João Rodrigues Vianna e Erina Braga Guimarães de Alencar Guimarães Vianna, filha de Angélica Braga Guimarães e Leonel de Alencar Guimarães, filho de Bárbara Augusta de Alencar Guimarães e Manoel Antônio Guimarães Filho, filho de Maria Clara Correia Guimarães e Manoel Antônio Guimarães, o Barão e posteriormente o Visconde de Nácar (Nácar é sinônimo de madrepérola, substância produzida por alguns moluscos, como as ostras). 
Manoel Antônio Guimarães, o Visconde de Nácar, casou-se duas vezes. A primeira, em 1833, com Maria Clara Correia com quem teve oito filhos. Após a morte de Maria Clara Correia, casou-se novamente, em 1850, com a sua cunhada, Rosa Correia, com quem teve outros quatro filhos. Na vida política o Visconde de Nácar teve diversas funções no município de Paranaguá, como camarista, Presidente da Câmara Municipal, Delegado de Polícia, juiz municipal e comandante superior da Guarda Nacional. Foi Deputado Geral de 1886 a 1889 e deputado na assembleia Provincial de São Paulo. Como comerciante, foi um dos maiores exportadores paranaenses de erva-mate, assim como era dono da maior casa importadora de Paranaguá, a Guimarães e Cia. Em 21 de julho de 1876 foi agraciado com o título de Barão e em 1880 com o de Visconde. 
A esposa do Visconde de Nácar, Maria Clara Correia Guimarães era tia de Ildefonso Pereira Correia, o Barão do Cerro Azul, o maior exportador de erva-mate do Paraná e o maior produtor de erva-mate do mundo e o único paranaense com o nome inscrito no Livro dos Heróis da Pátria, depositado no Panteão da Liberdade e Democracia em Brasília. 
Bárbara Augusta de Alencar Guimarães era irmã de José de Alencar, famoso romancista brasileiro. Ambos eram filhos de José Martiniano de Alencar, senador do Ceará que articulou a criação do Clube da Maioridade, grupo de pessoas que promoveu a maioridade de D. Pedro II aos 14 anos de idade. 
Manoel de Alencar Guimarães (neto do Visconde de Nácar), mais conhecido como Alencar Guimarães, foi advogado, deputado estadual e federal diversas vezes, governador do Paraná em 1908 e senador de 1908 a 1920.  
A primeira foto de hoje mostra a árvore genealógica do Visconde de Nacar, pintada por Cândido de Abreu e presenteada à família. As folhas presas aos galhos representam as pessoas vivas e as folhas soltas, as pessoas falecidas na época em que a aquarela foi feita. Cândido Ferreira de Abreu (prefeito de Curitiba em duas oportunidades) era filho de Antônio Ferreira de Abreu e Maria Cândida Guimarães. 
A segunda foto mostra a Dna Bárbara Augusta de Alencar Guimarães (foto feita provavelmente na década de 1860, quando a fotografia ainda era algo para poucos). 
A terceira foto mostra uma poltrona na sala de provas do atelier que pertenceu ao Barão do Serro Azul.
A quarta foto mostra uma folha original do caderno de caligrafia da princesa Dona Francisca, irmã de D. Pedro II. 
A quarta foto trata-se da última imagem do Visconde de Nácar antes de sua morte. 
A quinta foto mostra um retrato do Visconde, distribuída na missa de 30 dias de sua morte em Curitiba. 
A história de cada um desses nomes da família de Eleuther renderam e renderiam livros e mais livros sobre a nossa história.

3 comentários:

  1. Adoro seu blog, mas só queria fazer uma pequena correção. A segunda foto, da Dona Bárbara, não é da década de 1860. Julgando pelo seu vestido, a foto é da metade dos anos 1870, provavelmente entre 1874 e 1877.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi LisaMarie. Obrigado por curtir o blog e pelo comentário. De fato não tenho uma informação precisa do ano da foto. Estimei o ano baseado na data de nascimento de Dona Bárbara e a idade aproximada comentada pelo Sr. Eleuther. Achei extremamente interessante a precisão que você estima a data da foto, baseando-se pelo vestido. Poderia detalhar um pouco mais essa informação. Fiquei bem curioso. Abraço.

      Excluir
    2. Primeiramente, antes tarde do que nunca!

      Deduzi a data pelo modelo do vestido. No início de 1870 começou a moda do "bustle" (que voltaria em 1883) quando o volume das saias passaram para a parte de trás. Esse estilo deu lugar para uma silhueta mais fina a partir de 1874/5, e como a saia na foto é um pouco baixa, mas ainda consideravelmente volumosa e com uma cauda, me parece ser dessa época. O decote quadrado, o cabelo alto e com cachos (provavelmente falsos) e as mangas também são bem típicas dessa época.

      Novamente, adoro seu site e visito sempre que posso, amo suas fotos!

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.