terça-feira, 20 de janeiro de 2015

O verdadeiro

Passando pela Av. Sete de Setembro perto do cruzamento da João Negrão, vi um belo grafite de um (parece) felino na porta metálica de um prédio onde funciona uma escola de música e um café/teatro chamado Toucher La Lune. Somente depois vi que ao lado funciona um comércio de pescados denominado Rei do Caranguejo, o verdadeiro (imagino que deva existir um falso).

3 comentários:

  1. Realmente nada sei sobre quem seria o "real" Rei do Caranguejo. No entanto lembro deste estabelecimento operar neste local (ou muito próximo, na vizinhança) há muitos anos, desde o final da década de 60, início dos 70 quando ia com um saudoso e querido tio comprar duzias de caranguejos - que acondicionava vivos em sacos de estopa no porta malas de um antigo Dodge americano - no local, para as tradicionais caranguejadas que promovia para amigos e parentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal a lembrança Irapuã, obrigado por compartilhar. Interessante saber que já existe desde os anos 70 e eu que há tanto tempo vivo aqui, nunca havia notado (talvez porque caranguejo não seja iguaria que me desperte paixões). Abraço.

      Excluir
  2. Realmente nada sei sobre quem seria o "real" Rei do Caranguejo. No entanto lembro deste estabelecimento operar neste local (ou muito próximo, na vizinhança) há muitos anos, desde o final da década de 60, início dos 70 quando ia com um saudoso e querido tio comprar duzias de caranguejos - que acondicionava vivos em sacos de estopa no porta malas de um antigo Dodge americano - no local, para as tradicionais caranguejadas que promovia para amigos e parentes.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.