domingo, 23 de agosto de 2009

Rua Barão do Serro Azul



Por volta de 1840, Curitiba não possuia mais do que seis mil habitantes distribuídos no entorno do Largo da Matriz (hoje Praça Tiradentes).

A rua Fechada (atual José Bonifácio) estendia-se desde os fundos da igreja até a Capela da Ordem. Dobrando à direita na capela, daria numa estreira rua que começava a ser conhecida como Rua do Louro. Essa denominação permaneceu até o dia 31 de março de 1863, quando temporariamente, o então presidente provincial Antonio Barbosa Simas Nogueira, transferiu para uma casa na esquina da Rua do Louro com a Rua Saldanha (hoje Carlos Cavalcanti) a sede do governo. Nessa época, a rua do Louro passou a chamar-se rua do Nogueira.

Com a implantação da Estrada da Graciosa, a rua teve seu nome mudado para rua da Graciosa, desde a matriz até a atual praça Dezenove de Dezembro, sendo chamada a partir desse ponto, Estrada da Graciosa, por cortar a serra de mesmo nome.

Mais tarde, em homenagem ao grande paranaense vítima injusta da revolução federalista, a Rua da Graciosa passou à atual denominação de Rua Barão do Serro Azul.

Fonte: Livro "Ruas e histórias de Curitiba" de Valério Hoerner Júnior. Editora Artes e Textos. Curitiba, 2002

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou desse post? Seu comentário é muito bem-vindo.