quarta-feira, 18 de abril de 2012

Casa de Antônio Escorsin






Possivelmente em 2008, a rede de farmácias Droga Raia restaurou ao longo de quatro meses, um antigo imóvel que estava em ruínas no bairro São Brás, que pertenceu à Antônio Escorsin (que dá nome à rua). No local (atrás da casa restaurada) foi inaugurada mais uma filial da rede de farmácias, numa ação que provavelmente contou com o apoio da prefeitura, pois o imóvel certamente é uma Unidade de Interesse de Preservação.
A casa abriga uma exposição de fotografias de seu antigo morador e sobre a formação do bairro São Brás. Presente no bairro desde o século XIX, o casarão representa uma história de solidariedade entre os moradores, que, juntos, levaram educação, saneamento básico e saúde para a comunidade. “Antônio Escorsin foi um dos primeiros moradores do São Brás e uma pessoa fundamental no desenvolvimento de toda a região. Identificamos na sua história um personagem transformador e, em retribuição a seus esforços do passado, decidimos restaurar sua antiga morada”, explica Cristiana Pipponzi, diretora de Marketing da Droga Raia.
A ocupação do São Brás teve início no final do século XIX, com camponeses brasileiros e imigrantes, entre duas importantes áreas: Santa Felicidade e Orleans. Os primeiros a habitar a região foram os irmãos Chagas Lima, que herdaram 50 alqueires de terra no local, então chamado Quarteirão de São Brás. Aos poucos, outras famílias de imigrantes foram chegando, em sua maior parte italianos, poloneses e ucranianos. Em 1º de fevereiro de 1920, foi fundada a Sociedade Operária e Beneficente Internacional São Brás, com uma doação de terras feita por Antônio Escorsin.
Em 1951, o primeiro grupo escolar foi fundado, graças a uma arrecadação de dinheiro feita pelos moradores e a uma nova doação de terras feita por Antônio Escorsin. A atitude foi reconhecida e valorizada pela comunidade, que passou a homenagear seu patrono todos os anos, na data de seu aniversário. A partir dessa década, o bairro começou a ser intensamente ocupado. Antigos moradores lotearam suas chácaras a preços baixos, o que atraiu camponeses e famílias de baixa renda para a região. Nessa época, surgiram as vilas: Vila Helena, Vila Rica, Vila Maria, Vila São Brás, entre outras.
Somente em 21 de outubro de 1975, São Brás foi reconhecido como bairro, pelo Decreto-Lei 774. E, em meados da década de 80, investimentos públicos em infraestrutura tornaram o bairro um local atraente para os empreendimentos imobiliários. Nessa época, foram construídos diversos condomínios residenciais fechados, que atraíram um público de alto poder aquisitivo e configuraram o bairro como é conhecido nos dias de hoje.
Fonte: http://www.rp1.com.br/redator/item27540.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.