segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Praça do Gaúcho










“Você era um skatista da Praça do Gaúcho. Tomava bera no Pudim e achava aquilo tudo um luxo. 
Mas tudo mudou, não tem mais remédio, você virou um piá de prédio!”

O trechinho acima da música “Piá de Prédio” da banda curitibana Lívia e os Piá de Prédio é um indicativo do quanto é parte da cultura curitibana a Pracinha do Gaúcho, com sua pista de skate, seus bares e logicamente, a Sorveteria do Gaúcho.
Há muito tempo não passava por lá e aproveitando o final da minha incursão pelo bairro da Barreirinha, parei para um sorvete e para registrar a muvuca. Na pracinha do Gaúcho, a melhor definição que me vem à mente é aceitação, pois num mesmo espaço, crianças, jovens, senhores e senhoras, compartilham o mesmo espaço por razões diferentes (skate, sorvete, cerveja, amigos, família, filhos), na maior tranqüilidade.
Na pista de skate há uma placa da prefeitura que diz o seguinte:
“O cimento original de 1974 foi trocado por granitina, conforme sugestão dos esportistas da primeira praça pública de skate da cidade e a segunda do Brasil. De tão forte a presença dos praticantes, a Praça do Redentor é mais conhecida pelo nome popular: Praça do Skate. Ou, para os mais antigos, Praça do Gaúcho dos sorvetes.”
Pelo jeito eu sou dos antigos, pois sempre conheci o local como Praça do Gaúcho. Ah! O nome oficial da praça é Praça do Redentor!

6 comentários:

  1. Ahhh a citação da música da Lívia e os Piá de Prédio foi nobre de quem adotou a cidade. Depois da Banda Mais Bonita da Cidade e mais uma ela vai ficar mais famosa. Quando eu era pequeno meu pai me levava nas praças de skates prá passar vontade, porque o skate não estava bem concebido na mente e representava risco de se machucar. Não adiantou fui quebrar a cara de bicicleta e arrebentar os dedos de carrinho de rolimã e sobrevivi.

    ResponderExcluir
  2. Prá quem curte Curitiba como eu, não tem trilha sonora melhor do que as músicas da Lívia.
    Piá é assim mesmo! Só se quebrando consegue aprender a controlar um Skate, uma bike, um carrinho de rolimã. De bônus ganha auto-confiança.

    ResponderExcluir
  3. Washington,
    A tua Curitiba é especial. Gosto de passear por aqui.
    Dá uma olhadinha no ArteAmiga. Acabei de voltar de viagem e postei o que vi.

    ResponderExcluir
  4. Oi Jô. Sabe que li o seu comentário, mais especificamente a frase "a tua Curitiba é especial" e fiquei pensativo. Você tem toda razão. Tudo é uma questão de ponto de vista e de como encaramos as coisas. Já vi um blog sobre Curitiba (que foi abandonado) em que o objetivo era falar mal de Curitiba e de quem morasse aqui. Não que Curitiba seja livre de problemas, muito pelo contrário, temos todos os que uma cidade desse porte inevitavelmente tem, mas não vejo graça nenhuma em ficar atento aos problemas, ignorando todas as inúmeras qualidades que a cidade tem. É mais ou menos como devemos nos relacionar com a pessoa amada: valorizar e amar todas as qualidades, e eventualmente se aborrecer, mas se possível, achar graça dos pequenos defeitos.

    ResponderExcluir
  5. Ah! Olhei todos os seus posts sobre sua viagem à Grécia! Que viagem, que viagem!!!!

    ResponderExcluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.