terça-feira, 17 de agosto de 2010

Canaletas e trilhos



Estar num hospital nunca é uma experiência que poderia ser classificada como agradável, mas temos que aproveitar o que nos apresenta a vida da melhor forma possível. Acompanhei minha mãe ao Hospital Universitário do Cajuru (que não fica no Cajuru, mas no Cristo Rei) para um procedimento médico e do quinto andar do hospital, onde ela ficou em observação e passa muito bem, pude ver parte de Curitiba de um ângulo que não conhecia. Logicamente fiz algumas fotos (inclusive a do céu roxo com a estufa do Jardim Botânico).

As fotos mostram a Avenida Presidente Affonso Camargo (com sua canaleta para o expresso), os trilhos que partem da estação de rodoferroviária (bem perto dali) e a Avenida Dr. Dario Lopes dos Santos.

5 comentários:

  1. Que definição boa da foto, man! O traço vermelho é um destaque na cidade cinza

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Fabiano.

    Cidade cinza é uma boa definição para Curitiba em boa parte do ano. Lí em algum lugar que é a cidade (ou capital) que menos vê o sol durante o ano. Vou até procurar essa informação novamente.

    ResponderExcluir
  3. Nossa que linda essas fotos, vendo por esse ângulo é que da pra notar bem como mudou mesmo, bem só pudera né, eu mudei dali em 1963, tinha 10 pra 11 anos, da pra ver uma parte do moinho Anaconda, esse era meu caminho pra ir a escola Hildebrando de Araujo, onde hoje tem o asfalto do lado esquerdo da foto. Parabéns pela dedição.

    ResponderExcluir
  4. Oi Dioneia. Deve ser mesmo interessante ver, como num salto no tempo, paisagens que fizeram parte da nossa vida e que hoje foram modificados. Então você andava por esses caminhos aos 11 anos? Deve ter vivido numa Curitiba muito tranquila.

    ResponderExcluir
  5. Olá...sim andei e muito por esses caminhos e é uma pena que as coisas boas se modificam, o que mais sinto é muitas saudades desse tempo, e foi sim uma época muito tranquila, lembro que uma vez e pela primeira vez ouvi e vi um ladrão de galinha...coitado, o povo saiu correndo atrás dele e ele subiu no telhado da serraria que ficava em frente a minha casa e não tinha pra onde fugir, mas no final ele levou uns corretivos e tenho certeza que foi uma lição...diferentemente dos delinquentes de hoje que não se intimidam fácilmente, e aí se vê que até isso mudou...é uma pena.

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.