quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Capela da Glória


A Capela da Glória é uma construção de 1896 pertencente às famílias Leão e Veiga, representativas do ciclo da erva-mate no Paraná. A capela e o bairro têm a mesma padroeira, Nossa Senhora da Glória. O altar-mor em carvalho, as imagens e os afrescos são mudas testemunhas da grande pompa que marcou o ciclo econômico da erva-mate.
Fonte: Prefeitura Municipal de Curitiba

Obs.: O texto acima, extraído de um equipamento que a prefeitura municipal de Curitiba instala nas calçadas em frente aos pontos de interesse turístico/histórico da cidade, informa que a Capela pertence às famílias Leão e Veiga. Não encontrei outras referências que confirmem se ainda hoje essa capela pertence à essas famílias.

5 comentários:

  1. Essa linda e charmosa capelinha encontra-se totalmente abandonada. Muito triste o descaso da prefeitura para com o patrimônio histórico da nossa cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lean. Tenho dúvidas de quem seria a responsabilidade sobre essa capela. Ela foi construída pela família Leão, sendo portanto no início, uma propriedade particular. Não tenho certeza, mas creio que ela hoje é de responsabilidade da igreja Católica, sendo então essa a responsável pela sua conservação.

      Excluir
    2. De qualquer forma, é uma pena estar do jeito que está.

      Excluir
  2. Olá Washington!
    Belas fotos,como sempre.Sobre a capelinha existe um site que explica a situação da reforma. http://defender.org.br/noticias/nacional/curitiba-pr-as-vesperas-de-completar-117-anos-capela-da-gloria-espera-por-reforma/
    Gostaria de saber á quem pertenceu a construção que fica ao lado desta igrejinha, no numero 517.Pelo que vi estes dias, o casarão esta cercado por tapumes e infelizmente será uma linda construção antiga que vai ser demolida....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cin. Tentei descobrir algo sobre a casa ao lado da capela, mas não achei nada. Esse trecho na época dos barões do mate, era o que havia de mais chique na cidade. Pouco sobrou.

      Excluir

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.